Incrível
Incrível

Os leitores do Incrível contaram como tudo acabou dando errado bem na véspera de Ano-Novo

Na véspera de Ano-Novo todo mundo espera algo de bom. Encontrar pessoas queridas, sorrisos e felicitações para o ano que começa — é tudo isso que desejamos nesse feriado. No entanto, nem sempre as coisas saem de acordo com o planejado.

Reunimos relatos dos leitores do Incrível.club sobre como tudo deu errado na véspera de Ano-Novo, e estamos prontos para compartilhá-los com você. Confira!

  • Passei o último Ano-Novo no avião. Talvez tenha sido apenas azar com a escolha da companhia aérea, mas em vez de felicitações do capitão, mimos e passageiros alegres, o que teve foi comissárias de bordo mal-educadas e cansadas, um jantar tarde e frio, seguido pelo desligamento imediato das luzes na cabine. Bem, a verdade é que outros voos noturnos foram mais divertidos e animados. A única coisa que iluminou a noite foram os fogos de artifício que podiam ser vistos sobre as cidades. © Schnatterinchen / AdMe
  • Fiquei com meus pais durante a passagem de ano e depois saí para encontrar minhas amigas. Na época, morávamos em um prédio de nove andares no qual havia um pequeno corredor para cada dois apartamentos. Sempre deixávamos nossos sapatos do lado de fora. Cerca de uma hora depois que saí, minha mãe me ligou perguntando o que eu estava calçando. A pergunta me surpreendeu. Então, ela continuou: “Parabéns, suas botas são os únicos calçados que nos sobraram, o resto foi tudo roubado”. Já se passaram tantos anos e ainda me lembro da bota verde-escura que usava na época. © Daria De Klerk / Facebook
  • O pior Ano-Novo que já tive foi o do ano passado. Minha mãe e eu fomos convidadas para a casa de uma amiga dela, uma senhora solitária e ótima cozinheira. Tive uma semana difícil de provas, estava cansada e já não dormia há umas noites. Comi muito e já me deu aquela sonolência. Não queria saber mais de nada, só dormir. Tinha apenas uma cama extra na casa, e já estava ocupada por outro hóspede. Me deitei em quatro cadeiras até que o transporte público voltasse a funcionar. Minha mãe e eu voltamos congelando dentro do ônibus, e jurei para mim mesma que nunca mais passaria a véspera de Ano-Novo fora de casa. © Aie-aie / AdMe
  • Isto aconteceu há alguns anos. Fomos celebrar a passagem de ano em outra cidade para mudar os ares. Alugamos um apartamento e, como a cozinha era muito pequena, pedimos comida. Ficamos esperando e fiz um pouco de salada. O prazo para a entrega passou e começamos a ficar preocupados. Meu marido descobriu que o telefone do entregador estava desligado. Ele não conseguiu nos contatar, então foi embora. Tentamos negociar para que viessem mais tarde, mesmo com a comida fria, mas não funcionou. Aparentemente, a empresa estava muito ocupada. Assim, celebramos o Ano-Novo com uma salada, laranja e chocolate. © Hangover Unicorn / AdMe
  • Uma vez, passei o Ano-Novo comendo torrada e água porque tive uma terrível crise de pedra na vesícula antes do feriado. Foi muito triste. Toda a família comendo coisas deliciosas e eu lá deitada apenas olhando. © Anastasia Zinovieva / Facebook
  • Ano passado foi o pior Réveillon da minha vida. Na virada para 2020, meu marido estava viajando e não conseguiu voltar. Bem, pelo menos foi o que ele disse. Fiquei bem nervosa durante as férias, tentando disfarçar para que meu filho não percebesse. Foi um ano difícil. Na véspera de 2021, no início de dezembro, meu marido me disse que estava me deixando por estar apaixonado por outra. Naturalmente, não tive vontade nenhuma para comemorar. Esperava que pelo menos ele me desejasse felicitações, mas nem isso aconteceu. Fiquei assistindo à televisão. Pelo menos, minha filha ganhou um telefone e estava entretida com o presente. A minha sorte foi um cara que encontrei em um site de relacionamentos que me salvou de uma frustração maior ainda. Apenas conversamos, ele me ajudou a sair do fundo do poço. Embora não tenhamos tido nada depois, ainda sou grata a ele pelas palavras de apoio. © Lyudmila Skvortsova / Facebook
  • Em 1994, decidimos comemorar o Ano-Novo com amigos. Os pais de um deles iam viajar, então decidimos que passaríamos a noite na sua casa. Todos contribuíram com dinheiro. As meninas concordaram em cozinhar, eu só poderia ajudar depois do trabalho. Ninguém reclamou, já que contribuí como todo mundo. Depois do trabalho, me vesti, peguei os presentes e fui para a casa do garoto. Chegando lá, demoraram horrores para abrir a porta para mim, e quando abriram, descobri que os pais do menino não tinham viajado e que meu amigo ficaria em casa com eles. Fui embora. Acabei passando a noite com meus pais. Para onde foi o dinheiro que arrecadamos para a festa ainda é um mistério. Outro mistério é para onde meus “amigos” foram e por que ninguém me avisou nada. © Svetlana Nagornaya / Facebook
  • Recebi 2016 na maternidade, dei à luz no dia 28 de dezembro. Mas o pior de tudo foi que internaram meu filho na noite de Ano-Novo porque ele teve icterícia neonatal. Chorei a noite toda. © Tatiana Regida / Facebook
  • Reunimos três famílias amigas para celebrar o Ano-Novo. Estávamos passando por uma crise financeira, e um cliente decidiu pagar me dando caviar vermelho. Foram 15 caixas no total. Minha filha ainda era pequena, ela precisava ganhar um presente de Natal. As outras famílias também tinham filhos pequenos, mas estavam ainda piores financeiramente que a minha. Decidimos vender o caviar. Claro que guardamos um pouco para a noite de Réveillon. Trouxemos o que podíamos de comida. Tinha muito pão e o caviar em grandes quantidades. Nunca me esqueço disso, meu amigo até hoje não consegue comer essa iguaria. © Natalia Bogatova / Facebook
  • Em 1966, teve um surto de disenteria no jardim de infância. Todos os contaminados foram isolados. Me confundiram com outra garota de nome parecido e me trancaram por 14 dias em um hospital de doenças infecciosas no dia 20 de dezembro. Meu aniversário é no dia 22. Passei meu aniversário de 6 anos e o Ano-Novo presa em um hospital onde era proibido visitantes. Minha mãe e meu pai me mandaram uma pequena árvore de Natal com brinquedos. Chorei todos os 14 dias. Apenas depois de tudo, descobriram que foi um erro. Já se passaram tantos anos e isso ainda dói. Meus pais ficaram debaixo da janela do meu quarto. Mamãe dançando e fazendo caretas para mim e o meu pai fazendo truques. Estava um gelo lá fora, mas eles não saíram de lá até eu ir para a cama. © Svetlana Kurilova Grischko / Facebook
  • Ia passar o Ano-Novo com meu namorado. Esperei por ele até as 22h e nada. Comecei a ficar preocupada com o que poderia ter acontecido. Sabia onde os pais dele moravam, então fui lá. A mãe dele abriu a porta e disse, surpresa, que ele realmente estava lá, mas com a família dele. Foi assim que descobri o que é ser enganada por um homem que você pensava ser seu. © Tamara Zazhirilo / Facebook
  • Naquela época, havia cortes frequentes de energia em nossa cidade. Mesmo assim minha irmã e eu conseguimos nos arrumar à luz de velas e colocamos a mesa. Por volta das 22h, uma conhecida me ligou para me desejar feliz Ano-Novo e me disse de uma maneira muito agradável que estava namorando o cara de que eu gostava naquela época. A cena parecia de comédia, mas não tinha graça nenhuma. Passei o resto da noite chorando de soluçar, destruí minha maquiagem. Às 23h45 a luz voltou para que eu pudesse admirar meu rosto inchado e infeliz no espelho. © Olga Kostinskaya / Facebook
  • Fui convidada para a casa de uma amiga e ia ter um grupo de cerca de 20 pessoas por lá. Ela queria me apresentar a um rapaz. Dia 30, fomos ao mercado comprar as coisas, choveu muito e acabei ficando encharcada. No dia 31, tive febre de 39 °C, tontura, fraqueza e enjoo. Queria muito ir para a festa, mas fiquei em casa. O cara que minha amiga queria me apresentar, ela apresentou a outra garota e eles se casaram. © Nadia Koroleva / Facebook
  • Quando éramos jovens, decidimos passar o Ano-Novo na casa de um amigo. Levei bastante comida e nos divertimos muito. A volta para casa foi um caos, meu marido adormeceu, minha filha chorou o tempo todo, o transporte demorou. Pela manhã, quando acordamos, queríamos comer e não tinha nada, pois levamos tudo para a casa do nosso amigo. Ainda me lembro do tanto de comida que ficou lá. Isso nunca mais aconteceu. Agora deixo um pouco em casa para o almoço e jantar. © Natalya Tyurina / Facebook
  • Passei o Réveillon de 1990 na UTI. Esqueceram de me servir o jantar, se desculparam e me trouxeram purê de batata e tomate em conserva. Algo que eu não tinha permissão para comer. © Nadya Poltavetc / Facebook
  • Sempre tenho grandes expectativas para o Ano-Novo e o feriado costuma ser mais ou menos. Três anos atrás, eu namorava um cara, e ele foi passar o Réveillon com seus pais e eu fui para as montanhas com meus amigos. Não gostei muito, mas aceitei. Então, ele me ligou, me deu as felicitações para o novo ano. Alguns minutos depois, uma mulher me ligou e se apresentou como namorada dele e perguntou quem eu era. Ele estava com ela, não com os pais. Simplesmente desliguei o telefone e fui para a cama em silêncio enquanto meus amigos comemoravam. Embora gostasse muito dele, naquele momento acabou tudo para mim. © Buterbrodik / AdMe

Você já teve algum Ano-Novo que gostaria de esquecer para sempre? Conte para a gente na seção de comentários.

Incrível/Gente/Os leitores do Incrível contaram como tudo acabou dando errado bem na véspera de Ano-Novo
Compartilhar este artigo