Incrível
Incrível

18 Vezes em que os alunos aprontaram durante a prova

As provas tendem a deixar qualquer um nervoso e os alunos estudiosos não são exceção. Mas há momentos, na escola ou na faculdade, em que essas situações não acabam tão mal. Dependendo do caso, todo o processo de avaliação pode se tornar uma história bem engraçada no futuro.

Por isso, no Incrível.club coletamos anedotas de nossos leitores, nas quais relembram com humor algumas avaliações com um final inesperado. Confira!

  • Aconteceu comigo em uma prova oral de anatomia. Antes disso, tive um problema muito sério em casa, tanto que deu um branco total e eu não conseguia falar palavra alguma, apesar de saber as respostas. Acharam muito estranho, mas ainda assim me aprovaram. Fiquei muito surpresa.© Gladys Hernani Ferro / Facebook
  • Meu professor de matemática do ensino médio, o louco Ulloa, de um momento para o outro dizia: “Peguem uma folha de papel e um lápis. Prova!” Claro, todos protestávamos dizendo: “Profe, mas você não avisou”. Ele respondia: “Alunos, é fácil. Basta aplicar esta fórmula”. Escrevia a fórmula, fazia a pergunta e dizia: “Já volto. Abram seus livros e cadernos”. Quando saía, obviamente todos estavam com seus livros e cadernos na mão, porque nos deixava sozinhos em uma sala com 52 alunos. Alguns minutos depois ele voltava e ria dizendo: “Não vão achar nem no livro nem no caderno. Eu inventei essa fórmula”. © Roberto Villegas / Facebook
  • Certa vez, tive prova de filosofia, mas não havia estudado nada. Quando comecei a ler, havia uma nota no final dizendo: “Se leu até aqui sem preencher nada, entregue a prova e estará aprovado”. Rindo, levantei-me e entreguei a prova ao professor. Tirei A+ só por ler. Todos se perguntaram o que tinha acontecido, mas, quando perceberam, já era tarde demais. © Gerson Santiago Inoa Martinez / Facebook
  • Minha professora de matemática chegava e dizia: “Hoje vamos rever o que vimos ontem. Danubio, saia da classe”. Eu respondia: “Mas por quê? Não fiz nada de errado”. Ela dizia: “Sei que já sabe a matéria. Se ficar, vai se sentir entediado e irritado”. © Danubio Salas / Facebook
  • Meu professor de anatomia nos fazia estudar muitíssimo diariamente e, mesmo já tendo sido aprovada, fazia todos virem para o exame final só para nomear os que já tinham passado e dizer que esses podiam ir embora. © Ma Laura Lopez Garcia / Facebook
  • O professor de matemática fez uma prova na qual poucos tiraram a nota máxima. Fomos escolhidos para representar a escola em uma competição regional de matemática interescolar. Nos três concursos, consegui ficar em primeiro lugar, então passei o resto do ano dispensado das aulas. Nunca contei para a minha mãe e passei esse tempo jogando futebol. © Ander GR / Facebook
  • Aconteceu comigo com um professor de geografia. Sempre tive notas muito boas, mas naquele dia não tinha estudado nada. Assim que me deu a prova, falei: “Profe, peço desculpas, mas não consegui estudar e parece certo lhe dizer antes que perca seu tempo. Vou esperar lá fora os demais terminarem”. Quando todos terminaram, ele entregou as notas e me deu 10 por honestidade. Na prova seguinte, meus colegas tentaram fazer o mesmo e ele deu 1 a todos. © Emmanuel Celiz / Facebook
  • Tive uma prova oral de direito tributário e tinha de responder na frente dos outros alunos. A professora fez uma pergunta e eu, para não ficar nervosa, olhei para um garoto da classe que tinha as pernas muito peludas e comecei a rir. Isso me fez rir muito e eu não conseguia dizer uma única palavra. Ri tanto que a professora falou: “Senhorita, vá embora e eu repito a prova amanhã”. No dia seguinte, fiz a prova e dessa vez passei com 10, porque me concentrei para não ver meus colegas. © Luzy Ramos / Facebook
  • Tive um professor de termodinâmica que apresentou um exercício de hidráulica em uma prova. Tinha sido mal planejado e o resultado não tinha lógica. Comentei isso, mas ele não aceitou, entreguei a prova e saí. Na aula seguinte, recebi minha prova e tirei a nota máxima com uma observação dizendo que eu estava dispensado de todas as provas a partir daquele momento. © Fabián Gallardo Sepúlveda / Facebook
  • Na aula de física, o professor tinha deixado um exercício de um burro em uma catapulta para fazer no fim de semana. Na semana seguinte, perguntou quem tinha feito e ninguém disse nada, então falei que tinha resolvido. Ele deu uma olhada e disse: “Está certo”. Ele me dispensou da prova final. © Dario Zarama / Facebook
  • Na faculdade de direito, aconteceu algo muito especial comigo. A professora concordou em fazer apenas três perguntas. Vendo que eu tinha respondido as três corretamente, me fez mais três. Quando estávamos na sexta, perguntei se não eram apenas três e ela disse estar encantada ao ver que sua aluna tinha estudado. Ela falou: “Excelente”. Só consegui rir. Obrigada, professora. © Venencia Madrid / Facebook
  • No ensino médio, o professor de matemática percebeu que eu resolvia os exercícios de forma rápida e correta, então em algumas aulas meu único exercício era lhe trazer seu café quente, enquanto os outros resolviam problemas e ele ficava de olho neles. Na última prova, disse para apenas colocar meu nome e fingir que estava resolvendo, porque já havia me dispensado. © Enrique Alcaraz / Facebook
  • Fiz literatura no 4.º ano do ensino médio. Foi a primeira vez que fazia prova e não sabia nem como estudar para isso. Na escrita, tirei 6 e passei para a avaliação oral. Não tinha ideia de que deveria ter elaborado um tema. Eu disse, com medo, que havia preparado A Celestina, pois me lembrava de alguma coisa da aula. Respondi algumas perguntas e me disseram: “Volte em março”. Tirei 2. Na época do Natal, recebi um cartão com parabéns da professora dizendo que eu tinha passado na prova, porque tiravam uma média das notas e era necessário 4 para passar. © Inés Ceballos / Facebook

Como pode ver, as provas nem sempre significam uma experiência ruim. Você também já passou por uma avaliação que acabou se tornando uma história engraçada?

Incrível/Histórias/18 Vezes em que os alunos aprontaram durante a prova
Compartilhar este artigo