Incrível
Incrível

18 Pessoas que não esperavam milagres da vida, mas eles ocorreram mesmo assim

Há pessoas de dois tipos. O primeiro: aquelas que trabalham duro para conseguir o que desejam. O segundo: aquelas que contam com a sorte em muitas situações. Porém, mesmo as pessoas que não se consideram “sortudas”, pelo menos uma vez na vida, passam por momentos inesperados, que as deixam apenas com um enorme sorriso no rosto.

Nós, do Incrível.club, adoramos histórias curiosas, por isso tivemos um grande prazer em montar este post — com usuários que tiveram sorte no momento menos esperado. Acompanhe!

  • Fui fazer uma prova de Fisioterapia na faculdade. Sempre estou preparada, mas, dessa vez, não estava confiante. Tinha certeza de que não passaria. Fui a primeira estudante a entrar. A professora me olhou e disse: “Ah, você? Hum...”. Fiquei em silêncio, apenas rezando. Ela: “Passou a noite estudando, foi?” Eu disse que não, pois sabia que teria prova no dia seguinte. Ela começou a revirar uns papéis e concluiu: “Você veio a todas as minhas aulas, participou ativamente, passou em todas as outras provas e com notas boas. Por isso, vou te dar um ‘9’ direto. Está liberada! Só se prepare para o exame final”. Fiquei sem palavras. A professora foi muito rigorosa na avaliação de todos os outros estudantes e reprovou três deles. © Somebody / AdMe

  • Eu tinha 4 anos. Meus pais e eu fomos até a capital do nosso estado visitar uns amigos e, ao mesmo tempo, desejar um feliz aniversário ao filho deles. Compramos um presente: um lindo ursinho de pelúcia, todo colorido, macio e bem maior que eu. Nossa, como fiquei apaixonada e queria um daquele também! Mas não disse nada, pois sabia que era um presente. Eu não tinha nenhum brinquedo do tipo em casa, por isso passei o caminho inteiro abraçando o ursinho. Chegamos e, por um milagre, não havia ninguém em casa! Tivemos de voltar, e o ursinho acabou ficando comigo. Eu pulava de tanta alegria! © natalicium / Pikabu

  • Na época, minha tia estava passando ao lado de um cartório com seu namoradinho. “Quer entrar? Podemos assinar os documentos agora mesmo”, disse ela. O rapaz respondeu: “Pode ser, mas não tenho dinheiro para pagar a taxa de registro”. Os dois se viraram para ir embora, deram alguns passos, e minha tia viu no chão, bem ao lado de seus pés, uma nota de dinheiro. Aquele valor era exatamente o equivalente à taxa de registro. O rapaz não teve outra saída. Neste ano, eles completam 10 anos de casados. © Polanta / Pikabu

  • Quando criança, eu adorava tirar fotografias. O que faltava para minha felicidade estar completa era uma lente nova, mas era muito cara. Passei dias implorando para meus pais me comprarem uma, mas eles diziam que as fotos já ficavam bonitas. Então, um dia, quando voltava da escola, avistei uma caixinha no chão. As pessoas passaram por ela sem nem prestar atenção, e eu também. Porém, depois pensei: “E se não estiver vazia?” Voltei e a chutei. Estava pesada. Levei-a para casa e, ao abri-la, uma surpresa: a lente da câmera que eu queria! Meus pais não acreditaram e pensaram que eu a havia roubado. © Periskop71 / Pikabu

  • Passei uns dois anos sonhando com umas xícaras de chá japonesas, que são bem caras: cerca de 18 dólares cada, se não mais. Então, um dia, ao voltar para casa, vi que um dos vizinhos havia colocado itens usados na entrada do prédio para quem quisesse pegar, de graça. Por uma incrível coincidência, lá estavam aquelas xícaras! Japonesas! Quase gritei de tanta felicidade. © Nastya_Swiss / AdMe

  • Minha mãe havia tido três abortos e meus pais decidiram tentar a adoção em 2001. Eles estavam procurando por um bebê, que tivesse apenas alguns meses e menos de um ano. Um dia, o telefone tocou e disseram que havia uma garota de 11 meses procurando uma família. Embora meus pais estivessem relutantes no começo, pois queriam uma criança mais jovem, eles foram ao orfanato. Após ver a menina, eles não tiveram dúvidas de que ficariam com ela. Caso você ainda não tenha percebido, essa garota era eu. Conhecer meus pais foi como ganhar na loteria para mim e, embora não sejam meus pais biológicos, são os únicos que eu tive e sou muito grata por tudo o que fizeram. Tornei-me a pessoa que sou hoje graças a eles. © Ritika Srivatsan / Quora

  • Minha mãe nasceu no Extremo Oriente. Antes de meus avós se casarem, meu avô teve um relacionamento com uma enfermeira, e eles tiveram uma menina. Mais tarde, quando já estava com minha avó, meu avô se encontrou com sua primeira filha e ainda levou minha mãe para conhecê-la. Depois, nossa família se mudou para o outro lado do país, e eles perderam contato. Passados 17 anos, enquanto levava minha irmã para a aula de música, minha mãe viu uma mulher sentada à sua frente no metrô e disse que se sentiu “atraída” por ela. Tentava lembrar de onde a conhecia e, então, tudo fez sentido! Ao chegar à estação, minha mãe pegou essa mulher pelo braço e perguntou: “Você é filha da pessoa tal? Venha comigo”. Ela não estava errada! E foi assim que minha mãe reencontrou a irmã perdida. © AnotherRusskiPianist / Reddit

  • Fui demitido dois dias antes do Natal, tinha apenas 10 dólares na minha conta e decidi comprar uns produtos no mercado e uma raspadinha de um dólar. Ganhei 1.200 dólares. © babiesonacid / Reddit

  • Em 2005, queria construir uma carreira como comissária de bordo, mas havia recebido tantas rejeições, que já estava me sentindo derrotada. Então, uma amiga foi chamada para uma entrevista em uma companhia aérea e me pediu apenas para acompanhá-la. De qualquer forma, fui bem arrumada e levei meu currículo. Havia alguns candidatos. Todos entraram na sala em ordem, e eu acabei entrando também. A recrutadora era uma senhora de cabelos curtos e bem bonita. Ela procurou meu nome e se surpreendeu ao ver que não estava na lista. Esclareci que havia ido apenas para acompanhar uma amiga, mas que poderia apresentar meu currículo e os outros documentos. Passei pela entrevista e fui contratada! Me tornei aeromoça. Até hoje, me sinto muito feliz ao lembrar desse dia. © Sushan Sharma / Quora

  • Era final dos anos 70, e uma loja famosa estava oferecendo uma promoção de um pequeno ferro de passar roupa portátil. Como viajava muito, fiquei interessada. Infelizmente, no momento, eu não tinha dinheiro suficiente para comprá-lo. Perguntei ao vendedor, e ele disse que poderia esperar uma hora, mas não daria tempo de ir em casa e voltar. Ao lado, estavam realizando uma loteria instantânea em uma livraria, e o bilhete custava alguns centavos. Decidi tentar a sorte. Fui sorteada e ganhei! O valor seria suficiente para comprar o ferro, porém o prêmio não era dado em dinheiro, mas sim em crédito para levar livros. Eu expliquei a situação, e uma das vendedoras pediu a um senhor, que comprava um livro, para comprar o meu bilhete premiado: “Nossa, você realmente deve estar precisando de um ferro”, disse o homem. Depois, esse ferro passou muitos anos sendo usado pela minha família. © Галина Долгих / Facebook

  • Minha irmã ficou internada após ter apendicite. Ela tinha 5 anos. Na época, crianças ficavam em quartos isolados no hospital, sem os pais. O prédio em que minha irmã estava era muito velho e tinha uma entrada separada. Minha mãe tentou diversas vezes visitá-la, mas as enfermeiras não a deixavam entrar. Então, um dia, por conta do desespero, ela tentou usar a chave eletrônica, que abria a porta do nosso prédio, na entrada do hospital. E funcionou! Depois desse dia, minha mãe sempre entrava escondida para visitar minha irmã até ela ser liberada. © Татьяна Дунаевская / Facebook

  • Eu precisava de um aspirador de pó na minha casa de campo, mas não tinha dinheiro suficiente para comprá-lo. Por isso, vivemos um bom tempo sem ele. Após seis meses, ao me aproximar do prédio dos pais da minha ex-mulher, vi uma pilha de tralhas jogadas no depósito de lixo e, no meio dela, um aspirador de pó. Como as pessoas estavam passando, fiquei com vergonha de simplesmente ir pegar algo do lixo, então dei umas voltas no local primeiro. Finalmente, tomei coragem, peguei o aspirador e o coloquei no porta-malas rapidamente. Cheguei à minha casa e liguei o aparelho na tomada. Funcionava, mas não sugava nada. Desmontei a base e removi um pedaço enorme de isopor preso. O aspirador começou a funcionar como novo. Já se passaram seis anos e ele ainda está lá em casa funcionando. © Sasha.smak / Pikabu

  • Nos anos 80, quando eu tinha 5 anos, quase toda a cidade estava fechada e as lojas vazias, pois havia uma grande escassez de produtos. Tudo o que minha mãe encontrou na nossa geladeira foi uma bola de carne moída do tamanho de uma mão: não serviria para muita coisa. À noite, então, quando voltávamos da escola, passamos por uma feirinha, em que algumas senhoras vendiam os frutos de suas colheitas. Na entrada da feira, vimos uma grande poça, e uma moeda de dinheiro bem no meio. Com esse dinheiro, conseguimos comprar quatro pimentões. Em casa, minha mãe encheu os pimentões com a carne moída e, até o fim da semana, tínhamos pão e leite suficiente. Até hoje, sou apaixonada por pimentão recheado. © squirrel / AdMe

  • Eu estudava na escola técnica, e as aulas eram majoritariamente de matérias de exatas. Depois, decidi mudar de especialidade e prestar o vestibular para Letras. Porém, na escola, eu tinha 10 aulas de Matemática por semana e apenas duas de Literatura. Por isso, ao fim do último ano, tínhamos apenas começado a estudar os autores do século XX. Após uma pesquisa, descobri que na prova de Literatura da universidade que escolhi, as perguntas estariam relacionadas ao século XX. Eu sabia que poderia apenas responder bem os temas sobre Marina Tsvetaeva e Yesenin, ambos poetas, pois era apaixonada por eles e poderia citá-los por horas. O curioso foi que a principal pergunta que caiu na minha prova foi sobre o Yesenin! Passei! © Мария Лакомкина / Facebook

  • Um dia, liguei para um programa matinal de rádio, em que estavam sorteando um certificado de 2 mil dólares para gastar em uma loja de equipamentos de esqui. Havia 12 concorrentes. Então, quando um dos apresentadores tirou o meu nome do chapéu, fiquei tão surpresa que consegui apenas dizer: “Meu Deus!” Fui à loja no fim de semana e, por estarem trocando a coleção, estavam oferecendo 75% de desconto na maioria dos itens. Comprei um snowboard, botas, capacete, óculos, e nem atingi a marca de 500 dólares! Pedi ajuda ao vendedor para escolher a roupa mais cara de esqui que eles tinham. Uso essa roupa até hoje, depois de 15 anos. © Davina Becker / Quora

  • Eu tinha 8 ou 9 anos e passeava pelo estacionamento de uma loja de cortadores de grama, enquanto minha mãe falava com o vendedor. No chão da calçada, encontrei um estojinho de relógio de couro e, dentro dele, havia um anel de diamante e uma pulseira de ouro branco. Guardei o estojo e mostrei para minha mãe mais tarde. Ela vendeu as joias por 8 mil dólares e pôs o dinheiro em uma poupança. Esse valor cobriu os dois primeiros anos da minha faculdade. © Wiffle_Snuff / Reddit

  • Meu irmão estava limpando o porão de um cliente e, como tudo seria descartado, ele poderia pegar o que quisesse para si. Ele viu uma bicicleta bonita e decidiu ficar com ela. O que meu irmão não sabia é que era uma Dahon Mu p8, edição limitada do 30º aniversário e em condições perfeitas. Pelo que pesquisei, vale mais de 4 mil dólares. © PsychedelicWeaselGun / Reddit

  • Meu namorado e eu estávamos na fila do Shedd Aquarium em Chicago. Infelizmente, havia centenas de pessoas na fila e nossas finanças só nos permitiam comprar o bilhete mais barato de acesso limitado. Mas estávamos felizes por estarmos passeando juntos. Após certo tempo, um desconhecido se aproximou de nós e perguntou: “São só vocês dois?” Confirmamos, um pouco confusos. Ele, então, nos entregou dois passes CityPass e foi embora rapidamente. Cada passe desse custa cerca de 100 dólares e dá direito a cortar filas e ter acesso VIP nos melhores museus e atrações de Chicago. Nosso dia foi muito divertido, pois conseguimos fazer tudo de graça. Não sei exatamente por que ele fez isso, mas obrigado a você, estranho, por ter tornado a nossa viagem ainda mais especial! © Sullmeister / Reddit

Você já passou por situações em que teve muita sorte? O que aconteceu? Compartilhe conosco!

Imagem de capa Somebody / AdMe
Compartilhar este artigo