Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

19 Pessoas que pensaram que estavam preparadas para o parto (mas a vida as pegou de surpresa)

2-31
408

O trabalho de parto costuma ser imprevisível. O tão esperado momento pode trazer surpresas para toda a família, mesmo com os nove meses de preparo para o nascimento do bebê. É por isso que tantas histórias curiosas surgem nesse momento difícil, mas muito feliz.

Nós, do Incrível.club, acreditamos que a atitude certa ajuda a lidar com a maioria das situações. Portanto, queremos compartilhar com você alguns relatos positivos e bem-humorados sobre uma das experiências capazes de mudar a vida das pessoas.

  • Estávamos esperando o nosso primeiro filho. No dia em que as contrações começaram, liguei para a parteira. Ela disse para eu ir ao hospital quando sentisse contrações a cada dois minutos. Passei um tempo esperando e, quando chegou a hora, acordei o meu marido. Ele tinha acabado de voltar de um turno de 24 horas, por isso não entendia nada do que eu estava falando. Pedi que ele me levasse ao hospital. Sonolento, respondeu: “Vou te levar, sim, meu amor. Só vou dormir mais um pouco”. © Marina German / Facebook
  • Fui à maternidade de blusa e saia, que, depois, foram entregues para o meu marido em uma sacola com outros meus pertences. No dia da alta, ele veio com essa sacola, mas, por algum motivo, sem a minha saia dentro. Tive de pegar emprestado um lençol e enrolá-lo na cintura. As fotos ficaram ótimas. Fui de lençol até o carro, tirei e devolvi para uma das enfermeiras. © likantropgirl / Pikabu

“Não me toque. Estou prestes a dar à luz!”

  • Quando estava grávida de alguns meses, fui internada no hospital por causa de complicações na gravidez. Pedi que o meu marido me trouxesse roupas novas. Ele veio com um vestido curto com estampa de leopardo, para me fazer sentir “a mulher mais bonita do hospital”. © Loveina / Pikabu
  • Em 6 de março, fiquei com febre e fui ao hospital. O médico me examinou e disse para me preprarar, porque eu estava prestes a entrar em trabalho de parto. Fiquei chocada e respondi que ainda não estava pronta, uma vez que pretendia dar à luz apenas no dia 8. No entanto, depois de três horas, lá estava eu, ligando para o meu marido e dando-lhe parabéns pelo nascimento da nossa filha. Ele exclamou: “Está louca! Ainda não estou pronto!” © crimskaya / Nn.ru
  • Minha amiga leu em algum lugar que, em caso de sintomas de varizes, recomenda-se dar à luz usando meias de compressão. Então comprou um par de meias lindas — pretas com topo rendado — e as calçou no dia do parto. Ela é uma mulher bonita e alta, e as meias deixaram suas pernas visualmente mais longas e finas, fazendo com que parecesse uma modelo. O obstetra ficou surpreso com seu visual, mas não foi contra. © LUsien2703 / Pikabu
  • Passaram-se algumas horas desde que voltamos da maternidade com o nosso filho, quando recebemos uma ligação de lá, querendo conferir se eles realmente tinham nos dado um menino. © bash.im
  • Meu primeiro parto foi longo e eu fiquei tão cansada que os médicos decidiram fazer pontos sob anestesia geral. No início, estava sentindo tudo, então eles aumentaram a dose do anestésico. Passei toda a cirurgia dormindo. Acordei em uma sala silenciosa e escura, sem conseguir me lembrar direito do que tinha acontecido comigo. Chamei a enfermeira. Tivemos o seguinte diálogo:
    — O que houve?
    — Dei à luz?
    — Sim.
    — Está tudo bem com o meu filho?
    — Sim.
    — Onde ele está?
    — Ao seu lado, debaixo da lâmpada.
    Eu estava tão fraca que simplesmente apaguei. Voltei à consciência, mas não me lembrava de nada. Chamei a enfermeira mais uma vez. O nosso diálogo se repetiu, e eu peguei no sono de novo. Quando acordei pela terceira vez, com as mesmas falhas na memória, e chamei a enfermeira, ela veio e exclamou, sem esperar que eu falasse primeiro:
    — A senhora deu à luz, está tudo bem com seu filho, ele está aí, debaixo da lâmpada. Agora, calma!
  • Minha amiga tem três filhos, mas sempre quis uma filha. Depois do nascimento do terceiro menino, alguém lhe disse: “Fique tranquila! Quando eles crescerem e vierem apresentar suas namoradas para você, poderá escolher aquela de que mais gostar”. © azya1983 / Pikabu
  • Em 15 de março de 2002, meu marido e eu estávamos montando a mala de maternidade. Não tinha contrações, mas fui instruída a me internar de qualquer maneira, porque já estava na hora. Entramos no carro e percebemos que o nosso toca-fitas tinha sido roubado. Meu marido ficou chateado e, para animá-lo, eu disse: “É preciso perder para ganhar”. Dei à luz no mesmo dia, às 15h15. Meu marido brinca que trocou um toca-fitas por um filho. © Anna Petra / Facebook
  • Tive o primeiro parto, que durou cerca de 42 horas, aos 21 anos e fui acompanhada pelo meu marido. Depois de 30 horas de trabalho de parto, parei de raciocinar direito. O bebê já estava saindo quando, na hora de dar aquele empurrão final, gritei: “Socorro! Estão me roubando!” O obstetra olhou para o meu marido, que estava atrás de mim, depois para mim e exclamou, sorrindo: “Calma que logo a gente ’devolve’ seu filho para a senhora!” © boevayamalishka / Pikabu
  • Eu estava com o meu marido quando dei à luz minha filha caçula. Ele aguentou firme todo o trabalho de parto, ajudando o máximo que podia, mas estava muito preocupado. Quando a nossa menina nasceu, fechei os olhos com um suspiro de alívio. Já o meu marido viu a bebê e perguntou à parteira: “Mas por que ela é tão bonita?” E ouviu em resposta: “Bem, ela é o fruto do amor entre vocês dois”. Ele pensava que a bebê devia nascer enrugada e melecada, mas nasceu rosinha e limpa. Ainda rimos lembrando dessa história. © Vera Ryndich / Facebook
  • Quando vieram as primeiras contrações, de manhã, minha mãe pediu para meu pai comprar chinelos para ela. Passaram-se algumas horas, mas ele não apareceu. Voltou para casa à noite, sem chinelos. A caminho da loja, ele tinha encontrado sua parente e ela pediu que ele a ajudasse a instalar um jogo de cozinha. Minha mãe teve de dar à luz de salto alto em uma ambulância. E tudo porque o meu pai é a pessoa mais prestativa do mundo. © Podsluschano / Vk
  • Fui à casa da minha mãe com meu irmão e meu marido. Meu irmão estava dirigindo (o carro era dele), meu marido estava no banco da frente e eu estava no banco de trás. Quando se passaram dez minutos desde o começo da nossa viagem, minha bolsa estourou! Meu primeiro pensamento foi: “Poxa, vou molhar todo o carro!” Em seguida, disse ao meu irmão, tentando manter a calma: “Alê, mudança de planos. Vamos para o hospital, parece que o bebê está vindo”. Ele, entrando em pânico: “Segure-o! Ele não pode sair agora!” Muitos realmente acham que o parto é um procedimento de poucos minutos, como mostram nos filmes de Hollywood. © S0lik / Nn.ru
  • No quarto de espera da maternidade estavam duas mulheres comigo. Nós três estávamos gritando: primeiro, em uníssono, depois, em sequência. Cada uma estava gritando coisas diferentes. Mas nunca me esquecerei desta frase: “Entendo vocês, mães de primeira viagem. Mas por que raios eu vim para cá pela segunda vez?” © LissaLissa2 / Pikabu
  • Minha mãe é morena e meu pai é loiro com olhos azuis. Nasci muito grande, comparando com outras crianças, e com cachos pretos. Uma das enfermeiras, brincalhona, colocou um laço no meu cabelo e me levou para a amamentação. Todos riram muito. No dia seguinte, meu pai veio ao hospital com seus pais e irmãos — todos loiros. A enfermeira olhou para eles e disse: “Nasceu uma menina loira!” Todos ficaram felizes. Mas quando o meu pai me viu, ficou indignado: “Mas você não disse que ela era loira?” Alguns anos depois, minha irmã nasceu no mesmo hospital, e a mesma enfermeira nos informou que, de novo, nasceu uma menina loira. Meu pai exclamou: “Já sabemos que é uma pegadinha!” Ele ficou muito surpreso quando, no dia da alta, recebeu a minha irmã, uma menina loira de olhos azuis. © Irina Lolaeva / Facebook
  • No dia do nascimento da minha tia, meu avô, que era cadete na época, subiu pelo cano da calha até o andar da minha avó e pediu que ela lhe mostrasse sua filha. Olhou para a bebê, fez sinal de positivo, sorriu e desceu. Alguém o viu, mas não sabia quem ele era. Depois de dez anos, quando a minha avó deu à luz meu pai, contaram-lhe essa história, e ela, vermelha de vergonha, confessou que era seu marido. © Podsluschano / Vk
  • Meus amigos que estavam se preparando para ter seu segundo filho me contaram como foi sua primeira vez de montar a mala de maternidade. Jovens apaixonados, eles já tinham começado a morar sozinhos. O carinhoso marido cuidou de tudo: deixou prontos agasalhos, produtos de higiene e comida, entre outras coisas que pudessem ser úteis. Como vocês podem adivinhar, a mala ficou apertadíssima. Quando as contrações começaram e veio uma ambulância, ele carregou tudo para o carro. Um dos paramédicos olhou para aquele amontoado de coisas e perguntou: “Tem certeza de que vai voltar para buscar sua mulher?” © PivBear / Pikabu

Quais situações engraçadas já aconteceram com você ou sua família durante a gravidez ou o parto? Comente!

2-31
408
Compartilhar este artigo