17 Provas de que os gatos são muito mais inteligentes do que pensamos

Existem várias pesquisas sobre a inteligência de animais, mas só quem tem um gato sabe o quão espertos e astutos eles podem ser. Abrir a geladeira ou dar descarga após usar banheiro? Fácil. E, às vezes, eles até salvam as vidas de pessoas. Se você pensa que seu gato não é inteligente, talvez seja porque ele simplesmente acha mais conveniente ocultar sua inteligência.

Nós, do Incrível.club, não paramos de admirar a engenhosidade de nossos amigos peludos e reunimos as histórias mais curiosas para você conferir.

  • Minha gata tinha uma cadeira favorita. Se eu sentasse nela, a espertinha me chamava para ir até a varanda, e quando eu me levantava para abrir a porta — ela corria para tomar o meu lugar. © Marina Bitieva-Moskalenko / Facebook
  • Quando eu tinha 16 anos, uma vez, de repente senti cãibra na perna. Me encolhi de dor, e minha gata correu até mim e agarrou a minha panturrilha com suas patas. Aí ela começou a amassá-la com suas garras. Achei tão engraçada a maneira como ela fazia aquilo, foi doloroso e engraçado ao mesmo tempo. Depois ela olhou nos meus olhos e miou, como se estivesse me perguntando “está tudo bem?” A dor passou, a gata se acalmou e saiu correndo. Mais tarde, descobri que cãibras musculares podem ser aliviadas com uma picada de agulha. © Natalia-Natalia St / Facebook
  • Estava sentada no chão, tentando fechar o botão de uns shorts muito apertados. Ouvi um barulho estranho vindo de trás do painel da TV. Eu sabia que só poderia ser meu gato, Paddy, arranhando a parede. Ele costumava fazer isso quando era um gatinho, mas não fazia há anos. Comecei a repreendê-lo, quando de repente o barulho mudou. Não sabia o que fazer além de correr e gritar, porque havia vespas na minha sala de estar. Cerca de 50! Falei para meu namorado correr, e ele se trancou no carro. A parte mais assustadora de tudo isso é que ele era severamente alérgico a vespas e, se elas o picassem, ele, certamente, teria um choque anafilático. Quem sabe até que ponto as coisas teriam chegado se Paddy não tivesse nos alertado a tempo? © Lauren Milne / Quora
  • Hoje foi a segunda noite que não consegui dormir porque meu gato fica mordendo as cordas do violão. Até enfiei uma meia entre as cordas, para abafar o som. Estava funcionando e consegui dormir meia hora. Mas aí o espertinho tirou metade da meia. © sad_bulochka / Twitter
  • Quando estou brigando com alguém, meu gato vem e morde a perna dessa pessoa. Parece que me protege, senão quem mais vai alimentá-lo? © skukozhilsa / Twitter
  • Uma noite, ouvimos um choro de gato vindo do lado de fora. Não tínhamos ideia do que podia ser, pois todos nossos gatos estavam em casa. Desci as escadas, abri a porta, vi Ginger, o gato do vizinho, e perguntei: “O que aconteceu, você está com fome?” Fui buscar comida para ele e, quando voltei, vi um rato. Pelo menos, era assim que parecia: algo pequeno e preto na minha porta. Acendi a luz e percebi que o “rato” era um pequeno gatinho preto. Era ele quem chorava. Peguei o gatinho em meus braços e, naquele momento, Ginger saiu de trás do arbusto onde estava escondido. Ele não tocou na comida que eu trouxe. Quando levei o gatinho para dentro de casa, Ginger ainda ficou lá olhando para mim com preocupação. E aqui está o filhote depois de todos os desafios. © Mario Stradale / Quora
  • Tenho certeza que meu gato Butter entende tudo o que a gente fala. Mas Tom, meu namorado, não acredita. Uma vez, Tom, um tanto presunçosamente, disse que iria testá-lo. Sem chamá-lo pelo nome, disse: “Gato, se você me entende, olhe para mim”. Butter estava dormindo no meu colo, mas imediatamente levantou a cabeça e olhou diretamente para Tom, como se dissesse: “O que você quer?” Tom literalmente ficou de queixo caído. Sinceramente, também fiquei surpresa, mas, igualmente presunçosa, disse: “Bem, eu avisei!” © Melody Burke / Quora
  • Meu gato aprendeu a abrir a geladeira e pegar comida. Colocamos uma cadeira na frente para impedi-lo. Depois de algumas semanas, ele começou a empurrar a cadeira, para seguir tirando comida da geladeira. A geladeira da minha mãe é antiga, então colocamos uma espécie de gancho para travar a porta. Agora o gato pula em cima da geladeira, puxa o gancho com as patas e abre a porta. © Eugenia Eremeeva / AdMe
  • Dante, meu gato, acabou de fechar a gaveta da mesa para poder pular nela e se deitar na sua almofada. Estou orgulhosa de ter criado um gênio. © akravidaes / Twitter
  • No bairro onde eu morava havia um gato de rua — o rei da vizinhança. Eu o alimentava, mas levei um ano de trabalho duro para conseguir conquistá-lo. Uma vez, minha gata desapareceu. Procurei por ela em todos os lugares, mas em vão. Estava desesperada, e quando vi o gato, perguntei: “Onde ela está? Encontre sua amiga e traga ela para casa!” Depois de dois dias, ele voltou: coberto de lama e ferido. Caminhava devagar, parava e olhava em volta. E atrás dele, tão magrinha, mancava a minha gatinha. Gritei de alegria, e quando ela me viu, correu até mim. Alimentei os dois e cuidei de suas feridas. Todo mundo diz que foi uma coincidência, mas tenho certeza que o gato realmente me entendeu. © Kimberly Ann Carel / Quora
  • Uma vez, não fechamos bem a churrasqueira, e um pedacinho de carvão caiu e incendiou o lixo. Nossa gata veio correndo até mim do outro lado da casa, toda desgrenhada de ansiedade, gritando e me puxando. O bom é que estamos acostumados a dar-lhe ouvidos. Larguei tudo e fui ver o que se passava. E bem a tempo. Ela sempre nos informa sobre tudo o que é suspeito: se uma vespa entrou voando no quarto, se um cano do banheiro estourou ou a janela bateu com muita força. Às vezes, são coisas completamente inofensivas, mas é melhor prevenir e continuar a ouvi-la. © Margarita May / AdMe
  • Meu gato siamês, quando quer brincar, começa a trazer seus brinquedos para mim. Se isso não funcionar, ele pega um pau com cordas na ponta (também um brinquedo) e arrasta para frente e para trás pelo corredor até que eu desista e comece a brincar com ele. © Bulkasizumom / AdMe
  • Uma vez, quase tive um ataque cardíaco por causa do meu gato. Eu estava sentado em frente ao PC, e ouvi alguém dando descarga no banheiro. A propósito, eu moro sozinho. Descobri que meu gato aprendeu a apertar o botão da descarga. Agora me pergunto: quanta água será que ele já gastou enquanto eu estava no trabalho? Estou ansioso para ver as contas da casa. © Tenchu / Pikabu
  • Morávamos com os pais do meu marido. Eles tinham um gato adorável chamado Mishka. Uma manhã, meu marido e eu estávamos saindo e começamos a discutir sobre alguma coisa, não me lembro exatamente o quê. Me sentei para colocar meus sapatos e falei um palavrão. Mishka apareceu, me olhou com seriedade e agarrou minha mão com os dentes. Não com força, com uma leve pressão. E não largava. Ficou me olhando severamente. Eu me calei surpresa e olhei para ele. Mishka percebeu que me acalmei, me largou e voltou a dormir. Contamos isso para o meu sogro, e ele riu. Ele disse que o gato sempre se comporta assim: não gosta quando alguém fala palavrões. © RagDolly / AdMe
  • Nossa gata entende os comandos “dá a pata”, “senta” e “mia”, embora, às vezes, não obedeça. © Dwarf98 / Pikabu
  • Um dia frio, vi um gato de rua que havia machucado a pata. Deixei ele entrar em casa. Nos entendíamos perfeitamente: eu não gostava de gatos, ele — de pessoas. Falei com firmeza que ele podia ficar apenas no puff ao lado do aquecedor. Ele não se importou e não entrava nos quartos. Posso não gostar de gatos, mas não perdi minha humanidade. Senti pena dele: coitadinho, mancava e miava de dor ao pular. Levei comida para ele por duas semanas, mas nada de ele melhorar. Um dia, eu estava sentada na cozinha e pelo canto do olho vi o gato pulando e caminhando para a porta, sem nenhum problema! Eu perguntei: “Você melhorou?” E ele começou a mancar novamente. O espertinho estava fingindo. Deve ter esquecido que estava “doente”. Minha amiga e eu rimos muito nesse dia! © Elena Duhovnaya / Facebook
  • Certa vez, quando nosso filho tinha 9 meses, nosso gato começou a subir na cama dele. Eu tirava o gato do berço e ele imediatamente pulava de volta, olhava para mim e se encostava no bebê. Tive de expulsá-lo do quarto. Uma hora depois, meu filho teve febre. Ele ficou doente por duas semanas. O gato sentiu antes de nós que a criança não estava bem e tentou ajudá-la© Anna Litvinova / Facebook

Qual é a coisa mais inteligente que seu gato já fez? Compartilhe conosco nos comentários.

Compartilhar este artigo