20+ Relatos de internautas sortudos que ganharam verdadeiros presentes do destino

As pessoas podem ser divididas em dois grupos: o das que nunca têm sorte com nada e o daquelas que constantemente são agraciadas pela boa fortuna do destino. E estas felizardas podem, de fato, se gabar por conseguirem achar dinheiro nos lugares mais inusitados ou até por ganharem prêmios valiosos em concursos, enquanto as outras ficam a ver navios esperando a sorte grande chegar. Pessoas sortudas são o tema deste post.

Nós, do Incrível.club, adoramos ler relatos felizes e bem-humorados de pessoas sortudas. Pensando nisso, preparamos esse post cheio de histórias incríveis de quando a sorte “sorriu” para alguns internautas. Acompanhe!

  • Eu estava vendendo rosas na Avenida Nevsky, em São Petersburgo, e o negócio naquele dia não estava indo nada bem. Nem mesmo meus atributos especiais para dar um toque a mais de florista profissional — uma cesta de vime e uma caixinha de som tocando músicas românticas ao fundo — estavam me ajudando. Então, uma hora, um jovem se aproximou e perguntou o preço de uma rosa. Respondi o valor e sugeri que poderia vender por um precinho mais em conta. Ele simplesmente comprou todas elas — as 33 rosas vermelhas restantes! Mas o jovem tinha uma condição: eu tinha de dar as flores uma por uma a cada mulher que estivesse desacompanhada nas proximidades. Depois de eu aceitar e fechar esse acordo inusitado, o jovem decidiu se divertir mais um pouco e pediu para que eu dissesse a cada mulher que a rosa era presente de qualquer homem aleatório que estivesse passando desacompanhado. As mulheres reagiram de diferentes maneiras — algumas ficaram animadas, enquanto outras ficaram constrangidas ou caíram na gargalhada. No fim, o jovem comprador queria apenas dar um pouco de felicidade às mulheres que estavam sozinhas na rua, ou talvez até mesmo um pouco de amor verdadeiro. © Подслушано / Vk

  • Hoje pela manhã decidi vestir uma calça que não usava desde setembro do ano passado. Peguei-a no guarda-roupa, vesti, apertei o cinto e coloquei a mão dentro do bolso esquerdo. E foi nesse momento que uma sensação maravilhosa percorreu por todo meu corpo: tinha achado dinheiro! Meus dedos sentiram várias notas dentro do bolso, mas qual o valor delas? Descobri em um segundo — havia achado o equivalente a 900 reais! Na hora senti uma onda de felicidade que só havia experimentado durante a infância. Depois fiquei me perguntando como havia esquecido 900 reais dentro da calça. É um mistério, mas isso não importa. Espero que todos possam sentir isso um dia! © Korado / Pikabu

  • Eu não acreditava em milagres... E como estava enganada! Tudo aconteceu da seguinte maneira: um dia, decidi participar de um concurso no qual deveria postar uma foto, e os organizadores escolheriam os dez melhores candidatos para concorrer pelo prêmio em uma votação final aberta. E, de maneira totalmente inesperada, acabei indo parar na final. Mas isso ainda não é o fim. Depois de alguns problemas na votação, os organizadores decidiram sortear aleatoriamente o prêmio de um Iphone entre os dez finalistas. Mas adivinhem quem teve a sorte grande? Eu, claro! Ainda estou aqui boquiaberta segurando a caixa do celular em minhas mãos e sem acreditar o quão sortuda eu sou. © Палата № 6 / Vk

  • Lá pelos anos 2000, um cara chamado Oleg, de Vladikavkaz, no sul da Rússia, me adicionou no antigo programa de bate-papo online ICQ. Com o tempo, passamos a nos telefonar e conversávamos por horas sem que houvesse indícios ou indiretas de ambos os lados de qualquer atmosfera romântica. Depois de alguns meses, o Oleg perguntou o endereço da minha casa, dizendo que queria me enviar um souvenir de sua cidade. Na hora lembrei que não tinha nenhum imã de geladeira da região do Cáucaso, e realmente acreditei que o presente seria algo do tipo. Uma semana depois, uma caixa tamanho GG chegou na minha porta. E ela estava repleta de doces e chocolates dos mais caros, sem mencionar que dentro de um ovo de chocolate encontrei ainda um relógio folheado a ouro e um bracelete de ouro. Ainda com as mãos trêmulas, peguei o telefone, liguei para Oleg e gritei: “O que é isso? Não somos namorados, apenas bons amigos. Por que você fez isso?” E a resposta me surpreendeu pelo imediatismo: “Você é uma pessoa boa, e eu simplesmente queria te fazer um agrado”. Uso o relógio até os dias de hoje e mentalmente estou sempre desejando muitas felicidades ao incrível cara que é o Oleg. Sim, a vida é bela! © BellaGorskaya / Pikabu

  • Tudo aconteceu nos anos 90, quando ainda era estudante na escola e minha família não tinha muito dinheiro. As solas das minhas botas já estavam finas de tanto uso e uma hora, durante a primavera, eu simplesmente andava com os pés molhados o tempo todo. Uma vez, de noite, estava no ponto de ônibus e pensei: “Quem me dera encontrar dinheiro para poder comprar botas novas”. E então, no escuro, percebi que algo estava balançando com o vento debaixo dos meus pés. Me abaixei e percebi que era uma nota de 5.000 tengues, do Cazaquistão (aproximadamente 370 reais em valores atuais). Olhei ao redor e não havia ninguém procurando por dinheiro ou segurando a carteira nas mãos. Então guardei o dinheiro e no final de semana comprei botas novas. E ainda deu para um vestido também. © Megansha / Pikabu

  • Sou artista. Uma vez consegui expor meus quadros para vender em uma feira de artes em Moscou. Naquele dia, um casal bastante inusitado veio até meu estande: um típico homem rico vestindo uma jaqueta carmim acompanhado de uma mulher bastante elegante com aparência de modelo. Depois de olhar uma de minhas obras, a mulher disse: “Amorzinho! Gostei deste quadro. Compraaa!” E o homem me perguntou em seguida qual era o valor da obra. Inicialmente, eu queria 5.000 rublos (aproximadamente 350 reais) por ela, mas negociamos e aceitei vender por 2.000 (cerca de 150 reais). O cara então retirou um maço de dólares do bolso e começou a contar 20 notas de 100 dólares para me dar. Eu, no automático, as peguei e fiquei completamente sem reação. Mas, no fim, a decência ganhou da ganância. “Eu quis dizer 2.000 rublos, e não dólares” — disse, devolvendo o dinheiro para o homem. Ele me olhou, apertou a minha mão com o dinheiro e a empurrou de volta dizendo: “É seu. Obrigado, irmão!”, e saiu. © velivok / Pikabu

  • Quando estava no nono ano do Ensino Fundamental, uma nova professora passou a dar aulas para a minha turma. Ela acabou escutando os rumores de como eu não tinha muitas condições de vida e decidiu me chamar para perguntar se eu precisava de alguma ajuda. Menti e disse que estava tudo bem, pois minha mãe sempre me falou que não deveria aceitar ajuda de ninguém. No Natal daquele ano, quando eu estava com meu irmão no quintal, uma van estacionou bem na frente da nossa casa e minha professora, que participava de uma organização beneficente, saiu e nos deu o equivalente a 2.500 reais e comida para a ceia de Natal. Minha mãe ficou tão emocionada com os presentes que começou a chorar. © Gr1ning / Reddit

  • 10 anos atrás, encontrei cerca de 9.000 reais na prateleira da cozinha onde ficam guardados vários livros de culinária. Acontece que meu marido tinha recebido o dinheiro por conta de um empréstimo que fez ainda durante seu casamento anterior. No fim, ele acabou colocando o maço de notas em cima da prateleira e o esqueceu por lá. Com esse dinheiro, passamos um mês de férias em Montenegro e ainda pagamos a primeira parcela da hipoteca. © radish18 / Pikabu

  • Uma vez, muitos anos atrás, quando eu e meu namorado estávamos na fila de um brechó beneficente, acabei notando alguns copos interessantes atrás do balcão. Disse para ele que gostei deles e ficamos discutindo por algum tempo se deveríamos comprá-los, já que nossas finanças estavam bem apertadas na época. No entanto, a senhora que estava na nossa frente de repente pediu ao atendente que lhe desse os copos e os comprou. Na hora eu só queria morrer por dentro. Mas então a mulher se virou e me deu os copos de presente. Algo inesperado de uma senhora adorável mas que eu não conhecia, e que nunca mais voltei a ver. © owl_take_it / Reddit

  • Lembro-me que por volta de 10 anos atrás eu e minha mãe não tínhamos condições financeiras muito boas. Uma vez, em uma noite de outono, estávamos indo de loja em loja procurando casacos baratos, quando encontrei uma carteira no chão bem no meio da lama perto de um banco. Eu a peguei e imediatamente a mostrei para a minha mãe, que me puxou para dentro de um beco para poder avaliar com segurança o conteúdo. Acabou que dentro dela havia o equivalente a quase 800 reais. Com esse dinheiro nós compramos roupas novas para nossa família e pudemos sobreviver a mais um inverno. © Бей И беги / Thequestions

  • Minha história aconteceu por volta de 2007-2008. Lembro que o mês já estava no fim, eu não tinha mais dinheiro e todo dia me perguntava: “O que vou fazer?” E então, um dia, a secretária do trabalho me telefonou e disse: “Você vem receber o seu salário? E sim, é o do mês passado!” Eu apenas respondi, em choque: “Como?”, e ela disse: “Sim, como você não disse nada eu acabei esquecendo de te avisar para vir pegá-lo”. Ainda não entendi bem como isso aconteceu, mas naquele momento não havia limites para a alegria que estava sentindo! Especialmente porque dois ou três dias depois estaria recebendo o salário novamente. © PaulPalych / Pikabu

  • Hoje mais cedo acabei me confundindo com o nome das estações e me atrasei para pegar um trem. O problema é que eu precisava estar no destino na manhã do dia seguinte, sem falta. E já não havia mais bilhetes por um preço que eu podia pagar. Já em pânico, corri para a rodoviária. Lá descobri que não havia mais lugares disponíveis em nenhum ônibus, apenas para um saindo às 4h da manhã. Já estava pronta para cair no choro e perder o controle de tanta raiva e desespero que sentia. Mas então o motorista de um dos ônibus encontrou uma solução. Embarquei. E aqui estou eu sentada com um terrier escocês nos meus pés e seu dono sentado na poltrona ao lado. Acontece que o dono do cachorro comprou meu assento para poder viajar com o pet, mas acabou se sensibilizando com a minha situação. Agradeço imensamente e do fundo do coração a esse senhor e ao motorista. © Подслушано / Vk

  • Estava indo para o trabalho pela manhã e vi um morador de rua mexendo em um balde de lixo e retirando algumas latas de comida enlatada. Era visível a transformação no rosto dele com cada lata que ele retirava do lixo. O homem estava muito feliz! Até porque isso significava que teria comida por alguns dias. Quase chorei vendo a cena. Quando cheguei no trabalho, contei tudo aos meus colegas. E no fim, disse: “Desejo que todos nós possamos um dia experimentar tamanha felicidade por causa de um achado inesperado!” Mas percebi que ninguém entendeu de verdade o que quis dizer... © Karusel320 / Pikabu

  • Encontrei 20 mil rublos bielorrussos em 2003 (aproximadamente 65 reais em valores atuais) perto de um quiosque em uma estação de ônibus. Como não havia ninguém por perto que pudesse ter deixado cair, peguei o dinheiro para mim. Com ele, comprei um toca-fitas, duas fitas cassetes do Linkin Park e ainda deu para uma lata de Pepsi. Não foi uma grande quantidade de dinheiro, mas aquilo me deixou inacreditavelmente feliz na época. © Андрей Шелег / Thequestions

  • Uma vez recebemos uma senhorinha e sua neta da Sibéria como hóspedes por uns dias em nossa casa. Em uma conversa sobre pinhões, dissemos que nunca havíamos provado essa iguaria. Elas, então, falaram: “Ah! Nós vamos enviar para vocês”. Claro, não ficamos esperando pelos pinhões, até porque acreditamos que elas tivessem apenas falado da boca para fora. Mas dois meses depois acabamos recebendo uma caixa cheia de pinhões e algumas pinhas ainda fechadas. Inacreditável! O sabor é inesquecível, mesmo já tendo se passado 35 anos. Agradeço a elas! © Mardg / Pikabu

  • O ano era 1984. E tudo ocorreu durante minha infância nos tempos da União Soviética. Era primavera, então chuviscos e poças de água pelo chão eram frequentes. Estava brincando com barquinhos de papel em um córrego perto de um mercado, quando, de repente, percebi uma nota de 100 rublos soviéticos (aproximadamente 900 reais em valores atuais) boiando em minha direção! O dinheiro foi se aproximando lentamente, e eu não conseguia acreditar em tamanha sorte. Fui correndo para casa com a nota. Inicialmente, minha mãe fez um longo discurso dizendo que não devemos pegar nada que não é nosso, mas depois foi mais flexível e comprou o conjunto “Jovem Químico” (acho que custou cerca de 15 rublos soviéticos) e uma lata de ervilhas Globus de presente para mim. Ah! Se vocês soubessem o sabor dessas ervilhas! Ganhei o dia! © Dmitrijs Oļehnovičs / Thequestions

Você se considera uma pessoa sortuda? Já encontrou a “sorte grande” por acaso, como ocorreu com os internautas do post? Conte para a gente na seção de comentários.

Imagem de capa JackLalanne / Reddit
Compartilhar este artigo