Incrível
Incrível

19 Histórias sobre pessoas tão “pão-duras” que deixam o Julius no chinelo

A vida adulta é uma eterna balança entre até que ponto devemos economizar e quando, de fato, devemos nos dar ao luxo de fazer nossas vontades. O problema acontece no desequilíbrio: quando queremos sempre fazer nossas vontades e o nosso salário não corresponde, ou quando queremos economizar demais e entramos em situações desconfortáveis.

Pensando nisso, o Incrível.club encontrou alguns relatos que nossos seguidores compartilharam conosco sobre as pessoas mais avarentas que se depararam na vida. Confira só!

  • Fui ao cinema com um amigo pão-duro, fiquei com vergonha de comprar lanche para mim e deixar ele olhando. Ele tinha grana, mas não queria gastar. O problema é que para comprar tudo em dobro faltaria R$0,10, pedi “emprestado” para ele e lhe dei os lanches. No mesmo dia, um pouco após chegar em casa, ele foi me cobrar os R$0,10. Paguei muito sem graça! ©️Saory Luz/ Facebook
  • Eu morava de favor na casa da minha irmã e ajudava em tudo. Porém, ela comia escondido de mim: acordava mais cedo e tomava o café dela, quando acordava só tinha uma bisnaguinha em cima da mesa. Eu não almoçava, só jantava e no fim de semana comia arroz e ovo frito. Ela e o marido se trancavam no quarto para comer feijoada escondido. Nunca vou esquecer disso. ©️Ivone Rosa DE Souza Silva/ Facebook
  • Minha vizinha vendia lanche, um dia chegou um rapaz e fez um pedido. Quando foi pagar, faltou R$0,05, então ele disse que traria depois. Ela respondeu que só entregaria o lanche se ele fosse em casa naquele momento buscar o dinheiro. ©️Jéssica Macedo/ Facebook
  • Eu e um grupo de amigos fomos almoçar numa churrascaria. Pedimos um refrigerante e o pão-duro pediu uma garrafa de água mineral. Quando chegamos no caixa, ele descobriu que a garrafa de água era o mesmo preço da lata de refrigerante. ©️Douglas Teixeira/ Facebook
  • Levei 3 Kg de salmão para a casa de uma amiga, para fazer sashimi. O pai dela pegou o salmão, colocou na geladeira e foi comprar tilápia. Ele disse que sashimi bom era de tilápia, e ficou com o salmão! ©️Sergio Franco/ Facebook
  • Minha mãe uma vez precisou fazer uma ligação na casa de uma parente. Na época, não tínhamos telefone, então passou. Quando foi no outro dia ela pediu que minha mãe pagasse R$0,50 pela ligação feita. Até hoje, quando me lembro disso, começo a rir de nervoso. ©️Camila Lima/ Facebook
  • Meu cabelo é enrolado, então não posso ficar muito dias sem lavá-lo porque fica horrível. Quando era adolescente, passava as férias na casa da minha vó e lavava o cabelo a cada dois ou três dias. Fazia tudo para economizar porque já sabia que ela iria reclamar. Uma vez, fiquei cerca de um mês e só usei metade do shampoo. Fui comentar com ela que tinha me esforçado, toda feliz. Ela me disse o seguinte: “Uma vez eu comprei um shampoo que durou 2 anos, isso que é economizar. ” Fiquei passada! ©️Michele Castellamare/ Facebook
  • Trabalhava numa padaria e o cliente só deixava eu fazer o nó na sacola do pão após pesar. Segundo ele, o nó fazia peso. Kkkk ©️Jamyla Lopes/ Facebook
  • Na época da faculdade fui a um restaurante com quatro amigas para comer petit gateau. Uma colega muito pão-dura pediu um pastel de Belém que custava R$7 reais e o petit gateau era R$14. Comemos e o fundo do petit gateau estava queimado, com gosto amargo, então nós três só deixamos fundo. O gerente perguntou o que havia acontecido, explicamos que estava queimado, mas o restante estava bom! Resultado: o gerente não cobrou nosso petit gateau, só o pastel de Belém da pão-dura. Ela ficou enfurecida, nunca vou me esquecer disso. ©️Samara Lima/ Facebook
  • Um amigo sempre se oferecia para almoçar ou jantar na minha casa. Tranquilo, gosto de receber visitas. Fiz o jantar com tudo que tinha direito, até sobremesas. Porém, no corre-corre, esqueci de comprar algo para tomarmos. Liguei para ele e perguntei se não podia trazer algo para tomarmos, quando o mesmo chegasse eu pagaria a bebida. A pessoa chegou com uma lata, ou seja, só para ela mesmo tomar. Ainda perguntei: “Quanto foi a bebida?”, e ele aceitou o dinheiro. ©️Jessica Sousa/ Facebook
  • Marquei de conhecer um cara num local onde estava acontecendo um festival. Chegando lá, ele me convidou para dar uma volta pelo local enquanto conversávamos. Vi uma barraca de milho cozido e comentei: “Estou louca por um, vamos lá?” Ele foi, porém, se manteve distante, deu até as costas. Ok, comprei, paguei, então ele veio e comprou um para ele. Comentei que tinha medo de altura e ele me convidou para ir à roda gigante. Enfiei o medo no bolso e aceitei. Ele quase enfartou para comprar o bilhete e fiz igual a ele: dei as costas. Ainda tive que dar carona para o lindão. Até hoje eu o chamo Surubim (um peixe): cheio de pinta, mas morto de liso. ©️Danielle Araújo/ Facebook
  • Meu amigo me contou que foi num churrasco na casa de um colega e levou uma peça de picanha. Ficou na festa e a picanha não aparecia, só outras carnes e linguiça. Quando foi ver, o dono da casa tinha guardado a carne que ele levou no congelador para comer depois. ©️Junior Almeida/ Facebook
  • Nossa, nunca vou me esquecer desse dia. Duas colegas da minha mãe pediram para fazer uma festinha pequena para a filha. Falaram que chamariam 15 pessoas, que seria coisa pequena. A sem-noção convidou o bairro inteiro, não parava de chegar gente. Os lanches que elas prepararam acabaram em 20 minutos de festa. Começaram a revirar os armários atrás de bolacha. A festa não era minha, sumi de lá com vergonha da situação. Minha mãe deixou a galera no quintal, trancou a casa e caiu fora da própria casa. Nunca mais! ©️Aline Matos/ Facebook
  • Um amigo, o mais pão-duro que conheci, escondeu o salário da esposa no forno. Quando ele chegou do serviço, ela tinha feito um bolo. Queimou todo o salário, coitado. ©️Lucia Pereira/ Facebook
  • Uma vez aceitei sair com um cara que insistia em sair comigo. Me chamou para ir no melhor restaurante da cidade, pensei que comeria bem. Primeiro, tive que ir com meu carro, ok. Cheguei lá, ele perguntou o que eu queria beber, pedi um suco. Quase duas horas depois, ele perguntou se eu queria comer algo e eu educadamente disse: “Se você me acompanhar, sim!” E ele: “Não. Eu jantei antes de vir!” Quando fomos embora ele pediu para dar uma volta no meu carro. Resultado: passei frio, fome e raiva. ©️Denise C. Gagstetter/ Facebook
  • A coisa mais esquisita que vi foi um cara retirar a gasolina todas as noites da moto para não evaporar. Na manhã seguinte, ele colocava no tanque novamente. E todos os dias era essa luta. ©️Elizangela Antunes/ Facebook

O que achou dos relatos? Conhece algum pão-duro que lhe deixou boquiaberto? Compartilhe sua opinião conosco nos comentários. 😉

Incrível/Crianças/19 Histórias sobre pessoas tão “pão-duras” que deixam o Julius no chinelo
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos