Incrível
Incrível

20 Internautas compartilharam memórias da infância que são um verdadeiro nó na garganta

As crianças levam as coisas muito a sério, isso porque suas almas são puras e acreditam sinceramente na bondade e justiça. Infelizmente, cedo ou tarde, a ingenuidade dos pequenos acaba sendo destruída pela dura realidade do mundo. E os traumas da infância deixam uma marca na memória da pessoa por muitos anos e, às vezes, pela vida inteira.

Nós, do Incrível.club, acreditamos que quase todo mundo tem alguma lembrança traumática da infância, e não há problema nenhum em se envergonhar disso. Pelo contrário, isso serve de lição para os adultos não repetirem os mesmos erros com nossos filhos. Confira!

  • Nós não tínhamos muito dinheiro, às vezes, nem mesmo para o pão. Era véspera de Ano Novo. Teve uma festa de final de ano na escola. No final da celebração, todas as crianças ganharam presentes, exceto eu. Supostamente, meus pais não tinham dado o dinheiro. Minha irmã me levou para casa aos prantos. Minha mãe foi no dia seguinte descobrir por que eu não tinha ganhado presente, já que ela tinha entregado o valor da lembrancinha. Acontece que quem estava organizando guardou o dinheiro em algum lugar e acabou esquecendo. Após as férias, a professora trouxe um doce e um presente como forma de desculpas. Mas não adiantava mais, já tinha passado pelo constrangimento de todo mundo ter um presente e ficarem olhando para mim zombando porque eu não tinha ganhado nada. Nunca esqueci. © Overheard / VK
  • Minha mãe cortava meu cabelo parecendo um menino, enquanto minha outra irmã tinha os cabelos compridos. A razão era simples: minha irmã conseguia fazer seus próprios penteados, mas eu não sabia, então minha mãe tinha preguiça de fazer isso. Mas o pior de tudo foi quando no dia 8 de março mamãe comprou elásticos de cabelo que estavam na moda para mim e minha irmã e ficou rindo de mim. Chorei de raiva. © Overheard / VK
  • Um menino do colégio que gostava de mim me deu um coração de plástico brilhante. Uma vez, estava brincando no pátio e uma garota estranha se aproximou de mim. Mostrei meu coração, brincamos um pouco e depois ela foi até a mãe dela. Então, essa mulher veio e disse: “Devolva! Esse brinquedo é da minha filha”. Ela arrancou o coração das minhas mãos e saiu rapidamente com a filha. Fui até umas velhinhas que estavam sentadas perto, mas elas não fizeram nada. © Suvor / Pikabu
  • Uma vez, fizemos um passeio de barco: eu (com 5-6 anos), minha mãe e meu irmão adolescente. Nadamos até uma ilha, ela me deixou na areia e disse assim: “Bem, agora você vai morar aqui”. E todos foram embora. Comecei a chorar olhando o barco indo cada vez mais longe. Aqueles três minutos pareceram uma eternidade. Então, minha mãe e meu irmão voltaram rindo e falaram: “Não chore, quem deixaria um bebê em uma ilha? Por que você está chorando?” Foi por esse tipo de brincadeira que passei na infância. © Pikabu1914 / Pikabu
  • Era verão. Estava quente. Uma menina convidou toda a turma para o seu aniversário. A mesa estava cheia de frutas, o pai dela trouxe um bolo de mel feito por um amigo dele. A menina estava usando um vestido novo. O aniversário estava marcado para às 11h. Mas deu 11h, 12h e até 13h e ninguém apareceu. No dia seguinte, a garota descobriu que todos os seus colegas tinham passado o dia inteiro em um parque de diversões.
    Ontem completei 29 anos, pensei que esse ressentimento já tivesse passado, mas minha própria mãe, avó e meus sogros se esqueceram de me parabenizar. Muito obrigado ao meu marido e aos filhos por se esforçarem muito para me animar. Não importa a idade, seu coração ainda é vulnerável como uma criança ressentida. © GrustniyEzh / Pikabu
  • Eu menstruei quando tinha apenas 10 anos. Eu não sabia o que fazer, então contei para minha mãe. Aparentemente, mamãe ficou preocupada, porque era muito cedo. Resumindo, no mesmo dia, assim que meu pai voltou do trabalho, ela anunciou logo da porta o que tinha acontecido. Depois ela foi e contou à minha avó, de quem eu não gostava. Fiquei muito envergonhada, não mesmo pelo fato de ter menstruado, mas pelo fato de que todos à minha volta ficaram sabendo disso. © Maria Denisyuk / ADME
  • Desde os seis anos, minha mãe falava sobre o meu peso e me colocava em todos os tipos de dietas. Me lembro de uma vez ter que ir aos vizinhos e pedir algo para comer, porque estava com muita fome. Já estou adulta, mas aquela menininha que tem medo de ser censurada por causa de comida ainda está em mim: escondo comidas gostosas do meu namorado e odeio fazer isso. © reptilart / Reddit
  • Quando eu tinha nove anos, ganhei meus primeiros óculos. Fiquei muito empolgada e achei que ficou ótimo, então fui perguntar a minha mãe o que tinha achado. Ela me disse que eu estava feia e que me preferia sem eles. Claro que levei para o lado pessoal, porque minha mãe não mentiria, então me sinto horrível de óculos desde sempre. Ela também me disse várias vezes para fazer uma plástica no nariz, pois o meu se parece com o do meu pai e é enorme. Bem... Assim que tiver dinheiro, com certeza farei uma rinoplastia. © Angelyn Tan / Quora
  • Os pais muitas vezes “recompensam” o filho de acordo com a ordem de nascimento. Comprou uma casa nova? O quarto maior fica para o filho mais velho e assim por diante. O primeiro computador também é para o filho mais velho, mesmo que o outro filho tenha mais interesse e precise mais de um. É difícil crescer percebendo que você nunca poderá ser o primeiro a escolher simplesmente porque não nasceu primeiro. E não há nada que eu possa fazer a respeito, o que é especialmente frustrante. © Anonymous / Quora
  • Um dia, compartilhei um segredo com minha mãe sobre um namoradinho. Queria conversar com ela calmamente sobre o primeiro amor e tudo isso, mas, em vez disso, ela imediatamente arrastou meu pai para a conversa. No final, os dois reclamaram comigo e me forçaram a terminar o namoro. © inaconferenceroom / Reddit
  • Quando era pequena, costumava guardar muito dinheiro: pegava uns trocados que achava por aí, às vezes meus pais me davam umas moedas. Depois de um tempo, consegui juntar uma grande quantia para uma criança. Queria comprar um livro de colorir e fiquei feliz porque ia fazer isso com o meu dinheiro. Mas um dia, quando acordei, não encontrei minha poupança. Perguntei a mamãe onde estava e ela falou: “Quem disse que aquele dinheiro era seu? Eu que dei, então peguei de volta”. Chorei por vários dias. © Overheard / VK
  • Quando tirava notas medianas — isso aconteceu umas 20 vezes na minha vida escolar — meus pais me colocavam em um banquinho em casa e começavam a me questionar: "Como isso aconteceu? Por que não estudou?’ Minha mãe até dizia que ia me mandar para um internato, onde ia sofrer bullying de outras crianças, porque era isso que eu merecia. Ela começava a fazer minha mala, me dizendo para me despedir do meu cachorro, porque nunca mais o veria. Dizia que só ia me visitar nos finais de semana. Meu pai me puxava de lado e perguntava se eu queria que ele pedisse a minha mãe para não me levar. De início, eu falava “sim”, mas depois de algumas vezes passei a responder "não“.© Yulia / ADME
  • Meus pais nunca compareceram aos meus eventos, principalmente aos concertos do coral. Era muito decepcionante ver as famílias dos meus colegas os aplaudindo durante a apresentação, e minha mãe e meu pai não estarem por lá. Um dia, trouxe para casa um dos papéis do programa do meu coral para mostrar a eles e no dia seguinte o encontrei no lixo. © mousely / Reddit
  • Quando eu tinha 4 anos, me lembro de estar nos braços do meu pai e meu tio me trouxe um pequeno arbusto com quatro morangos, eles ainda estavam um pouco verdes. Estava ansioso para comê-los. Até que um outro tio meu apareceu e pediu para segurá-los. Ele comeu todos os frutos bem na minha frente, mas disse que ia me compensar com mais. Fiquei chocado. Desde então, quando via esse tio apontava o dedo e dizia em voz alta: “Ladrão!” Depois ele me deu um lindo relógio, mas o ressentimento permaneceu. © Kinvrig / Pikabu
  • Minha avó me ensinou a tricotar quando tinha cinco anos. Tricotei um cachecol para minha mãe igual ao que eu tinha, verde e rosa. Quando entreguei, mamãe riu tanto. Ficou claro que ela não usaria. Me senti profundamente ofendida naquele momento, mas depois de um tempo entendi que ela simplesmente não se importava. © Larissa Anatolyevna / Facebook
  • Eu era uma criança difícil. Quando eu tinha 4 anos, minha mãe cansou das minhas travessuras, arrumou minhas coisas em uma pequena bolsa e me colocou porta afora. Ela disse que não aguentava mais lidar comigo. Depois de alguns minutos, comecei a andar. Mamãe, é claro, correu atrás de mim, me trouxe para casa, pensando que tinha aprendido a lição. Na verdade, a única coisa que eu entendi era que eu não era amado, e eu senti essa dor ao longo da minha vida. © Paul Lowin / Quora
  • Quando era criança, adorava desenhar e dar minhas criações a cada membro da família. Um dia, decidi dar um presente ao meu avô e fiz um carro. No momento em que lhe entreguei o desenho, ele jogou fora e disse que era coisa de menina. Chorei muito e meu pai ficou furioso, discutindo com meu avô por mais de uma hora. Desde então, nunca mais peguei em um lápis, cansei dos desenhos. Só quando fiquei mais velho é que me matriculei em uma escola de arte. Vamos ver do que o meu talento é capaz! © Câmara № 6 / VK
  • Quando era adolescente, meus colegas de classe não gostavam de mim e eu constantemente sofria bullying. Uma vez, eles esconderam minhas chaves de casa e a professora encontrou na bolsa de outro aluno com um bilhete dizendo para não me devolver, mas nem ela, nem minha mãe (que também era professora) fizeram nada, não me protegeram de forma alguma. Mamãe dizia para não ligar, que eles tinham ciúmes, mas eles eram apenas seres humanos terríveis. Como resultado, nenhum dos meus colegas foi responsabilizado por suas ações. Agora tenho 35 anos, sou uma mulher bem-sucedida, mas não consegui perdoar ninguém. © MostUniqueClone / Reddit
  • Convidei metade da turma para o meu aniversário, incluindo uma garota chamada Rosana. Depois, quando Rosa fez aniversário, ela me disse que não costumava comemorar. Fiquei com tanta pena dela que comprei um presente e dei a ela na escola. Depois descobri que metade da turma tinha sido convidada para o aniversário dela, menos eu. Fiquei bem ressentido. © jeinorl / Pikabu
  • Minha mãe me deu um brinco de ouro com umas pedras vermelhas. Era lindo e eu amei. No verão, fomos visitar a minha tia, que também tinha uma filha, só que mais velha. Elas persuadiram minha mãe a trocar meus brincos por outros, que não eram de ouro e ainda eram feios. Fiquei com raiva e nunca usei aqueles brincos. © Oksana Ternovtseva / Facebook

Que memórias de infância deixaram uma marca negativa na sua vida até hoje? Conte para a gente na seção de comentários.

Imagem de capa Overheard / VK
Incrível/Gente/20 Internautas compartilharam memórias da infância que são um verdadeiro nó na garganta
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos