Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

15+ Vezes em que crianças tiveram atitudes adultas e se transformaram nos pais dos seus pais

É muito comum as pessoas pensarem que seus filhos pequenos são frágeis e que precisam de nós o tempo todo. Muitas chegam a pensar que não podem ficar doentes porque assim não vão conseguir ajudar os filhos. Mas quando algo realmente importante acontece percebemos que as crianças são muito mais sábias e independentes do que imaginamos, até mesmo as muito pequenas.

Nós, do Incrível.club, lemos os comentários de alguns leitores sobre seus filhos e trazemos para você as histórias que mais nos emocionaram. São relatos que mostram como as crianças têm uma empatia que supera as nossas expectativas.

  • Fui à escola do meu filho resolver uns problemas bem na hora do recreio. O encontrei no pátio com seu colega de sala, um rapaz que não pode ver. Meu filho o estava guiando. Foi uma emoção profunda ver essa cena: meu filho nunca havia comentado nada sobre isso 🥰. © Patricia Alejandra Munizaga Ibarra / Facebook

  • Uma vez, meu filho caiu, abriu o supercílio e começou a chorar. Eu, quando vi o sangue, chorei junto. Quando ele percebeu, secou as lágrimas e, apesar da dor, me disse com voz firme: “Calma, está tudo bem”. Ele tinha dois anos. © Sarai Torres Santiago / Facebook

  • Desde que minha filha era pequena, eu lhe dava um pouco de dinheiro no domingo por ter ajudado em casa. Quando ela tinha uns 5 anos, juntou o suficiente para nos convidar para comer pizza, para que eu não tivesse de cozinhar por um dia. Eu disse que não podia aceitar, porque esse dinheiro era para comprar algo para ela, mas minha filha falou que era aquilo que queria: comprar pizza para eu descansar. Então me senti mal por quase ter recusado esse gesto de amor e disse que tudo bem, que aceitaria uma pizza, mas que compraria a outra. Ela ficou toda feliz e contou para todo mundo que tinha nos convidado para comer com o dinheiro dela. © Georgina Monserrat Contreras Gamez / Facebook

  • Meu filho me contou que um dia estava preocupado porque não encontrava a tarefa. Foi então que decidiu procurar no Google: “O que fazer quando se perde a tarefa?” A resposta sugeria que contasse tudo para a professora. Ele percebeu que o Google não tinha sido de muita ajuda, porque se contasse para a professora, duas pessoas ficariam bravas: a professora e a mãe! Sempre morro de rir quando me lembro disso. © Kenia Leticia Jimenez / Facebook

  • Uma vez, quando meu filho tinha mais ou menos 3 anos, tive de ir ao banco com ele. A fila estava enorme e, em um dado momento, reclamei que estava cansada. Foi então que ele me disse: “Então sente-se”, mas respondi que não havia cadeiras. Poucos segundos depois, comecei a ouvir um barulho... Era meu filho arrastando uma cadeira no meio da agência. Tive de falar que ele não podia fazer aquilo, mas todos que viram a cena sorriram com ternura, eu tive vontade de chorar... © Daleth Herrera / Facebook

  • Me lembro de uma vez em que estava cuidando da minha irmãzinha, que estava aprendendo a andar e tinha de se apoiar nos móveis, nas portas e nas paredes. Meu pai tinha lhe comprado uma caixa de biscoitos. Ela adorou e queria mais, mas ele disse que ela já tinha comido o suficiente, colocou a caixa na gaveta de uma mesa que estava ao lado da porta e foi embora. Eu fiquei com minha irmã e percebi que ela queria pegar os biscoitos, mas eu lhe disse que não podia comer mais. Ela ficou ali, olhando para a caixa. Depois de um tempo, a vi segurar na porta e fazer com que pouco a pouco a caixa caísse. Ela tinha apenas dois anos, e a forma como se sentou e começou a pensar em como alcançar os biscoitos foi assustadora 😮. © Julie Díaz / Facebook

  • Minha mãe ficou doente e precisamos dar oxigênio para ela. Quando minha filha viu como aquilo era caro, pegou o dinheiro do seu cofrinho e me disse: “Toma, mãe, para o oxigênio da vovó”. Meu coração derreteu. Peguei e agradeci. Mas depois devolvi e falei para ela colocar no cofrinho. © Zeny Perez / Facebook

  • Minha mãe sempre cuida da minha filha enquanto estou no trabalho. Um dia, ela estava com enxaqueca e eu disse que podia deixar a menina com uma vizinha, mas ela preferiu ficar com a pequena. Antes de ir embora, falei para a minha filha se comportar bem, porque a vovó estava doente. Pedi que a minha vizinha fosse ver se tudo estava bem e ela me ligou dizendo que minha pequena de dois anos tinha dito em voz baixa: “Não fale, etá dodói. Brigada”. Depois disso, sempre que minha mãe está doente, ela pede que falemos mais baixo e faz carinho na cabeça dela. © Diana Johana Ramirez / Facebook

  • Meu filho de seis anos cresceu com dois primos mais velhos. Ele brinca o tempo todo e não consegue ficar quieto. Isso me fez pensar que daria problemas quando brincasse com crianças menores. Há algum tempo, fomos a uma festa e ele jogou futebol com crianças da idade dele. De repente, um bebê de aproximadamente um ano e meio começou a perseguir a bola. Meu filho pegou a bola com as mãos e, com calma, a deu para o pequeno. Morri de ternura! 🥰🥰 © Fanny HG / Facebook

  • Meu filho de 6 anos é bastante distraído, mas bastante inteligente e aprendeu a ler sozinho aos 3 anos. Um dia, eu estava um pouco cansada e dormi no sofá... Acordei quando senti que me cobriam com um cobertor. Ao ver que eu tinha aberto os olhos, ele me disse que não queria que eu ficasse doente. © Darling Rossel Henríquez / Facebook

  • Há pouco tempo estive doente e minha maior preocupação eram meus dois filhos, de 7 e de 3 anos. Fiquei muito surpresa com o mais velho, que cuidou da irmã, deu comida (que já estava pronta) e tomou conta dela. Ele até ajudou a arrumar a casa. Desde esse dia, não olho mais para ele como antes 😊. © Dayanara Reyes / Facebook

  • Um dia, quando meu neto tinha 3 anos, fui buscá-lo no jardim de infância. Dentro do carro, vi que o sol estava batendo no rosto dele. Como não queria parar para trocá-lo de lugar, achei mais fácil lhe dar meus óculos de sol. Quando chegamos em casa, os óculos estavam quebrados e perguntei o que tinha acontecido. Ele deu de ombros e disse: “Vó, por que você me deu?” E é verdade, o que podia esperar ao dar óculos para um bebê? © Diana Aquino / Facebook

Quando foi a última vez que o seu filho se mostrou mais maduro do que você estava preparado? Conte o que aconteceu nos comentários.

Compartilhar este artigo