Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

15+ Vizinhos imprevisíveis que protagonizaram muitas histórias engraçadas

4-11
214k

Vizinhos são pessoas sensíveis. Podem se incomodar com as obras inacabadas na casa ao lado, com o tamanho da cerca entre os terrenos ou com o desejo de algumas pessoas de dormir até tarde. Eles estão de acordo que música alta às 11h da noite demonstra falta de respeito com os outros e, assim, não vão deixar isso passar sem uma notificação. Não importa se eles mesmos fazem barulho até as 3h da madrugada de vez em quando. Viver ao lado de outras pessoas pode trazer grandes surpresas — agradáveis ou não — e as histórias de hoje são prova disso.

Incrível.club encontrou alguns casos que comprovam que não é fácil conviver com algumas pessoas. Mas, também, não é entediante. Imaginamos que você vai gostar e dar boas risadas com os depoimentos abaixo. No final do post, vamos mostrar que nem todos os vizinhos são difíceis de lidar. Confira!

  • História de um amigo. Ele morava no 7º andar. Certa manhã saiu de casa e, quando a vizinha o viu do elevador, apertou rapidamente o botão para as portas se fecharem e ele não conseguir entrar. Mas meu amigo não deixou barato: desceu as escadas rapidamente apertando o botão de chamada do elevador em cada um dos andares de baixo. Esperou, então, no térreo a vizinha chegar só para ver a cara dela de insatisfação. © yurry1 / Pikabu

  • Minha tia tem 70 anos e mora em uma casa em um condomínio fechado. Ela gosta de dormir até tarde, mas sempre acorda às 7h da manhã para... abrir as venezianas da janela. Volta, depois, para a cama e dorme até o meio-dia. Um dia, estávamos todos no aniversário da minha mãe e minha tia disse que precisava ir embora às 19h. Minha mãe insistiu: “Não, fique mais um pouco. Está cedo”. Minha tia respondeu: “Não posso. Se fechar as venezianas tarde demais, os vizinhos vão achar que estou farreando por aí. E se não as abrir cedo de manhã, vão pensar que eu durmo o tempo todo”. Assim vive minha tia — não pode ficar até tarde nos eventos e não pode dormir até tarde, mesmo querendo. Tudo por conta dos vizinhos com os quais ela conversa raramente. © Blackmahaon / Pikabu

  • Todos os sábados, às 6h da manhã, minha vizinha botava pra tocar a música “Who Let The Dogs Out”. Tão alto quanto permitia a capacidade do sistema de som dela. Enquanto a música tocava, ela descia para passear com seus (cinco!) cachorros pelo pátio do prédio. Escutávamos os latidos da música e dos animais ao mesmo tempo. © cerem86 / Reddit

  • Eu era, na verdade, uma péssima vizinha. Depois de chover, apareciam muitos caracóis no nosso jardim. Minha mãe os coletava em um pote e depois os jogava fora. Eu tinha 6 anos e sentia pena deles. Por isso, tive uma ideia genial: pegar o máximo de caracóis que conseguisse e... jogar no jardim da vizinha. Estava tentando salvá-los de um destino terrível. Certa vez escutei ela conversar com minha mãe: a mulher estava arrasada, pois as flores do quintal foram destruídas pelos pequenos animais. Ainda pior foi saber que as flores pertenciam ao falecido marido dela. Depois disso, passei a jogar os bichinhos nos jardins dos outros vizinhos — daqueles de quem minha mãe não gostava muito.
    © Sugarbombs / Reddit

  • Quando nos mudamos para nossa casa nova, demos uma cópia das chaves para nossos vizinhos, para o caso de alguma emergência, já que viajávamos com frequência. Uma vez, no entanto, voltamos de uma das viagens um dia antes do previsto. Quando chegamos, para nossa surpresa havia uma frota de carros estacionados na frente da casa, luzes por todo o perímetro e música alta tocando. Havia muita gente dentro, talheres e utensílios jogados por todos os lados, jacuzzi ligada. Nossos vizinhos fizeram uma enorme festa... na nossa casa. Expulsamos todos rapidamente e trocamos as fechaduras. Depois, ainda, encontramos roupas de outras pessoas dentro da máquina de lavar. © beachjammer421 / Reddit

  • Meus vizinhos são um casal de invejosos. Moram só os dois em uma casa tão boa quanto a minha. Mas isso não parece ser suficiente. Uma vez um amigo comprou um carro Kia Rio novinho em folha. Como a garagem dele ainda não estava pronta, deixou o veículo estacionado na frente da minha residência. Quando viram o carro, os vizinhos perguntaram: “De quem é?”, e respondi brincando: “Meu”. Uma semana depois, meu amigo buscou o carro e os vizinhos pararam de falar comigo. Depois descobri: eles retiraram todo o dinheiro que tinham na poupança e pegaram um empréstimo em um banco nada confiável somente para comprar um carro — e manter nossa “disputa” de quem é melhor. Dá para acreditar?
    © Dr.Zilbermann / Pikabu

  • Cresci em um condomínio de casas. Os vizinhos criavam galinhas e, muitas vezes, precisávamos expulsá-las do nosso quintal. Reclamamos, mas de nada adiantou. A situação nos irritou até o momento que encontrei um bocado de ovos em uma área entre os dois terrenos. Não pensei muito e os levei para casa. Comida de graça, pelo menos. Nos meses seguintes, passamos a pegar os ovos diariamente... até os vizinhos descobrirem, claro. © KotM / Pikabu

  • As pessoas se queixam de seus vizinhos por diversos motivos, mas nunca pensei que se queixariam disto. Há seis meses, lixamos as paredes e o teto da nossa cozinha para iniciar uma obra. Por questões financeiras, não pudemos dar continuidade ao processo, e a cozinha ficou desse jeito — toda lixada. A reclamação dos nossos vizinhos foi a seguinte: “Às vezes, quando olhamos pela janela à noite, vemos como a cozinha de vocês está feia e inacabada! Quando vão terminar as obras, hein?” © KovshikSwisky / Pikabu

  • Hoje passei o dia escutando como o vizinho de cima parecia estar enlouquecendo. Ele já:
    — gritou “lá-lá-lá-lá-lá”;
    — deu uma risada demoníaca;
    — cantou uma música da Beyoncé;
    — correu de alguém e quebrou alguma coisa;
    — emitiu em voz alta o som “graaaaaaaaaaa”;
    — bateu os pés no chão e disse “tá-tá!”
    Acho que está na hora de virarmos amigos. © lessprit / Twitter

“O vizinho do meu amigo trabalha como animador de festa. A varanda dele é assim”

  • Um dos meus vizinhos colocava seus sacos de lixo junto com os meus. Pode parecer bobeira, mas podíamos colocar no máximo dois sacos no caminhão de lixo que passava semanalmente para recolhê-los. Se houvesse sacolas extras, era preciso colocar uns adesivos especiais que deviam ser comprados. A situação se repetiu durante semanas, e decidi desmascarar o espertinho. Vesti as luvas de látex e comecei a fuçar os lixos para tentar descobrir a quem pertenciam. Encontrei uma carta com o endereço indicado. Juntei todas as sacolas que tinha guardado, fui até o local e deixei os lixos bem na porta da entrada. Depois disso, pararam com a palhaçada. © Larry_Mudd / Reddit

  • Entrei no banheiro para lavar as roupas e, de repente, notei que havia água caindo do teto. Corri para o andar de cima para falar com os vizinhos. Abriu a porta uma garota bem jovem enrolada em uma toalha. Da porta, via-se no chão um caminho de pétalas de rosas e velas na entrada do banheiro, de onde saiu um rapaz tão jovem quanto a moça. Por fim, eu os ajudei a resolver o problema, e a água parou de cair no meu apartamento. No dia seguinte, a garota não queria nem conversar comigo e não comentou sobre uma possível compensação, pois o problema havia sido causado por ela. Quando voltava do trabalho, no entanto, encontrei a moça com os pais dela no elevador. Ela ficou pálida. Eles falavam de como “os estudos” estavam ocupando demais a filha e, nessa hora, ela olhava pra mim desesperada, como se dissesse: “Por favor, não diga nada”. Eu dei a entender que depois conversaríamos melhor. Ela, então, apareceu no dia seguinte com uma caixa de bombons e pagou o serviço para consertarem o teto e a parede do meu banheiro. © Juliabcjb / Pikabu

  • Meus vizinhos ameaçaram me processar pelo fato de que parte da “nossa” neve estava caindo no quintal deles. Moro no Canadá e — na época — a neve chegava a um metro acima do solo. Estou bastante segura que não sou responsável pelo clima. © pecca / Reddit

“Me mudei para um apartamento novo com vizinhos, no mínimo, interessantes”

  • Eu e meu marido voltamos para casa de madrugada. Muito cansados. Colocamos a chave na fechadura, giramos e... nada da porta abrir. Depois de alguns minutos de tentativas malsucedidas, ela se abriu. Nosso vizinho pôs a cabeça para fora e nos encarou — com surpresa e um pouco de medo. Passaram-se alguns segundos, nos demos conta do que estava acontecendo e fomos embora correndo. O prédio é novo e, por isso, muitas portas são absolutamente idênticas. Só consigo imaginar o que passava pela cabeça dele ao escutar alguém tentando abrir a porta da sua casa de madrugada. © “Подслушано” / VK

  • Moro em um dormitório estudantil. Meu companheiro de quarto jogou meus “tomates” no lixo por estarem estragados. Me estressei, pois eram, na verdade, caquis comprados havia pouco tempo. Depois descobri que ele nunca tinha visto essa fruta. © “Подслушано” / VK

  • Sou casado, mas minha esposa estava no trabalho quando isto aconteceu. Uma vizinha bateu na minha porta — vestindo um roupão curto e semiaberto — com um frango marinado na mão e pedindo para usar meu forno, pois o dela estava quebrado. Deixei-a entrar, mostrei como funcionava e me tranquei no banheiro. Fiquei contando os minutos até aquele frango ficar pronto. © AnatoliiBomj / Twitter

Bônus: quando os vizinhos ajudam mais que a própria família

Em 2010-2011, havia uma família morando no nosso andar. Eu tinha uma boa relação com a filha do casal, que estava para se formar na escola. No fim do ano letivo, a menina estava se preparando para a festa de formatura. O problema foi que a mãe não gostava do namorado da filha. Dizia que ele não adicionava nada de bom à vida dela. Ela, então, deu um ultimato à garota: ou terminava com o namorado e ganhava um vestido de formatura ou iria com o que tivesse no armário. A garota fez as malas e foi morar com o namorado. Depois de alguns dias, nos encontramos e ela pediu um vestido emprestado. Escolhemos uma boa opção: uma peça longa amarela e bem bonita que eu tinha guardado. Depois da formatura, ela me devolveu a roupa, me deu dois beijos na bochecha e agradeceu imensamente pela ajuda. Mostrou as fotos da cerimônia — todas as garotas de vestidos pretos ou azuis. E ela, no meio, de amarelo. Muito especial. O relacionamento com o rapaz deu certo e eles se casaram. © ManticoreFox / Pikabu

Por quais situações trágicas, cômicas ou irritantes você já passou com seus vizinhos? Entra em guerra com eles ou são amigos? Comente!

4-11
214k