Incrível
Incrível

21 Vezes em que o comentário de uma criança tirou o sono de um adulto

Quem convive com crianças sabe que elas têm uma enorme capacidade de imaginar histórias. No entanto, às vezes elas contam coisas que os adultos não sabem muito bem se são apenas fruto da imaginação ou se são relatos que de fato aconteceram, o que pode criar um clima tenso e gerar mais perguntas do que respostas.

Nós, do Incrível.club, adoramos histórias assustadoras, mas confessamos que esses relatos compartilhados pelos nossos leitores nos deixaram morrendo de medo.

  • Estava grávida da minha filha e não conseguia escolher um nome. Uma noite, sonhei que ela me dizia: “Quero me chamar Bárbara”. Quando acordei, me lembrei do sonho, mexi na minha barriga e disse: “Sinto muito, filha, não gosto desse nome”. Quando ela tinha 3 anos, ela me fez a seguinte pergunta: “Mãe, por que você não me deu o nome de Bárbara?” Dei meia volta e, surpresa, perguntei por que ela estava fazendo aquela pergunta, ao que ela respondeu: “Porque eu gosto desse nome”. Não, ela não sabia do sonho. Zaida Rodriguez / Facebook
  • Quando meu filho mais velho tinha mais ou menos 2 anos, sempre me dizia que tinha outra família e que era japonês: ele se sentava em uma almofada com as pernas dobradas e fingia que sabia falar a língua deles. Até hoje, aos 38 anos, ele ama a cultura japonesa. Além disso, meu filho tinha um amigo imaginário que se chamava Felipe; um dia, revisando alguns documentos, encontramos um com o nome do bisavô do meu marido, que se chamava Felipe. Maria Caro / Facebook
  • Estava trocando a fralda do meu sobrinho, que tem 3 anos, quando ele me disse: “O que o vovô Peto tá fazendo?” Fiquei sem reação, porque ele não conheceu o meu avô; minha irmã ficou grávida alguns meses depois da morte dele. Além disso, não há fotos do meu avô em casa, e ninguém fala nada sobre ele. Cindy Rodriguez Nazar / Facebook
  • Quando minha sogra faleceu, meu marido estava deprimido e quase não falava. Na hora do almoço, minha filha de 2 anos chegou, se sentou no colo dele e disse: “Pai, não fique triste, a Lupita (vovó) está no céu e está olhando para todos nós”. Elizabeth Rojas / Facebook
  • Eu estava com a minha mãe quando ela faleceu. Aconteceu ao meio-dia, na casa dela, a mais ou menos 2 km de distância da minha casa, onde estavam meus filhos de 12, 11 e 9 anos. No fim do dia eu voltei para a minha casa e meus filhos me disseram que a vovó Ana tinha passado para fazer uma visita. Eles estavam na rua, patinando, e a vovó pegou na mão deles e disse: “Todos para casa”. Perguntei a que horas isso tinha acontecido e eles me disseram que antes do almoço. Eles não sabiam que minha mãe tinha falecido ao meio-dia porque eu não liguei para contar, achei melhor contar ao vivo. Os três não podiam acreditar. Hoje, com 45, 44 e 41 anos, eles ainda se lembram de como a vovó Ana foi vê-los no momento em que faleceu. Victoria Bonilla Aedo / Facebook
  • Um dia, meu filho de 4 anos ficou muito triste. Perguntei o que tinha acontecido e ele me disse: “Sinto falta do meu avô, pai do seu pai, que está no céu”. Meu avô faleceu 7 anos antes do nascimento dele. Ah, meu filho nasceu no dia 22 de novembro, mesmo dia em que meu avô morreu. Fernanda Pastrana / Facebook
  • Um dia, meu filho me disse: “Mãe, você carrega a minha irmã na barriga”. Comecei a rir e perguntei quem tinha dito aquilo e ele me disse: “Meu avô”. Curiosa, fui rapidamente comprar um teste de gravidez e descobri que estava grávida. No quinto mês, descobri que era uma menina, ou seja, exatamente o que meu filho tinha dito. Priscilla Albayay / Facebook
  • Desde que tinha 2 anos meu filho mais novo dizia que a “torre” (uma antena telefônica) se parecia com uma torre dos chineses de que ele se lembrava. Contudo, ele não gostava dela porque tinha morrido após levar um choque elétrico. E ele também dizia: “Sito muita falta do vovô José”. José era meu avô, que faleceu quando eu tinha 9 anos. Perguntei se ele o conhecia e ele disse que sim. Como não encontrei nenhuma foto do meu avô, procurei na Internet algumas boinas e meu filho sinalizou exatamente a que era do meu avô. Jennifer Campos Cariqueo / Facebook
  • Isso vem se repetindo muito desde que minha filha começou a falar. A última coisa que ela nos contou é que a minha neta de 8 meses e ela eram melhores amigas no céu e que foram autorizadas a nascer na mesma família para ficarem juntas. A conexão entre as duas realmente é inexplicável. Daniela Rodríguez / Facebook
  • Minha filha de 4 anos vive dizendo que o pai dela e eu morremos e que ela ficou com a avó. Geralmente, eu pergunto: “Mas como assim? Nós vamos morrer?” E ela responde: “Não vocês, meus pais de antes. Eles morreram e eu fiquei com a vovó”. Krishna Kattiuska / Facebook
  • Minha sobrinha tinha 2 anos, morava em um sítio sem Internet e sem celular e tinha apenas uma televisão. Ela dizia que tinha um amigo imaginário que se chamava “Momo”. Isso foi em 2010. Alguns anos depois, o personagem Momo virou moda, que coincidência. Li Ann Contreras / Facebook
  • Estava caminhando com a minha neta de 3 aninhos quando ela me disse: “Vejam como estas ruas são iguais às da Guatemala”. Em seguida, dentro de uma loja, ela disse o seguinte: “Esta loja é igual às da Guatemala”. Nós somos de El Salvador, nunca fomos para a Guatemala e moramos nos Estados Unidos. Nelly Romero / Facebook
  • Uma vez, caminhando perto do cemitério, meu filho de 4 anos começou a rir e a dizer que eu tinha mentido para ele. O menino disse que sua avó (minha mãe) não estava morta e não estava nem no céu e nem no cemitério. “Onde ela está?”, perguntei, mas ele apenas ficou rindo e continuou dizendo que eu era uma mentirosa. A vovó tinha falecido meses antes e eles eram muito próximos, apesar do Alzheimer. Ele nunca me disse onde ela está, mas ficou feliz por eu “ter mentido”. Nati Quidi / Facebook
  • Um dia, minha neta de 6 anos fez o seguinte comentário sobre meu velho cachorrinho: “Vó, este cachorro vai morrer esta note”. Eu disse: “Não fale uma coisa dessas”. Mas ela continuou: “Este cachorro vai morrer esta noite”. Meu cachorro morreu aquela noite. Julia Zamora Torrado / Facebook
  • Minha filha começou a falar quando tinha mais ou menos 1 ano. Ela dizia que a mãe dela tinha morrido. Quando as pessoas perguntavam: “Sua mãe está?”, ela respondia: “Eu não tenho mãe, minha mãe morreu”. Muitas pessoas me perguntavam se aquilo era verdade e eu tinha de dizer que a mãe dela era eu. Andrea Rodriguez / Facebook
  • Quando minha sobrinha mais velha ainda era muito pequena, ela disse para a minha mãe: “Por que a Brandy fica puxando a coleira?” Brandy era a nossa cachorrinha, que tinha morrido alguns meses antes. Fressy Jiménez / Facebook

Qual foi a história mais estranha que você já ouviu de alguma criança? Compartilhe nos comentários, vamos ver qual é a história mais assustadora.

Incrível/Gente/21 Vezes em que o comentário de uma criança tirou o sono de um adulto
Compartilhar este artigo