A história por trás do filme “Patch Adams” e do médico que leva alegria aos pacientes nos piores momentos

Universal Pictures lançou em 1998 o filme Patch Adams — O Amor é Contagioso, que narra a vida de Hunter Doherty “Patch” Adams, um médico que transformou completamente a abordagem com os pacientes. Adams trabalhava (e trabalha) de uma maneira muito peculiar: levando às pessoas em tratamento médico um pouco de humor. Ele também sonhava em ter uma clínica gratuita aberta à comunidade e, embora esse trabalho tenha durado pouco tempo, Adams, hoje com 74 anos, ainda luta incansavelmente para reabrir suas portas e curar pessoas usando sua técnica não ortodoxa, mas muito eficaz.

O Incrível.club convida você a conhecer melhor essa história, que mostra que o riso e o amor podem ser o melhor remédio.

Uma nova maneira de curar

Nascido em Washington (EUA), Adams criou a chamada terapia do riso, uma técnica psicoterapêutica que tenta tranquilizar os doentes usando o humor. O médico descobriu seu destino ao ser internado, ainda muito jovem, em um hospital psiquiátrico, logo após perder o pai. Lá, conheceu Rudy, uma paciente com distúrbios psiquiátricos, que o ajudou a reverter sua condição com brincadeiras e companheirismo. Foi então que ele decidiu estudar Medicina, para usá-la como um instrumento de mudança social, ajudando os doentes de uma maneira mais humana.

Um hospital para todos

Adams estudou na Virginia Commonwealth University (EUA) tornando-se voluntário em um hospital, onde começou a usar o humor para tentar aliviar o sofrimento dos pacientes. No filme, é possível ver a reação tanto dos próprios pacientes, que mostram um imenso carinho pelo médico (interpretado pelo inesquecível Robin Williams), quanto de seus companheiros de trabalho, que reagem com perplexidade. Por conta justamente da reação dos colegas, Adams decidiu fundar a sua própria clínica gratuita.

Juntamente com outras 20 pessoas — três delas médicas — ele se mudou para uma casa com seis quartos, com a ideia de abrir um hospital que funcionasse 24 horas por dia, sete dias por semana. Assim, lançou as bases para o que viria a ser o que hoje conhecemos como Instituto Gesundheit! Na clínica, o médico e sua equipe tratavam dos pacientes que não tinham plano de saúde usando técnicas da Medicina comum, mas também utilizando terapias holísticas, cujo principal “ingrediente” era o carinho.

Um projeto global

O Instituto Gesundheit! foi criando com o objetivo de mudar o conceito de hospital, não apenas tratando dos pacientes mais necessitados com a “terapia do riso”, mas também criando um vínculo com a comunidade local, usando a Medicina para gerar mudança social.

Infelizmente, o instituto parou de funcionar em 1984, devido à falta de recursos, mas isso não foi motivo para que o médico abandonasse a causa pela qual sempre lutou. Desde então, Patch Adams dá conferências e palestras no mundo todo para arrecadar fundos e construir um hospital capaz de acomodar 40 leitos.

Ele destaca, no entanto, que o projeto Gesundheit! é também o de um hospital “sem paredes”, pois desde 1971 busca transmitir tanto à comunidade médica quanto aos leigos essa forma de tratamento. Adams visita hospitais, orfanatos, zonas de guerra, campos de refugiados e lugares afetados por desastres naturais, buscando trazer alegria para as pessoas usando a “técnica do palhaço”, metodologia criada por ele e disponível no site da iniciativa Gesundheit Global Outreach, ligada ao instituto.

Patch Adams (1998)

O filme mostra a vida de Adams, sua internação, seus estudos e seu trabalho. O longa foi indicado ao Globo de Ouro como “Melhor Filme de Comédia” e “Melhor Ator” pela atuação de Robin Williams. Embora o filme tenha recebido boas e más críticas, ajudou muitas pessoas a conhecerem e a se familiarizarem com a vida e a obra do verdadeiro Adams. Essa não deixa de ser a história de um sonhador, que sabe como transformar a própria realidade e trazer um pouco de alegria às pessoas em momentos difíceis.

Adams continua trabalhando com a Gesundheit Global Outreach, juntamente com milhares de voluntários em todo o mundo, não apenas para construir um hospital, mas também para levar sua mensagem de amor e solidariedade a todos os lugares e para tornar a Medicina mais humanizada.

Você já assistiu ao filme? Conhecia o verdadeiro Patch Adams? O que acha do trabalho dele? Conte-nos na seção de comentários.

Compartilhar este artigo