Incrível
Incrível

21 Filhos contam como suas mães se encarregaram de que sua criação fosse cheia de gargalhadas

Quando se trata de estilos de criação, podemos nos deparar com os mais diferentes modelos, desde as mães que são extremamente rígidas, passando pelas ternas e meigas, às que cuidam de seus filhos para que nada de ruim lhes aconteça. No entanto, há uma categoria de mãe muito particular: a que se encarrega de que seus filhos tenham muitas histórias divertidas para contar o resto de suas vidas.

No Incrível.club, compilamos várias histórias de filhos cujas mães os fazem viver em um constante show de comédia.

  • Quando minha mãe começou a usar o Facebook, não sabia como me enviar mensagens e publicava tudo no meu perfil. Todo mundo acabava sabendo de tudo o que mamãe me dizia e ficava triste com algumas coisas, kkkkkk! Tratava de apagá-las o mais rápido que podia, até que a ensinei a mandar mensagens. © Valeria Uribe / Facebook
  • Quando minha irmã tinha 13 anos e eu, 15, mamãe nos deixou ir a uma balada, escondidas de papai. Ao voltarmos, às 7h00 ou 8h00 da manhã, encontrávamos a comida fria que deixara sobre a mesa e fingia estar dormindo enquanto comíamos o refogado frio, kkkkkk! Te amo, mãe, você é o máximo! © Antonella Barreto / Facebook
  • Minha mãe dizia ’sim’ aos rapazes que me convidavam para o baile da cidade, sem que eu soubesse de nada. Quando chegava em casa de férias, me dizia: “No sábado você irá ao baile com fulano de tal que veio te convidar, me pediu permissão e eu disse que você iria sim”, kkkkkk! Óbvio que nunca saí com eles e lhe dizia que se ela havia decidido por mim, que fosse então no meu lugar. © Mybeth Ríos / Facebook
  • Quando minha mãe fazia jardinagem, sempre conversava com as plantas. Um dia lhe perguntei por que fazia aquilo. Ela me respondeu: “Para ficarem bonitas”. Eu lhe disse: “Você nunca falou comigo assim, por isso sou tão feio”. © John Josue Colleyo / Facebook
  • Quando eu tinha 15 anos, um garoto me escreveu uma carta e eu a escondi na capa de um caderno para que ninguém a visse. Um dia, quando estávamos em um aniversário, minha mãe me perguntou se o garoto com quem estava dançando era o que havia me escrito a carta. Fiquei surpresa, nunca soube como ela adivinhou. © Susana Malagoli / Facebook
  • Tenho 35 anos e meus irmãos, 32 e 22. Mamãe ainda nos compra meia dúzia de roupas íntimas em junho e em dezembro (eu praticamente não sei o que é comprar cuecas). Em dezembro, ela nos compra roupas que devemos usar nos dias 24 e 31. Então, decidimos insistir para não comprar mais. Não podemos dizer “a casa de minha mãe” porque em seguida ouvimos um grito da cozinha dizendo que essa sempre será a nossa. Toda vez que vamos visitá-la, prepara nossas comidas favoritas, ou seja, cozinha coisas diferentes para os três. Acabamos nos colocando em sua cama e ouvindo suas histórias que já nos contou inúmeras vezes. © Jacky Pérez / Facebook
  • Se o telefone tocasse e fosse para mim, ela fingia ser eu. Obviamente, eu só ficava sabendo quando meus amigos me contavam. Acredito que o seu desejo era saber o que eu fazia. Até hoje, nunca lhe disse nada. © Nalleli Suarez / Facebook
  • Amo minha mãe. Era das que ligava para as discotecas em que eu estava, ou para os telefones das casas onde faziam festas de algum colega ou conhecidos de amigos. Não sei como ela os conseguia, mas era uma lista telefônica. Que pena! Embora eu sempre a agradeça. Obrigado por isso, cresci com seus bons valores incutidos. Até hoje, não sei como mamãe conseguia os números. © Olivia Alayo Terry / Facebook
  • Minha mãe, toda vez que chega de alguma viagem, apenas entra em casa e percebe se um copo ou um prato foi quebrado, e se está faltando algo. Parece ter um radar para saber tudo. © Vanesa Mallea / Facebook
  • Eu realmente não sabia ser algo estranho até que um dia me questionaram. Acontece que, antes de dormir, gosto de puxar os dedos dos pés do meu parceiro e me lembrei de quando eu era menina. Minha mãe também puxava os meus dedos antes de dormir, me dava sua benção e meu beijinho. Era o seu ritual para eu dormir com os anjinhos, kkkkkkkkk! © Zafiro Antúnez / Facebook
  • Minha avó chegou da rua e eu sempre estava sentada na sala de jantar vendo TV.
    Minha avó: “Como vai Jacinto?”.
    Eu: “O quê? Quem?”.
    Ela: “Sim, quando o Jacinto virá?”.
    Eu: “De que Jacinto está falando?”
    Ela: “O rapaz com quem você sai”.
    Eu: “É Benjamin, Benja”.
    Ela riu, pegou uma caneta e bem devagar, porque mal sabia escrever, anotou “BENJA” em um papel e o guardou. Nesse tempo, sua memória já falhava e ela fazia parecer engraçado porque ria de si mesma. Já havia trocado o nome dele, então, por amor, quando me lembro, digo-lhe “Jacinto”. © Noelia Ortega / Facebook
  • Minha mãe organizava almoços para “me amarrar” com algum rapaz, e nada. Ninguém se atreveu a me perguntar: “Quer casar comigo?”. © Lizbeth Pesch / Facebook
  • Quando meus amigos, que desejavam ser mais isso, chegavam em casa, iam pedir minha mão e nem namorados éramos. Minha mãe lhes dizia: “Mas ela nem sabe cozinhar”. E eles respondiam: “Não importa, eu cozinho”. Ela continuava: “Também não sabe lavar louça”, e eles diziam: “Eu lavo”, e minha mãe continuava brincando. Conclusão: nunca pude ter um amigo que quisesse se casar comigo, com minha mãe queimando o meu filme. © Narda Rose / Facebook
  • Minha mãezinha chegou de visita com um ex-namorado meu.
    Ela: “Vejam só quem eu encontrei”.
    Meu marido já a conhece ou, do contrário, seria um tremendo desastre. © Patricia Garrido / Facebook
  • Minha mãe conversa com os animais como se fossem pessoas de verdade. Ela disse a uma galinha: “Se não chocar os ovos para ter franguinhos, vou tirá-los de você e fazer um caldo de galinha, espere só pra ver”. Surpresa! A penosa então chocou vários pintinhos. © Nicol Ramirez / Facebook
  • Minha mãe guarda o pão no carrinho de compras, as cartas na cesta de pães, os bombons no micro-ondas, as panelas no forno e mais coisas que não me lembro, mas eu a adoro. © Rocio Abolafio Robles / Facebook

Qual é a lembrança mais engraçada que tem da sua mãe? E você, prefere as mães divertidas ou as rígidas? Conte para a gente nos comentários!

Incrível/Crianças/21 Filhos contam como suas mães se encarregaram de que sua criação fosse cheia de gargalhadas
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos