Incrível
Incrível

20 Histórias para mostrar que para se livrar de um emprego ruim, é preciso se colocar em primeiro lugar

Muitas vezes nos sujeitamos a situações desagradáveis, que não nos fazem bem, em prol de algo maior. No entanto, mesmo que tais circunstâncias desconfortáveis aconteçam, elas podem nos ensinar o nosso valor e ao que não devemos mais nos sujeitar. No fim, toda experiência nos transmite lições importantes e nos torna mais forte, e, claro, no ambiente de trabalho isso não se dá de maneira diferente.

Por isso, o Incrível.club reuniu relatos de pessoas que tiveram situações de trabalho aborrecedoras, mas que nos mostraram como devemos nos colocar em primeiro lugar. Confira só!

  • Trabalhei em uma concessionária por 12 anos e comecei bem debaixo. Fui aprendendo e evoluindo conforme minha capacidade, até me tornar chefe de escritório. Um belo dia, demitiram meu gerente e até pensei que me “jogariam um osso” para tentar exercer o cargo dele. Porém, contrataram um amigo do diretor que nem sabia responder e-mail sozinho! Ele tentava aprender tudo rápido para me demitir; quando percebi isso parei de ajudar e fiz corpo mole para me mandarem embora. Moral da história: ele foi demitido pouco tempo depois e hoje sou grato, pois montei meu próprio negócio e vivo muito mais feliz! Caro é manter funcionário ruim! ©️ Cesar Augusto Legitimo/ Facebook
  • Resolvi pedir ao meu chefe para trabalhar menos horas por algumas semanas porque eu estava na reta final para obter um segundo diploma universitário. Pediram que eu fizesse horas extras porque minha colega (narcisista) não conseguiria terminar seu projeto a tempo (ela nunca o fazia, sempre algo “acontecia com ela”, então outra pessoa tinha de transformar os erros que ela produziu durante os meses inteiros do projeto em um sucesso, isso em questão de dias, basicamente operando um milagre). Concordei. O chefe pediu que eu substituísse nosso líder de departamento que estava com burnout (sem receber a mais por isso). Concordei. A narcisista e outro colega passaram a me perseguir. O chefe promoveu a narcisista para ser a líder do (meu) departamento. Tentei continuar por algum tempo, mas tive burnout. Pedi transferência para outro setor. O chefe negou. Pedi demissão no dia em que retornei. Uma das melhores decisões da minha vida. E sim, eu fui um tolo por aguentar aquele ambiente tão ruim e aquelas pessoas tóxicas por dez anos. Foi um dos meus primeiros empregos depois da universidade, e eles incutiram a ideia de que não valíamos nada e que tínhamos de ficar felizes em trabalhar para eles. Mas eu aprendi minha lição. Nunca mais vou trabalhar para um covarde, para um narcisista ou em um ambiente tóxico. Tenho um ótimo trabalho e um excelente chefe agora, minha vida melhorou 200%. ©️ tirali11 / Reddit
  • Me escrevi num estágio e fui para a entrevista. Uma senhora me entrevistou e falou do salário que eu iria receber. Respondi que tudo bem ser um valor bem baixo, pois eu iria aprender muito trabalhando na empresa. A pessoa me respondeu que eu tinha sorte em receber alguma coisa, pois na época dela ela pagava para trabalhar e aprender. Disse que me retornaria até dia X, pois eu era ótima. Passaram-se meses e não recebi resposta. Fiquei contente. ©️ Cassiane Sasset/ Facebook
  • Eu fiz um curso para recepcionista de consultório médico numa agência de empregos, fui muito bem e logo indicaram uma vaga numa clínica. Estava precisando do trabalho, então fui. Descobri que não pagavam em dia a enfermeira, não pagavam contas de equipamentos, e nada de vale-transporte para ninguém. Falei para o Dr. que eu iria sair, que não havia me adaptado. Para minha surpresa, ele ligou para a agência e ainda inventou uma mentira. ©️ Tatiana Lustosa Dalallibera / Facebook
  • Já tive ótimos patrões e também tive péssimos. Num dia, tinha saído de um plantão de 12 horas do hospital e fui para a casa de uma senhora que eu cuidava. Na madrugada, com fome, peguei duas bananas e comi. No outro dia, escutei um escândalo vindo da varanda e fui ver. A mulher estava furiosa. Falei que tinha sido eu a comer e fiquei chocada com o que ela me falou. Aí não prestou. A sua próxima atitude foi fechar tudo com cadeado, até a geladeira. Falei umas coisas para ela, peguei minha bolsa e fui embora. Detalhe: não esperei ninguém para me substituir. Só não chamei ela de “santa”, de resto chamei de todos os nomes. Nunca vou esquecer isso. ©️ Jack Carvalho/ Facebook
  • Trabalhei para uma empresa por cinco dias, comecei na segunda-feira e pedi demissão na outra segunda. Motivo: O vestiário dos funcionários vivia alagado, não tínhamos onde nos trocar e o marmiteiro não funcionava, tínhamos de comer marmita fria. Enquanto isso, os diretores passeavam de helicóptero. Mas o mais impactante foi que depois de trabalhar 15 horas direto, avisei que teria de sair, pois minha mãe estava passando mal, e o meu chefe disse por telefone que eu não estava autorizado a sair. Informei que não estava pedindo, estava apenas comunicando. Na segunda já estava com a carta de demissão pronta. ©️ Wil Witmar / Facebook
  • Um corte salarial de 10% para todos os funcionários anunciado em teleconferência para toda a empresa. Em seguida, perguntaram se havia alguma dúvida. “Apenas uma, David. Já que todo o pessoal de operações está recebendo um corte de 10% no salário, suponho que isso afetará também você e todos os outros no QG...” Um silêncio tremendo. Pedi demissão uma semana depois e consegui um emprego em uma empresa incrível onde fiquei por seis anos. ©️ Grunt0802 / Reddit
  • Quando eu era estagiária numa grande empresa, me mandaram ficar depois do meu horário para entregar um negócio urgente, sem nem perguntar se eu poderia. Aparentemente não havia funcionários efetivos para fazer a tarefa. Largaram duas estagiárias sozinhas para fazer o trabalho sem supervisão. No dia seguinte, só ganhei um obrigada. ©️ Marina Moghrabi/ Facebook
  • Estava procurando emprego adoidada, precisando demais do dinheiro há muito tempo. Cortaram minha água, energia e quase não tinha o que comer. Fui morar de favor na casa de uma amiga. Nesse tempo, ainda procurando emprego, uma escola de idiomas me chamou para vaga de secretária. Me arrumei e fui no horário combinado. Como estava acostumada, as entrevistas sempre ocorriam em uma mesa, faziam perguntas, ou no máximo rolava uma seleção com muita gente fazendo provas e atividades eliminatórias. Essa escola foi diferente: eles me deixaram com outro garoto para a vaga na recepção ao lado da funcionária o dia todo. Ficamos até as 17h sem comer nada, sem intervalo, sem aprender, nem treinar praticamente nada. Eu fazia muitas perguntas sobre como funcionava tudo, mas a funcionária deu mais valor à limpeza da escola. Eu, morrendo de fome, só tive acesso à água. Não questionei nada sobre lanche, almoço, pagamento ou horário para terminar essa “entrevista de emprego” porque queria muito a vaga. No final do dia, quase já escuro me falaram: “Bom, já estamos fechando a escola. Temos seu número, qualquer coisa te ligamos”. Nunca mais. ©️ Chilena Misora/ Facebook
  • Já trabalhei em uma lanchonete onde a dona só dava ordens e queria ser a rainha do serviço. Pois bem, em meio à alta temporada, com a loja bombando no movimento, ela veio brigar porque um pedido saiu errado. Ela disse que não tínhamos competência para o serviço. Até hoje me pergunto como ela trabalhou o dia todo sozinha na loja para fazer os pães, bolos, doces, salgados, atender balcão, fazer lanches e atender o caixa. Isso porque no mesmo instante que ela fez isso, todos os dez funcionários saíram da loja, hahaha. No outro dia, ela veio chorando nos pedindo perdão, hahaha. Melhor dia! ©️Andre Silveira Jr. / Facebook
  • Trabalhei em uma empresa que me mandaram embora sem nenhuma razão e quando fui receber meu acerto não tinham dinheiro. O RH disse que o banco não havia liberado ainda, tentei contato mais duas vezes com a empresa, sem sucesso. Decidi procurar um advogado, no dia da audiência a nora do dono da empresa que foi representar. A mesma disse ao juiz que eu não fui receber porque eu não quis. No entanto, o juiz tinha em mãos todas as provas de que eles que não me pagaram, inclusive mensagens deles enrolando e inventando desculpas. ©️ Lwdy Martins/ Facebook
  • Trabalhei em uma empresa por sete anos, mudou a gerência e ele decidiu que eu seria transferida para mais longe. Ele disse que não tinha motivo, que me consideravam uma ótima funcionária, mas achava melhor assim. Eu disse que preferia ser demitida, pois tinha um filho pequeno e não tinha nexo trabalhar longe. Ele aceitou e ficou perguntando se eu tinha alguma dúvida. Perguntei se podia ir para casa, era um feriado e ele deixou. Depois fiquei sabendo que era uma estratégia para eu suplicar e ele baixar meu salário. ©️ Luciana Vasconcellos/ Facebook
  • A empresa que eu trabalhei fechou as portas de repente, dizendo que iria abrir em outro endereço. Ficamos em casa cinco meses sem receber um centavo e o gerente nos prometeu pagar um salário. Quando abriu novamente foi pior, fiquei dois meses trabalhando sem receber nada. Diziam que não tinham dinheiro, que mal dava para pagar o aluguel da loja. Estou sem pagamento de dezembro e janeiro, e sem 13o salário. ©️ Izabel Cristina/ Facebook
  • Eu trabalhava em uma empresa e fui demitido para que uma amiga da minha chefe pudesse entrar e ser contratada, mas ela me entregou seis pastas e disse que precisava daquilo para sexta. Disseram que se eu não fosse trabalhar durante o aviso-prévio, seria notificado judicialmente, então eu fui. Na sexta, ela me perguntou sobre as pastas e se já estava tudo pronto. Eu respondi que não havia feito, nem sequer havia aberto as pastas. Com isso, ela virou para mim e perguntou: “Ah, ótimo, e o que eu faço agora?” Eu respondi: “Não sei, você pode me demitir se quiser”. Recebi todo o aviso-prévio e não precisei ir mais. ©️ Felipe Dias/ Facebook
  • O diretor da empresa que eu trabalhava fez uma reunião com os funcionários para anunciar que o gerente estava sendo demitido — motivo da demissão: ele era muito bom e precisa estar livre para alçar voo. Precisava conseguir algo melhor para ele, pois naquela empresa ele não teria como crescer, e mantê-lo na empresa não seria justo com ele. Bem, o gerente (que era meu cunhado) poderia crescer sim, tomando o cargo do diretor. ©️ Barbara Quedas/ Facebook
  • Um amigo contou que combinou com os demais da área dele que todos iriam trabalhar no sábado para adiantar o serviço. Um ofereceu para levar pão, o outro disse que levaria doce, outro levaria uma garrafa térmica com café, e já estava até parecendo uma festa, pois todos estavam bem entusiasmado. Nesse dia, ele aprendeu o que significa sarcasmo, pois foi o único a comparecer e como ninguém mais foi, ele ficou quase o dia todo trabalhando sozinho. Não pararam de pedir coisas para ele fazer, detalhe: sem considerar hora extra, pois era proibido bater o cartão fora do horário de serviço, senão poderia dar problema com o RH. ©️ Eliana Honda Ouki/ Facebook
  • Eu comecei a trabalhar em uma multinacional, depois de três meses mudaram meus dias de trabalho de segunda a sexta, para segunda a sábado. Pagando hora extra, mas sendo obrigado a trabalhar fim de semana. Passaram dois meses, reduziram 48 min de trabalho de segunda a sexta, então aos sábados parei de ganhar hora extra e era obrigado a compensar as horas. Passaram quatro meses, eles me obrigaram a ficar de plantão durante a semana inteira de segunda a domingo, até as 22h. Mesmo sabendo que eu fazia faculdade de noite, inclusive foi por causa dela que me contrataram. Resumindo: esfreguei na cara deles uma cláusula do meu contrato que dizia que eles não poderiam mudar minha carga horária sem as duas partes estarem de acordo. Eu parei de fazer plantão e trabalhava só de segunda a sexta. Os outros funcionários que tinham medo de serem demitidos continuaram a trabalhar sem reclamar, e eu era o único técnico que não fazia plantão. Não pode ter medo de ser demitido, um emprego precisa ser bom para os dois não só para o empregador. ©️ Theo Ramires/ Facebook
  • Eu entrei em uma empresa como estagiária e a minha chefe (que começou na empresa apenas três meses antes de mim) disse para a gerência que não precisava de assistente e que daria conta do serviço. Acontece que eu passei a ser assistente dela com um salário de estagiária e, quando dava minha hora de ir embora, ela achava um absurdo eu querer sair no meu horário. Passou um ano, fui contratada como atendente de telefonia e ela achava um absurdo eu não conseguir executar as minhas tarefas e o trabalho que ela me passava. Falei com ela para me contratar como assistente ou contratar um assistente. Ela me chamou de incompetente e que esse comportamento não seria tolerado. Simplesmente parei de fazer o trabalho dela e me dediquei somente ao meu. No final, ela acabou sendo demitida por não conseguir fazer o trabalho dela. O novo chefe que entrou me contratou como assistente e colocou outro no cargo que eu ocupava. ©️Janine Castro/ Facebook
  • Uma vez trabalhei por dois dias numa empresa de cobrança. No primeiro dia, peguei uma tarefa fácil, no segundo dia, eles me fizeram ensinar uma garota nova e me mudaram de posição. Quando fui fazer uma pergunta, o dono me disse: “Você fez faculdade de Administração e não sabe nada sobre cobrança?” Olhei abismada para ele, que resolveu me dar um sermão de duas horas. No dia seguinte, só mandei uma mensagem avisando que não iria mais. ©️ Elis Marina Gonçalves Brandão/ Facebook
  • Quando mais nova, fui contratada para ser cozinheira em uma casa. A comida e a organização da cozinha eram minha responsabilidade, mas toda vez que terminava o meu trabalho a “patroinha” vinha: “Lau, você ajuda a ’fulana’ na arrumação da casa?”, “Lau, você ajuda a ’sicrana’ na organização das roupas?” Eu ficava com dó das mulheres e ajudava. Até o dia que o carro da filha dela deu vazamento de óleo e manchou todo o piso da garagem. Aí a coitada da “fulana” foi lá com removedor e esponja de cozinha para remover o óleo. Aí a “patroinha” novamente me pediu para ajudar. Eu disse um sonoro: “NÃO!” Ela teve a audácia de perguntar a razão. Eu respondi para ela que a fulana era uma coitada, servil e que eu não fui contratada para aquele tipo de serviço. Ela, da altura de sua arrogância, me disse: “Eu desconfiava que você não tinha o perfil para trabalhar em minha casa”. Respondi: “Não, senhora, eu não tenho o perfil para ser escrava. Nasci preta e de pai preto, mas já foi alforriado há muito tempo”. ©️ Laudiceia Silva/ Facebook

Você já passou por alguma situação de trabalho que considerou absurda, mas outras pessoas não? O que aconteceu? Compartilhe sua opinião conosco nos comentários. 😉

Imagem de capa Felipe Dias/ Facebook
Incrível/Curiosidades/20 Histórias para mostrar que para se livrar de um emprego ruim, é preciso se colocar em primeiro lugar
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos