Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Agente de viagens contou sobre sua profissão (e ficou claro que esse trabalho tem muitos imprevistos)

7-34
360

Todo mundo tem um pouco de inveja dos agentes de viagens. Afinal, quem nunca teve vontade de passar a vida viajando (mesmo que acompanhando clientes) e tendo, muitas vezes, direito a testes gratuitos de novos hotéis, por exemplo? A vida dos agentes de viagens pode parecer um tanto glamorosa, mas, na prática, as coisas não são bem assim. E o canal Você é um Agente de Viagens! trata do assunto com humor.

Nós, do Incrível.club, gostamos dessa página e decidimos apresentar a você, nosso seguidor, seus tópicos engraçados. E o bônus no final inclui uma história que impressionou toda a nossa equipe editorial.

  • Pedimos aos turistas que trouxessem uma foto para o visto. Os requisitos estabeleciam que a foto não deveria ter cantos. Eles trouxeram... uma foto com todos os cantos cortados com tesoura.

  • Um tempo atrás, ocorreu um incidente na agência; por isso, hoje em dia, eu mesma faço as fotocópias de todos os passaportes para vistos. O incidente foi o seguinte: um homem levou tão a sério a orientação para trazer cópias dos passaportes que fez essas cópias em impressora colorida e as grampeou todas juntas, criando uma espécie de minipassaporte.

  • Um homem não pôde comparecer ao escritório para reservar o passeio. Pedi a ele que tirasse uma foto do seu passaporte e me enviasse para eu poder fazer a reserva sem a sua presença física. Ele enviou uma foto da capa, não da página com dados. Enfim, deve ter entendido que meu objetivo era apenas garantir que ele tinha um passaporte, não obter os dados para agendar o tour.

  • Certa vez, encontrei, para uma cliente, uma ótima oferta de tour na Grécia a um preço muito bom. Reservamos. No dia seguinte, ela voltou gritando: “Devolva o dinheiro! Meu marido me repreendeu!” Informei a ela as penalidades por cancelamento. E ela soltou: “Você não tinha visto para quem vendeu o tour?” Pensei: “o que há de errado com ela?” E então, veio a explicação: “Você não percebeu que eu não consultei meu marido?”

  • Estávamos reservando um hotel quatro estrelas em Alânia (Turquia). A mulher perguntou: “Para qual tipo de cabelo haverá shampoo no quarto?” E acrescentou: “Eu tenho cabelo seco. Diga a eles que preciso de shampoo para cabelo seco”. Ela deve ter imaginado que era um hotel cinco estrelas...

  • — Não há voos para essas datas.
    — Bem, então vamos para outro hotel!
    Bem, cada hotel deve ter um avião particular...

  • — Me encontre um bom destino por 194 dólares.
    — Na Turquia, há boas ofertas. Só que não por 194 dólares, mas por 212 dólares.
    — Não. Eu gostaria de gastar apenas 194. Talvez então para a Itália? Quanto custa para a Itália agora?

  • — Estamos prontos para pagar qualquer preço!
    — Temos um destino maravilhoso por 776 dólares por casal.
    — Como assim? Só temos 517 dólares...vamos então ver algum hotel três estrelas. Mas um bom: pé na areia, quartos novos, frutos do mar de primeira, lazer completo, piscina com borda infinita. E bem barato.

  • Uma mulher veio ao escritório:
    — Por gentileza, gostaria de viajar com meu filho antes de as aulas voltarem.
    — Aonde a senhora gostaria de ir?
    — Algo de baixo custo. Estou pensando: para a Turquia ou os EUA?

  • — Como foi a viagem? Relaxou?
    — Para ser honesto, não.
    — Por quê?
    — O tempo estava péssimo. Choveu muito...quem veria graça em uma viagem como essa? Então, peguei uma gripe e não pude ir a um tour especial. E minha esposa estava tão ansiosa! Podemos dizer que fizemos essa viagem apenas por causa desse passeio. Então ela resmungou pelo resto do tempo. Nunca mais comprarei pacotes nessa agência! E te aconselho a fazer o mesmo: eles só vão estragar suas férias!

  • Sou agente de viagens e é sempre assim quando vou a festas. Imediatamente começam as perguntas: “Já esteve em todos os lugares? Viaja com frequência? Vai grátis ou paga meia?” E as perguntas continuam: “Quanto custa agora a Turquia (ou as Maldivas ou os Emirados)?” E eu, pensando: “como assim, quanto custa ’agora’”? Neste exato momento, amanhã ou na próxima semana? As pessoas ainda ficam ofendidas quando digo que não estou trabalhando nesses momentos, mas querendo aproveitar a festa, como todos. Aí, procuro consertar a situação e faço perguntas: quantas pessoas iriam, quantos anos têm os filhos, datas, quantas diárias, quantas estrelas, que país. E as pessoas novamente se ofendem: “Por que você precisa saber? Basta me dizer quanto vai custar por pessoa.” Bem, e como explicar que o valor é um se essa pessoa for sozinha e outro se for acompanhada?

  • “E se meu filho de 12 anos mergulhar do píer, ele vai atingir o fundo com cabeça?”

  • “Na Tailândia tem uma estação chuvosa no inverno. Mas se formos no dia 11 de julho para 10 diárias, vai chover?”

  • — Quantos graus faz no Egito agora?
    — Máximo de 22-25 °C.
    — Está quente?

  • “Veja como estará o tempo em Praga no dia 22 de outubro. Não vai chover lá?”

  • Também “adoro” as perguntas tipo: “O que você tem para julho?” E é isso: sem datas, nem país, nem, ao menos, o número de pessoas.

  • Recebi, na agência, alguns turistas que queriam cancelar a viagem à Turquia. Não ficaram satisfeitos com a previsão do tempo para as datas das férias: iria chover. Detalhe: tinham decidido cancelar apenas dois dias antes da viagem. Ameaçaram nos processar. Mas conseguimos convencê-los a viajar. Aliás, a previsão do tempo não se concretizou.

  • “Olá! Chegamos, mas não encontramos restaurante e nem acesso ao mar!”

  • “Olá! Por favor, ligue para o nosso hotel e diga que estamos sem sabão. Mande trazer!”

  • Uma turista avisou antes da viagem: “Vou ligar para vocês se meu filho ficar resfriado. Vocês mesmos vão chamar o médico para ir ao hotel.”

  • Um cliente exagerou na bebida antes de chegar e me ligou à noite da escada do avião: “Lena, onde eu cheguei? Que país?”

  • Certa vez, me ligaram alguns turistas que estavam no Dubai Mall:
    — Lena, estamos perdidos!
    — Onde vocês estão?
    — Na escada rolante!

  • Uma ligação: “Antes de sair do quarto, deixei 130 dólares na cama. Quando voltei, não havia nada. Talvez a moça de limpeza tenha pensado que era uma gorjeta e pegou para ela...Por favor, resolva!”

  • Uma turista que reservou um quarto individual em Rimini, Itália (e os quartos são muito pequenos lá), me ligou e gritou:
    — O banheiro é tão pequeno que não consigo pendurar papel higiênico!
    — Entendi, estou indo
    — Aonde?
    — Até você, pendurar o papel higiênico.
    Risos homéricos vieram do telefone.

  • Por algum motivo, todos os turistas gostam de telefonar à noite. Aqui está outra ligação noturna: “Tem mosquitos no meu quarto! Faça alguma coisa!”

Bônus: um manual sobre como perder um visto de três anos

Duas mulheres queriam viajar à Grécia. Uma delas já tinha um visto Schengen (que prevê a livre circulação entre os países da Europa), enquanto a outra não. Após cinco dias, a segunda deu um verdadeiro “show” porque tinha certeza de que, após esse tempo, seu visto estaria pronto. Reclamou por uma semana, exigindo o cancelamento da viagem e a devolução do passaporte e do dinheiro.

Mas então o dia tão esperado chegou: concederam o visto para três anos. No entanto, ao abrir seu passaporte, ela imediatamente teve um ataque de raiva novamente. Acontece que no dia da gravação biométrica, ela não se maquiou. Então, não viajaria para lugar nenhum com aquela foto no visto! A viagem ocorreria em dois dias, mas a mulher exigiu refazer o visto, pois saiu mal na foto.

Como resultado, ela própria arrancou o visto de seu passaporte, correu para o centro de vistos e fez um escândalo. O cônsul foi falar com ela, ela começou a sacudir na cara dele o passaporte e o visto arrancado. Ele, enfim, se irritou e anulou o visto dela. A mulher começou a ligar para nossos gerentes, já ameaçando. Escreveu duas reclamações. No dia seguinte, fui ao centro de vistos novamente e fiz o possível para convencê-los a conceder a ela um novo visto.

Então, a mulher começou a exigir o dinheiro do visto cuja foto ela arrancou. Por fim, por volta da meia noite, ligou e disse, se desculpando: “Estou mais calma, me perdoe. O que devo fazer agora?” No dia seguinte, ela escreveu que recebeu um novo visto, mas não enviou uma foto para nos provar. Disse que estava ocupada fazendo as malas. Descobrimos mais tarde que ela não foi a lugar nenhum e não conseguiu um novo visto em um dia. Sua amiga viajou à Grécia sozinha.

Você já se viu em alguma situação memorável durante suas férias no exterior? Comente.

Imagem de capa Depositphotos.com
7-34
360
Compartilhar este artigo