Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

20+ Leitores do Incrível compartilharam histórias de como as pessoas podem ser “cara de pau”

A falta de tato e insolência de algumas pessoas são realmente traços de caráter. Imagine não ter a menor vergonha de furar uma fila, ser folgado e agir com um estranho como se ele fosse um amigo, e ainda considerar tudo isso normal. Entretanto, para a maioria da sociedade, tal comportamento causa apenas repulsa e perplexidade.

Nós, do Incrível.club, já publicamos vários posts sobre histórias dos nossos leitores que tiveram de enfrentar a tremenda “cara de pau” de algumas pessoas no dia a dia. E o fato de nossos leitores continuarem a contar histórias semelhantes, só prova que não há limite para a arrogância humana. Confira!

  • Fiz a besteira de contratar uma parente. Depois de algum tempo, a empresa cresceu e mudamos o esquema na folha de pagamento, o que fez com que o salário dela crescesse em 40%. Após 2 meses, ela começou a pedir aumento de salário todo mês dizendo que estava gastando mais do que ganhava. © Николай Кузнецов / Facebook
  • Uma vez, uma amiga me convidou para passar o Ano-Novo com ela. Pensei, bem, vou levar uns doces, frutas, alguma carne para assar e comentei com ela o que estava pensando em levar. No dia seguinte, ela me mandou uma lista do que comprar, além das coisas que eu já tinha dito que levaria. Eu simplesmente disse a ela que aquele tanto de comida daria para 2 semanas e que provavelmente não iria para a casa dela.
    A propósito, ela delegou para outra amiga uma lista enorme de comida também, e metade das coisas que essa outra amiga levou, não foi colocada na mesa. © Марина Романова / Facebook
  • O vizinho do andar de cima (aliás, um ex-colega) nos pediu nossa mesa da cozinha emprestada. Sem perguntar para quê, emprestamos. Talvez ele estivesse esperando por visitas, sei lá. Um tempo depois, ele devolveu a mesa toda manchada de tinta. Quando perguntei o que aconteceu, ele teve a “cara de pau” de simplesmente responder: “Nós usamos para pintar o teto, tínhamos de pisar em algo, a nossa mesa é nova e a sua é velha”. Fiquei sem palavras. © Геннадий Рукша / Facebook
  • Em um ano que tive uma colheita ruim e havia muito espaço no meu freezer, permiti que minha amiga trouxesse suas frutas para congelar. No ano seguinte, ela apareceu novamente cheia de frutas para congelar. Quando disse que não tinha espaço, ela ficou surpresa e disse: “Como assim, você dobrou sua quantidade de frutas? E onde vou armazenar as minhas?!” © Марина Макеева / Facebook
  • Alguns conhecidos de fora da cidade nos chamaram para passar o Ano-Novo com eles. Perguntei o que deveria levar, e eles me disseram: “Um ganso”. Fiz uns éclairs e assei um ganso robusto. Passei o dia todo cozinhando. Chegamos lá. E o que tinha para ceia era um pequeno prato com azeitonas e algumas fatias de salame defumado. © Lyubov Zeveleva / Facebook
  • Fui passar férias em Gornoye Loo, na Rússia. O filho dos vizinhos teve febre alta à noite. Como sou médica, ofereci ajuda. Cuidei do filho deles e eles foram dormir. Uma semana depois, quebrei o dedo do pé. Pedi ajuda a esses mesmos vizinhos para me levar em um hospital de carro. Eles simplesmente responderam: “Os ônibus circulam por aqui, viemos para descansar, não para dar carona a vizinhos”. © Юлия Устимова / Facebook
  • Uma velha amiga me escreveu dizendo que estava passando por necessidades. Ela falou que estava sem dinheiro e não tinha como alimentar os filhos. Pedi que ela fizesse uma lista dos produtos que estava precisando, para não comprar nada desnecessário. Comprei tudo que ela pediu e um pouco mais. Chamei um entregador, repassei a lista e vi que esqueci de comprar manteiga. Peguei a minha na geladeira, coloquei nas compras e mandei pelo entregador. Não recebi nenhuma ligação ou mensagem dela. Pensei que o entregador não tivesse feito a entrega, então decidi escrever para essa amiga. Ela respondeu: “Não queria seus restos de comida! Isso não se faz com seres humanos!” © Вероника Уомбуелл / Facebook
  • Minha vizinha, uma vez, convidou eu e o meu filho para comer bolinhos. Chegando lá, na verdade, descobrimos que tínhamos de “ajudá-la” a fazer os doces. Pensei que seria preciso apenas assá-los, mas, não, tivemos de fazer a massa e o recheio. No fim, eu mesma fiz tudo e comemos. Detalhe, nossa vizinha mora com 5 crianças e 3 adultos. Depois ela me convidou para fazer lasanha. Recusei educadamente e ela me chamou de preguiçosa. © Татьяна Ким / Facebook
  • Estava em São Petersburgo e decidi ir ao zoológico. Estava quente, então comprei um sorvete, que custou 5 reais (detalhe importante!). Estava andando pelo zoológico, quando um casal com uma criança em um carrinho de bebê, ambos com cerca de 30 anos de idade, veio em minha direção. Eles pararam na minha frente e com um sorriso amarelo me perguntaram: “Com licença, você poderia nos dar 15 reais para comprar sorvete para o nosso filho”. Chega me engasguei com a “cara de pau” deles. © Jelena / AdMe
  • Uma amiga me convidou para passar o Ano-Novo com ela e seus amigos, e comentou que teria alguns que eu não conhecia. Além disso, ela disse que eles não tinham um local ainda para fazer a celebração e me perguntou se podíamos ir para a casa de campo dos meus pais. Eu disse que precisava conhecer os amigos dela primeiro. Marcamos o dia, chegando lá, tinha cerca de 30 pessoas estranhas. E ela já tinha falado a todo mundo que passaríamos o Ano-Novo na minha casa. Ela nem sequer me apresentou a ninguém. Fiquei lá de escanteio, todo mundo conversando.
    Depois descobri que ela anunciou no Facebook convidando todo mundo para passar o Ano-Novo em uma casa de campo. Mas de quem era essa casa, ela não falou uma palavra. Quando a confrontei, ela disse: “Você que arrumou essa confusão, limpe você mesma!” Fiquei ofendida! © Екатерина / AdMe
  • Compramos um apartamento no segundo andar e fizemos uma boa reforma nele. Depois de um tempo, uma mulher que mora no quinto andar veio até nós quase exigindo que trocássemos de apartamento com ela, dizendo que seu pai é idoso e que é difícil subir e descer as escadas. Mas no prédio tem elevador. Ficamos chocados com tal “oferta”. © Людмила Шиленко / Facebook
  • Meus vizinhos acham que devo limpar a entrada porque tenho um apartamento de três quartos e eles um de apenas um cômodo. © Larisa Bashkina / Facebook
  • Meu vizinho acha que tenho de limpar o corredor só porque tenho dois cachorros e eles andam com as patas sujas pela área comum. Disse que só faria isso se todos os outros vizinhos tirassem o sapato no elevador e não andassem pelo corredor com os sapatos sujos. © Елена Гюрза / Facebook
  • Nos anos 90, comprei um apartamento com meu ex-marido. Estávamos na casa dos 20 anos, trabalhando no ramo de publicidade e ganhando um bom dinheiro. Nós reformamos o apartamento inteiro. Contudo, o pessoal que cuidou do encanamento foi bem descuidado. Eles não instalaram corretamente os aquecedores. Quando os ligamos no outono, os aparelhos explodiram e isso acabou causando uma leve inundação no vizinho de baixo. Nós, claro, assumimos a culpa e demos a ele 600 dólares para pintar o teto — o que era muito dinheiro naquela época. O resto do apartamento escapou ileso.
    Imagine minha surpresa quando, algumas semanas depois, minha vizinha me chamou e mostrou seu banheiro todo acabado / bastante degradado e disse: “Veja como vivemos. Seu apartamento é lindo! Me dê dinheiro para reformar o meu”. Bem, fiquei chocada com a “cara de pau” e obviamente neguei. Desde então, nossos vizinhos nos odeiam. © Жанна Лисовская / Facebook
  • Um tempo atrás, comecei a me envolver com fotografia. Fiz uns cursos, comprei uma câmera boa. Um amigo me convidou para o seu casamento. Já tinha fotógrafo, mas também tirei umas fotos. No final, tirei umas fotos bem boas.
    Seis meses depois, uma amiga nossa em comum me convidou para o seu casamento. Junto com o convite, perguntou se eu levaria a câmera. Como sempre andava com ela naquela época, disse que sim.
    Quando estava perto da cerimônia, surgiu uma viagem de negócios de última hora em outra cidade no mesmo dia do casamento. Tudo aconteceu de uma forma muito espontânea, então escrevi para ela no dia anterior a festa dizendo que não poderia ir, mas que queria que ela fosse muito feliz.
    Imediatamente ela ligou para mim aos berros me esculhambando dizendo que decepcionei não só ela, mas todo mundo; que não ia encontrar um fotógrafo de última hora agora e que só tinha me convidado por causa da câmera. © Виктория Седакова / AdMe
  • Cerca de 10 anos atrás, meu irmão e sua esposa me convidaram para passar um mês em sua casa, já que minhas férias estavam começando. Eles moravam a 300 km de distância de mim. O convite, na verdade, era para cuidar do meu sobrinho enquanto eles trabalhavam. Após eles insistirem muito, concordei. Não ia fazer nada nas minhas férias mesmo.
    Passei o mês cuidando do bebê, fazendo jantar para a família inteira, fazia compras, lavava a louça (no minuto que a esposa dele viu que lavei a primeira vez, ela parou de lavar). Resumindo, fui um empregado doméstico para eles.
    Quando chegou o dia de eu ir embora, a esposa dele veio com um papel no qual estava escrito tudo que eu devia e o porquê. A dívida era de 500 reais. Isso apesar de eu ter trazido várias comidas da minha casa.
    Além disso, eles tinham me prometido pagar algum dinheiro diariamente por ter cuidado do meu sobrinho. Na verdade, ela contou 800 reais, mas “perdoou” 300 por eu ter feito as atividades domésticas. Não consigo nem expressar o quanto fiquei magoado.
    Mas o engraçado é que eles tiveram a “cara de pau” de me chamar no ano seguinte novamente. Claro, recusei. Depois descobri que meu irmão não sabia da história, mas ele ficou tão chocado que não acreditou em mim.
    E depois disso tudo, a esposa do meu irmão me ligou e disse: “Você sabe que o aniversário da Nastya é em um mês, queremos que você dê a ela um cachorrinho”. Nastya é a filha mais velha do primeiro casamento dela, e que me tratou como um completo estranho no tempo que estive lá. E ela queria um filhote de cachorro que custava 1500 reais. Meu salário na época era 1700. © Макс Асмолов / Facebook

Qual a situação mais embaraçosa que você já se deparou por causa de uma pessoa “cara de pau”? Conte para a gente na seção de comentários.

Compartilhar este artigo