Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

17 Pessoas que perceberam que estudar idiomas pode tornar a vida mais divertida

Aprender um novo idioma não é apenas útil, é também divertido. É possível que você encontre livros didáticos cujos autores com certeza quiseram trollar os alunos, conhecer a arte de se livrar dos namorados chatos e, além disso, acumular uma dúzia ou mais de piadas que, anos depois, farão todo mundo rir.

Nós, do Incrível.club, rachamos de rir enquanto preparávamos esta coleção de curiosidades relacionadas a arte de aprender um novo idioma.

  • Minha esposa e eu decidimos falar apenas inglês às quartas-feiras. Qualquer pergunta, qualquer frase devia ser apenas no idioma, exclusivamente em inglês. Portanto, às quartas-feiras não conversamos. © WebDiez / Pikabu

  • Aprendi uma expressão em italiano: “Buonanotte al secchio”. Geralmente essa frase é usada no sentido de “acabou, chega”, quando é mais fácil encerrar uma conversa do que explicar algo ao outro. O engraçado é que ela literalmente significa “Dar boa noite ao balde”. © bennet_forever / Twitter

  • Diálogo entre os amigos:
    — A propósito, obrigado à nossa professora de inglês. Ela nos deu um curso sobre abreviações, emojis e gírias. Claro, com ênfase no inglês. E o ditado de abreviaturas foi muito engraçado. Por exemplo, a professora diz: “Estou rolando no chão de tanto rir”, e você precisa escrever em inglês “LOL” e uma transcrição.
    — “Estou rolando” é ROFL (rolling on the floor laughing)
    — Tirei nota baixa nessa prova. © unknown / bash.im

  • Amo o meu livro de espanhol por trazer exemplos como este: Traduza para o espanhol “Por que você está tão triste?” — “Porque não tenho onde morar”; “Prefiro quartos com pé-direito baixo, porque aí pareço mais alto”; “Por que meu travesseiro está na geladeira?” — “Oh meu Deus! Então o que está debaixo do cobertor?” © unknown / bash.im

  • No ano passado, joguei mini golfe com amigos. Ocasionalmente, eu dizia alguns palavrões em alemão, porque meus amigos, que não sabiam o idioma, achavam engraçado. De repente uma senhora veio até nós e perguntou-me: “É alemão?!” Eu respondi: “Sim”, pensando que ela entendera tudo o que foi dito. Fiquei envergonhado! Felizmente ela não falava alemão, mas o seu filho sim, e ela acabou reconhecendo o idioma pela pronúncia. Por um segundo, me senti um idiota! © IMPF / reddit

  • Eu queria muito aprender a falar francês. E já sabia um pouco, palavras como: “Renault”, “Peugeot” e baguete. Comprei um livro para estudar sozinha, e cada lição era composta de uma regra gramatical e algumas frases novas do dia a dia. Na segunda lição havia uma frase: “Jacques, não me incomode! Estou com dor de cabeça!” Resumindo: como pedir comida e um café em francês ainda não aprendi, mas como dar um “chega para lá” no Jacques já sei. © YuliyaZi / Pikabu

  • Um amigo meu frequentemente viaja a negócios e uma vez me convidou para ir com ele à Rússia. Ele esteve lá várias vezes, mas não falava o idioma e não sabia o alfabeto cirílico. Eu me preparei um pouco melhor para a viagem, então podia conversar, pedir instruções e um pouco mais. No hotel ele disse que precisamos encontrar uma “pectopa” para o jantar. Eu perguntei, “Pectopa?” Meu amigo respondeu que era assim que os russos diziam restaurante. Eu ri e disse que em russo, “P” é um “R”, “C” é um “S” e “H” é um “N”. A pronúncia seria “Restoran”. Ele começou a rir também e me explicou que durante três anos chamou restaurante de “Pectopa” na frente de seus parceiros de negócios. Então, somente agora ele entendeu por que as pessoas ficavam constrangidas e acenavam educadamente a cabeças em resposta. © tyrannosaw / reddit

  • Em um livro de espanhol aparecem textos adoráveis:

    — Olá! Qual é o seu nome?

    — Boa tarde! Meu nome é Luis Alberto Montenegro Guevara Diaz de la Prada.

    — Adeus! © unknown / bash.im

  • Na infância, minha irmã e eu tínhamos um passatempo favorito: íamos a um cinema e começávamos a conversar baixinho em inglês durante a sessão, como se comentássemos o filme. As pessoas sentadas ao nosso lado se viravam, pareciam surpresas e curiosas. E assim saíamos no final da sessão satisfeitas, nos passando por estrangeiras. Porém, não falávamos inglês na época e simplesmente fazíamos sons semelhantes aos da língua inglesa. Nem consigo imaginar como éramos vistas por aquelas pessoas. © Podslushano / vk

  • — Como está o seu chinês?
    — Como posso te dizer... Os chineses já entendem que falo chinês, mas ainda não entendem o que eu falo. © unknown / bash.im

  • Aos três anos, eu era fluente em vietnamita e em inglês, porém, não percebia como alternava os dois idiomas. Um dia, pedi à professora permissão para ir ao banheiro. Aparentemente, falei em vietnamita. A professora respondeu: “Querida, não entendo o que você está dizendo”. Mas eu persisti: “O que a senhora quer dizer com isso? Eu preciso ir ao banheiro! Me deixa ir ao banheiro!” Gritei de desespero e depois tentei sair. Levaram-me à sala da diretora e ligaram para minha mãe, porque pensaram que eu queria fugir da escolinha. Depois, expliquei tudo para minha mãe, e naquele dia ela me deixou andar cinco vezes em um carrossel gigante. © Ly Nguyen / Quora

  • Em japonês, os sons das palavras “fofo” e “feio” soam muito semelhantes. Então, viajei pelo Japão dizendo às pessoas que seus filhos e cachorros eram horríveis. © David Stewart / Quora

  • Meu ex-patrão era um coreano da Austrália. Ele começou a estudar chinês apenas algumas semanas antes de chegar ao país. Uma vez, ele decidiu dizer ao telefone, em chinês, que um determinado funcionário não estava no escritório. Contudo, em vez de “Ele não está aqui”, ele disse: “Ele morreu”. Achei engraçado até eu passar por situação semelhante. Perguntei a um homem do alto escalão se ele havia enlouquecido. Na verdade eu só queria saber se ele estava resfriado. © Christine Peng / Quora

  • Fui a um cabeleireiro na Jordânia. Tentei perguntar: “Onde você nasceu?” (soa como “Wen inweledat?”), mas ele entendeu a frase de forma diferente: “Onde está seu filho?” (“Wen weledak?). E ele respondeu: “Não tenho filhos, tenho apenas 26 anos”. No início não entendi nada, mas no final esclarecemos o mal-entendido. © Pinuzzo / Reddit

  • Quando estudava na Universidade, passei um semestre na Argentina. A matriarca da casa onde me hospedei era uma mulher muito boa. Ela sempre dizia meu nome no início de cada frase. Todas as suas frases começavam com “Joe” Isso me deixava louco. Uma noite, depois do jantar, eu já estava na cama e ouvi a senhora conversando com alguém, constantemente lembrando de mim. Então pensei: “O que está acontecendo?” Poucos dias depois, descobri que meu nome soava como “yo” em castelhano, que significa “eu”. © Joe DeSorte / Quora

  • Eu moro na Alemanha e trabalho em uma fábrica, que tem uma cantina. Os preços são razoáveis ​​e os funcionários podem tomar café da manhã ou almoçar lá. Recentemente, descobri que a gerência apresentou uma motivação interessante para os funcionários estudarem inglês. Em determinado dia da semana, você poderia almoçar por conta da empresa, desde que a conversa fosse apenas em inglês. Ótima ideia! © Podslushano / vk

  • Trabalho em uma escola de idiomas. Hoje veio um homem usando uma bengala e pediu para escrever o texto da canção “Good bye, my love, good bye” em inglês, mas em letras russas. Ele disse, que vai cantar para sua amada esposa. Sim, isso acontece! © Podslushano / vk

Você já viveu uma história engraçada ou embaraçosa com um idioma estrangeiro? Conte-nos como foi.

Compartilhar este artigo