Incrível
Incrível

18 Histórias de pessoas que encontraram suas celebridades favoritas sem mais nem menos

Dependendo da fase da nossa vida, sempre temos algo que gostamos mais do que qualquer coisa e isso inclui alguns artistas. Afinal, quem nunca foi fã de alguém e sempre sonhou em tietar, não é mesmo? O que acontece é que algumas pessoas são para lá de sortudas e conseguem encontrar os seus ídolos ou alguns famosos que tanto admiram — e aproveitam o momento para tirar uma “casquinha” deles. Parece um sonho!

Sendo assim, o Incrível.club selecionou relatos dos nossos leitores que tiveram a sorte imensa de encontrar grandes estrelas do nosso país, além de alguns internacionais. Confira com a gente!

  • Estava numa sala muito confortável com meu marido no aeroporto em Madrid, quando levantei para pegar café e notei um rapaz batendo papo com as atendentes. Olhei e ele disse que o café do Brasil era melhor. Dei um sorriso e logo após fiquei sem reação: percebi que era o Rick Martin. Já gostava dele como cantor. Que pessoa simpática, educada e gentil. Havia um festival de música latina na cidade. Enrique Iglesias passou pela sala rapidamente, e foi para uma sala mais reservada. © Maria Assunção / Facebook
  • Andava perdida no centro da cidade e, sem saber, parei um rapaz para pedir informação. Ele parou todo sorridente para ouvir e me respondeu — depois, notei que vinha um montinho de pessoas atrás dele. Chegando em casa, liguei a TV e quem estava lá? O Mário Gomes. © Renata Nunes / Facebook
  • Eu estava com alguns amigos em um lugar badalado em São Paulo. O local estava lotado, e estávamos sentados em uma mesa perto da porta quando alguém tocou em meu ombro e perguntou se podia deixar o copo vazio na minha mesa. Eu virei, olhei para ela e não me contive em responder: “Claro, Heleninha!” Na hora, saiu sem querer... era a Renata Sorrah! Ela olhou, deu uma piscadinha e seu delicioso sorriso. © Giobert Mendes Gonçalves Jr. / Facebook
  • Estou eu em um show do Fábio Jr. com minha mãe e alguns amigos quando ela pede para eu me aproximar ao máximo do palco para tirar foto do dito cujo. Lá vou eu como boa filha, mas quando estou chegando pertinho, um rapaz abre um sorrisão e faz menção de que vai me abraçar. Eu, ligeira como um gato, me esquivei e falei: “Oxe, nem te conheço!” Nisso, escuto uma gritaria logo atrás de mim. Um bando de menina tresloucada indo abraçar esse moço: era o Lucas do Fresno. E cerca de dois metros atrás dele estava o Fiuk. Sorry! Não fazia a menor ideia de quem era. © Camila Carvalho / Facebook
  • Já encontrei com vários, mas o famoso que não resisti em pedir uma foto foi o Paulinho do Roupa Nova. Voltando de viagem, encontrei ele no aeroporto. Eu estava acabada, mas mesmo assim tiramos uma foto. Hoje, é uma relíquia. Saudades, Paulinho! © Alessandra Oliveira / Facebook
  • Encontrei a Rita Lee no aeroporto de Recife. Gentilmente aceitou que eu e minha mãe tirássemos uma foto com ela. Não me lembro em qual aeroporto, mas também encontrei o Cauby Peixoto. Ele era muito alto, me senti uma sementinha ao seu lado. Ele, gentilmente, também aceitou tirar uma foto comigo. © Patrícia Regina Marques / Facebook
  • Estava saindo do dentista em um prédio da minha cidade e, ao entrar no elevador, encontrei o Ivan Lins e um dentista. Eles estavam conversando e os cumprimentei, mas me deu um branco e não lembrei nem um nome de música dele para dizer que era sua fã. © Maria José da Silva / Facebook
  • Já encontrei alguns famosos no banco que eu trabalhava, na Av. Paulista. E também já trabalhei em banco no aeroporto, portanto, via mais algumas pessoas famosas no corredor. Porém, o mais famoso de todos que já encontrei foi o John Travolta na Disney. Ele é muito simpático e esperou a lerdeza do meu celular destravar para tirar uma foto. © Fabiana Palaikis / Facebook
  • Uma vez passeando numa marina em Paraty/RJ, cruzamos com uma turma que estava conversando. Cumprimentamos com o clássico “Bom dia” e, uns dois minutos depois, meu marido se deu conta de quem eles eram e falou: “Vocês têm ideia de que acabaram de dar ’Bom dia’ ao Barão Vermelho?” Caímos na risada, porque realmente não os reconhecemos. Virou história para contar sempre, pois gostamos da banda. Mas não os reconhecer foi demais! © Letícia Ribeiro / Facebook
  • Eu trabalhei numa emissora de televisão em Belém no início dos anos 2000 e, uma vez, uma voz me perguntou onde era o camarim. Eu fui levantando a vista, começando pelos pés descalços, quando olhei o rosto, percebi que era o Xandi do Harmonia do Samba. Na mesma emissora, após meu turno, eu estava indo para casa quando me pediram para segurar o elevador. Era a Jade (Giovanna Antonelli) e o Lucas (Murilo Benício), na época casados. Vieram fazer uma peça chamada Salvo Engano na minha cidade. © RoseMaria Barbosa / Facebook
  • Em 2007, Gabriel O Pensador lançou um álbum infantil que tinha uma música chamada GUALÍN — que quer dizer LÍNGUA (se trocarmos as sílabas de lugar). Eu encontrei o cantor em um avião e, ao descer, passei por ele e disse: DOTU GAL LÊ? (tudo legal?), então, ele sorriu e respondeu: DOTU LÃOQUITRAN (tudo tranquilão). Foi mágico. Só nós dois entendemos. © Rosangela Krause / Facebook
  • Há alguns anos, tive a sorte de encontrar o cantor Eduardo Costa em uma loja de conveniência de um posto de gasolina no estado do Maranhão. Ele foi fazer um show e eu estava de passagem na mesma cidade. Tomei café próximo a ele, mas não o reconheci, apenas quando já ia embora vi o ônibus com a foto e o nome dele. Fiquei brava comigo! © Ivanilde Oliveira / Facebook
  • Na época em que o Menudo era famoso fomos até onde eles estavam hospedados. Descobrimos em qual ônibus eles entrariam, então, eu subi no vão entre a roda e o ônibus e fiquei admirando a parte interna quando o Rick Martin entrou. Comecei a gritar de emoção, ele sorriu e disse “Olá”. Pena que as outras fãs me puxaram do local privilegiado e subiram se acotovelando para ver ele. © Erika Ventura / Facebook
  • Certo dia, teve gravação de uma cena de casamento na capela da minha faculdade, da novela Laços de Família. Vi vários artistas. Mas quem me impressionou foi a Vera Fisher, pois eu estava muito perto dela. É de uma beleza que transcende, uma beleza que ilumina. Ela é mil vezes mais bonita ao vivo. © Marcia Pereira / Facebook
  • Uma vez encontrei o Martinho da Vila no aeroporto de Vitória, ES. Os voos todos atrasados, mais de oito horas de espera. Conversei com ele, uma simpatia e alto astral contagiante tão grande que o tempo passou de forma agradável. Hoje, guardo essa lição comigo: se não tem solução, não adianta estressar ou ficar nervoso. Seja leve, seja Martinho da Vila. © Ana Rocha / Facebook
  • Uma vez, fui ao caixa eletrônico de um banco em Andrelândia e lá estava o ator Mauro Mendonça se apoiando em uma bengala e utilizando o caixa. Quando, de repente, chegou uma senhora e pediu para ele tirar uma foto com ela. Ele respondeu: “Deixa eu utilizar o caixa eletrônico primeiro que, depois eu tiro foto até de cabeça para baixo”. © Edmar Sá / Facebook
  • O astronauta Neil Armstrong veio almoçar no restaurante do meu pai em Quito no Equador. Eu ainda era adolescente, porém, o que me impressionou foi a altura dele e o tamanho das mãos quando fui apresentado a ele pelo meu pai. © Jean Patrick Magnenat / Facebook
  • Na semana do primeiro Rock in Rio, após seu show, Rod Stewart foi a uma boate onde eu também estava. Sentamos lado a lado, em grupos diferentes, ombro a ombro e mantive a classe sem tietar — apesar de ser super fanzoca dele. Fiquei na minha! © Claudia Moletta / Facebook

Qual seria a sua reação se você encontrasse algum famoso? Ou você já viu algum? Como foi? Conta para a gente!

Incrível/Gente/18 Histórias de pessoas que encontraram suas celebridades favoritas sem mais nem menos
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos