Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

As causas humanitárias em que Rihanna está engajada nos mostram o seu lado mais altruísta

6-2-
239

Robyn Rihanna Fenty, mais conhecida como Rihanna, é uma das cantoras mais famosas do mundo. Nascida em Saint Michael (Barbados) em 20 de fevereiro de 1988, Rihanna tem hoje 32 anos e se destaca também como atriz, empresária, diplomata e escritora. As dificuldades que a cantora precisou enfrentar na infância e na juventude despertaram nela uma enorme vontade de se superar. É, portanto, o passado de luta que faz com que as conquistas de hoje sejam ainda mais louváveis.

A história de vida de Rihanna e tudo que precisou enfrentar e superar a levaram a apoiar diferentes causas sociais. Todo ano a cantora mostra seu lado humanitário por meio do apoio a organizações e fundações em diferentes países.

Hoje, o Incrível.club vai falar sobre um aspecto da vida de Rihanna que nem todo mundo conhece. Abordaremos algumas causas defendidas pela cantora e teceremos alguns comentários sobre os prêmios que ela recebeu pelo belo trabalho que realiza no apoio a causas humanitárias.

1. Primeiros passos altruístas

Em 2006, Rihanna tinha apenas 18 anos e criou a associação Believe, um centro que oferece ajuda para crianças com doenças graves, como câncer, AIDS e leucemia. A fundação oferece os suprimentos necessários para escolas que precisam de recursos e que não estão sendo financiadas da maneira correta. A associação também arrecada roupas para crianças de famílias que ficaram sem casa e estão em abrigos. Seus esforços e todo o seu trabalho com a organização foram reconhecidos e honrados em 2011.

Em 2008, a cantora se juntou a outras celebridades para conscientizar a população sobre a luta contra a AIDS em uma campanha de moda da marca H&M. A conhecida marca de roupa destinou parte de seu faturamento para a luta contra a doença e conseguiu juntar milhões de dólares.

No mesmo ano, a artista e outras 15 artistas mulheres participaram de um especial de televisão chamado Stand Up to Cancer, pensado para arrecadar fundos para pesquisas contra o câncer. Elas conseguiram juntar nada mais nada menos que cem milhões de dólares.

2. Uma fundação com alcance global

No ano de 2012, Rihanna se apresentou no House of Blues de Los Angeles para arrecadar dinheiro para o Centro Ortopédico Infantil e para o programa para artistas de Mark-Johnny Merceren, do hospital infantil.

Também em 2012, a artista criou a fundação Clara Lionel (nome em homenagem aos avós da cantora). O propósito da fundação é oferecer ajuda com saúde e educação à população de Barbados, sobretudo para as pessoas que sofreram com o furacão Dorian, desastre que causou danos catastróficos em Barbados e nas Bahamas. Hoje em dia, a fundação oferece programas de educação, saúde e ajuda emergencial em todo o mundo. Entre seus programas, destacam-se:

  • Programa de bolsas da Fundação Clara Lionel;
  • Centro Clara Braithwaite de Oncologia e Medicina Nuclear no Hospital Queen Elizabeth, em Barbados;
  • Programa de microsubvenções de Barbados.

Algum tempo depois, a cantora doou equipamentos de radioterapia para o Hospital Queen Elizabeth, de Barbados, que viria a mudar o nome para Centro Clara Braithwaite de Oncologia e Medicina Nuclear, em homenagem à avó de Rihanna.

Todo ano a famosa cantora organiza uma gala beneficente chamada The Diamond Ball para a Fundação Clara Lionel. Ela recebe um grande número de atrizes, atores, cantoras, cantores e muitas outras celebridades e o objetivo é arrecadar a maior quantidade possível de dinheiro.

No ano de 2013, Rihanna participou de duas campanhas publicitárias para a empresa MAC. Com a primeira, ela conseguiu arrecadar 60 milhões de dólares para mulheres e crianças vítimas da AIDS. Um ano depois, em 2014, a cantora trabalhou para o programa ONUSIDA das Nações Unidas, um programa que tem a função de criar soluções e ajudar nações no combate à doença, além de proporcionar tratamento e informação para a prevenção da doença.

Alguns anos depois, em 2016, a cantora criou uma aliança com a Global Partnership for Education e com o Global Citizen Project para lutar contra a crise global no que tange à educação escolar.

3. Novas causas e alianças sociais

Em 2017, Rihanna visitou o Malawi em janeiro como embaixadora da Global Partnership for Education em associação com o Global Citizen Project. Durante a viagem, ela se encontrou com educadores, estudantes e funcionários para melhorar a qualidade da educação das futuras gerações do país.

Nesse mesmo ano, a cantora e empresária fundou a Fenty Beauty, uma marca de cosméticos inclusiva para todos os tons e todas as cores de pele, e recebeu da Fundação Harvard o prêmio Peter J. Gomes Humanitarian Award no campus de Massachusetts por seu trabalho em causas humanitárias.

Além de todas essas causas, Rihanna contribuiu também com Bid 2 Beat AIDS, City of Hope, Dosomething.org, Feeding America, Save the Children, UNICEF, Alzheimer’s Association, Bear Necessities Pedriatic Cancer Foundation, Kids Wish Network, Live Earth, Mission Australia, entre muitos outros projetos e outras associações.

Atualmente, a cantora continua trabalhando por causas humanitárias nas fundações e associações que mencionamos anteriormente. Ela foi premiada pela NAACP (Associação Nacional para o Progresso de Pessoas de Cor — tradução de sua sigla em inglês) tanto por sua carreira na música como por seu belo trabalho na filantropia. A artista doou milhões de dólares para pesquisas e tratamentos de doenças e hoje é uma das pessoas que mais doam dinheiro no mundo para causas humanitárias.

Você já conhecia esse lado da vida de Rihanna? Conhece outros famosos que se destacam pelo trabalho com associações que lutam por melhores condições para pessoas em situação de vulnerabilidade? Compartilhe as suas impressões nos comentários.

6-2-
239
Compartilhar este artigo