20+ Pessoas contaram quais as situações no trabalho que as levaram ao limite da paciência

Em qualquer trabalho, ocorrem situações que levam até mesmo as pessoas mais calmas ao ponto de ebulição. Às vezes, foram os 15 anos que levaram para economizar para aquela viagem especial; ou os clientes petulantes e irresponsáveis; ou os colegas tagarelas; ou, ainda, quando é tudo por conta de uma bendita caneta.

Nestas histórias, que foram cuidadosamente escolhidas pelos autores do Incrível.club, internautas compartilharam com bastante bom humor as situações que mais os irritaram no trabalho — com as quais muitos de nós poderemos nos identificar. Confira!

Há uns sete anos, nos mudamos para a nova agência bancária da nossa filial — eu, um funcionário de caixa e uma faxineira. Certa vez a faxineira ficou doente, e o local ficou muito sujo em pouco tempo. Então, peguei um esfregão, comecei a limpar o chão e, nessa hora, um cliente entrou. Perguntei: “Como posso ajudar?” Fui ignorada. Tudo bem, continuei limpando. Ele deve ter ficado cansado de esperar e pediu para falar com o funcionário do departamento de empréstimos. Fui lavar as mãos e o convidei para entrar na sala. Logo após me ver, ele ficou pálido e soltou: “Nossa, nunca uma faxineira avaliou minha solicitação de empréstimo, quero falar com o diretor!” O que fiz? Pus o colete com o crachá que dizia “Diretora da filial nº 8”, meu nome e a foto. Ele saiu correndo de lá na velocidade da luz. © аbsentis / AdMe

— Cara, os mouses de todos os contadores pararam de funcionar hoje! Vá lá resolver!
Fui lá ver que praga do mouse foi essa. Reiniciei os computadores, mexi no mouse, nenhum funcionava. Conectei o meu, funcionou. Pensativo, decidi virar os mouses e vi que na parte de baixo, havia uma etiqueta com o número de inventário bloqueando o sensor. O inventário havia sido realizado no dia anterior! © Bash.im

Eu estava internado no hospital. Ao meu lado, havia um homem deitado, que parecia estar em um estado bastante sério. Ele começou a implorar aos médicos para ser liberado, dizendo que teria de apresentar o relatório trimestral no trabalho. O médico perguntou: “Meu Deus, será que ninguém pode fazer o seu relatório?” A resposta foi: “Esse é o problema, podem”. © MiaVia / PIkabu

Eu estava passando as férias na praia. Faltava uma semana para terminar meus dias de folga, quando meu diretor ligou:
— Cadê você?!
— Num restaurante à beira-mar.
— Amanhã, quero você aqui! Ou está demitido!
Peguei minha família e voltamos para a cidade correndo. Na manhã seguinte, cheguei ao escritório, encontrei o diretor, e ele disse: “E por que veio trabalhar hoje?” © Aleksei Matyushkin / Facebook

O que mais me irrita no meu trabalho é o cara que senta bem ao meu lado. Ele fala sozinho o dia todo e me conta do progresso que está tendo no Sim City. Aliás, nunca perguntei sobre o jogo, nem sequer sei jogar. Além disso, ele come muffin com tudo. Hambúrguer e batata frita? Melhor pegar um muffin. Salada no almoço? Melhor pegar um muffin. © bistec / Reddit

Eu costumava trabalhar em uma empresa que seguia um estilo de administração conhecido por “gestão da gaivota”: a cada três meses, o sobrinho incompetente do CEO voava de outra cidade para o nosso escritório, gritava com todo mundo, só fazia besteira e depois voltava como se tudo estivesse resolvido. © Ryan Jentzsch / Quora

Muitas pessoas já devem ter passado pelo clássico problema de “posso pegar sua caneta por um segundo?” e depois a encontram na mesa aleatória de alguém. Bom, desta vez, passaram a mão no meu grampeador. Fiquei com muita preguiça de sair procurando o malfeitor, então decidi seguir minha vida.
— Amiga, — me virei para a colega, que sentava à minha esquerda — você tem um grampeador extra? Algum sem-noção roubou o meu.
Ela nem teve tempo de responder, quando escutei a voz revoltada da colega à minha direita:
— Roubei, não, peguei emprestado. Tá aqui, toma!
Essa menina está há uma semana sem falar comigo direito. © JxaJxa / PIkabu

Cheguei ao trabalho de manhã, abri meu escritório que estava trancado e vi... meias masculinas molhadas penduradas na cadeira em frente à minha mesa! O que aconteceu foi que o segurança lavou as meias no banheiro e não teve nenhuma ideia melhor senão abrir a minha sala e pendurá-las na minha cadeira até secar. © ekaterina komakova / Facebook

Trabalho como garçonete. Odeio quando vou a uma mesa, me apresento e pergunto se querem saber os pratos do dia. Enquanto isso, dois de seis clientes estão mexendo no celular. Depois de explicar tudinho, um deles finalmente levanta a cabeça e pergunta: “Qual o especial do dia?” Sorrio e explico novamente. Então, um dos clientes, que, pelo visto, ainda enviava mensagem pelo celular, também levanta a cabeça e faz exatamente a mesma pergunta. E eu, como um papagaio, sorrio e repito pela terceira vez. Parece que algumas pessoas pensam que elas são as únicas a quem preciso atender. © Rebecca Mason / Quora

Eu precisava de uma caneta. Imaginei que era um pedido aceitável. Fui até o armário de materiais do andar, mas estava trancado. Perguntei na recepção, e a pessoa me disse para ir até o depósito geral no subsolo. Fui até lá e expliquei que queria uma caneta. Eles disseram que todos os pedidos por materiais deveriam ser previamente aprovados pela chefe do departamento. O problema é que eu era novo e nem havia conhecido a mulher, sem contar que ela trabalhava em outra cidade. Então, tive de mandar um e-mail, me apresentando e também perguntando se poderia pegar uma caneta. © NicolasCage4eva / Reddit

Meu tio (gastroenterologista) e sua esposa (investigadora) viajaram de férias para a França, onde escutaram de muitos novos conhecidos: “Uau! Um médico e uma policial?! Vocês devem estar bem de vida”. Eles falaram que não tiveram coragem de admitir que economizaram por 15 anos para fazer aquela viagem. © valenayaspers / Twitter

Trabalhei como gerente em uma loja de eletrônicos que também era uma lan house. Uma das coisas que mais me deixou irritado foi que o dono não pagou a internet, então ela foi cortada. Depois, me perguntou por que o fluxo de clientes havia caído. Quando o lembrei de que a internet não havia sido paga, ele disse para eu ligar para a empresa e resolver. Perguntei se ele aprovaria o pagamento. Ele disse que não. © beasty4k / Reddit

Um cliente chegou e disse a um dos funcionários:
— Então, podemos instalar um sistema novo de alarme? Já trabalhei com vocês antes.
— Sem problemas, mas com o senhor só trabalharemos com pagamento adiantado.
— Que pena! Perderam um ótimo cliente!
Quase seis meses atrás, esse cliente fez um pedido. Concordamos que o pagamento seria feito no momento da instalação de um sistema de câmeras de segurança e um cadeado eletrônico. Após terminar o trabalho, o cliente verificou e disse estar satisfeito, mas notou que não tinha dinheiro em mãos. Concordou fazer uma transferência no mesmo dia ao funcionário. Ligamos mais tarde, o dinheiro não havia sido enviado e o cliente não atendia nossas chamadas. Atendeu só depois de ligarmos de um número desconhecido, pagou pelo serviço apenas uma semana mais tarde, após receber lembretes diários da nossa empresa e ainda disse estar insatisfeito. © vodorodik / Pikabu

No trabalho, o tempo que levávamos para ir ao banheiro era deduzido dos nossos intervalos de 15 minutos ou do horário de almoço. Era preciso ir ao gerente pegar a chave do banheiro, e então ele começava a marcar o tempo. Ele parava de marcar quando voltávamos para devolver a chave. Éramos fiscalizados o tempo todo. Além disso, se você cometesse um erro, eles ficavam observando e marcando o tempo, que seria deduzido, até o problema ser resolvido. Também não era permitido levar comida com “cheiro forte” para o almoço, e não havia nem micro-ondas. Terminei o meu contrato e meti o pé de lá. © jamaidens / Reddit

Me irrita quando não respondem o que estou perguntando. Um exemplo simples. Liguei para a secretária:
— Oi, Ana, o diretor assinou os documentos?
— Estão na mesa da Agatha, — respondeu a Ana e desligou.
Sim, parece estar implícito que os documentos foram assinados, e a Ana os colocou na mesa da Agatha. Mas por que não pode responder: “Sim, assinou, estão na mesa da Agatha”? Fui à mesa da Agatha, peguei os documentos, e não estavam assinados: o diretor riscou tudo e disse para refazer. Meu Deus! Custava dizer isso pelo telefone?! © ZfRom / Pikabu

Havia um menino no trabalho que cheirava muito mal. Sempre que ele chegava, era hora de correr. Mas como era um assunto delicado, tínhamos medo de ofendê-lo dizendo alguma coisa. Então, após algum tempo, uma colega não aguentou mais e disse tudo o que estava entalado. Nossa, como a vida ficou mais fácil! Depois de um ano, esse rapaz ainda agradeceu a nossa colega. © Elena Lazebnik / Facebook

Uma colega no trabalho vendia cosméticos. Um dia, ela decidiu tentar me vender um creme antienvelhecimento, pelo preço da asa de um Boeing. “Compre, sim, vale a pena, você passa uma só vez e vai parecer muito mais jovem do que seus 40 anos!” Antes de rejeitar a oferta e sair, apenas disse a ela que eu já tinha 48. © Vikotoria Sergeeva-Filippova / Facebook

No fim da semana, alguém sempre conseguia roubar a tesoura da minha mesa. A funcionária do almoxarifado já havia me dado a quinta tesoura e disse que era a última, pois não comprariam mais materiais em breve. E novamente sumiu, como de costume. Eu precisava resolver o impasse, e decidi realizar um pequeno plano maquiavélico. A primeira coisa foi ir à papelaria e comprar uma tesoura grande de metal. Então, comprei dois metros de uma corrente de aço em uma loja de ferramentas. Daí, tive de organizar minha mesa de tal forma que a corrente não ficasse à vista facilmente. O resultado foi melhor que o esperado, e descobri depois que todas minhas tesouras estavam com diferentes funcionários espalhados pelos quatro andares. Nos dois anos seguintes, ninguém nunca mais tentou pegar nada meu. © dockerface / Pikabu

Eu tive um chefe que era um terrível “vampiro” de energia. O que ele mais gostava de fazer era gritar com o pessoal (éramos quatro mulheres de faixas etárias distintas) e se divertir com o nosso nervoso. Então, um dia, ele gritou tão alto, que sua dentadura saiu voando e caiu em cima da mesa. Desde esse dia, não consegui mais levar os gritos dele a sério. © Elena Grigorenko / Facebook

Que situações no local de trabalho já tiraram você do sério? Houve momentos engraçados com clientes ou com os colegas de que você se lembra até hoje? Compartilhe conosco!

Compartilhar este artigo