Incrível
Incrível

15+ Internautas compartilharam suas memórias de infância que lembram com um sorriso no rosto até hoje

A infância talvez seja o período mais inesquecível da vida de uma pessoa. Esse é o momento em que estamos descobrindo o mundo ao nosso redor, fazendo os primeiros amigos — que, às vezes, permanecem até a velhice — vivemos o primeiro amor e nos metemos em confusão o tempo todo. Não há dúvidas que tais momentos são cuidadosamente guardados em nossas memórias e, vez ou outra, nos lembramos deles com nostalgia. Algumas recordações são engraçadas, outras, embaraçosas, mas todas elas ficam marcadas em nossos corações.

Nós, do Incrível.club, lemos os relatos dos internautas sobre sua infância despreocupada e chegamos à conclusão de que cada um se lembra da infância à sua maneira. E nos identificamos com algumas histórias. Confira!

  • Quando criança, era minha responsabilidade jogar o lixo na lixeira todos os dias. Meus pais tiravam o saco do balde, amarravam e colocavam na porta da frente para que eu não esquecesse. Um dia, me arrumei para a escola, peguei uma sacola na porta e joguei na lixeira. Quando cheguei em casa, minha mãe me perguntou por que eu não tinha jogado o lixo fora. Eu disse que joguei, aí ela me mostrou o saco: “Aqui está”. Resumindo, já se passaram dez anos e meu pai ainda está tentando lembrar onde colocou suas botas naquele dia. © pavelmax / Pikabu
  • Uma vez, quando tinha 7 anos, o telefone de casa tocou. Corri para atender e minha mãe falou para dizer que ela não estava em casa. E assim o fiz. Peguei o telefone e disse: “Olá, mamãe falou que ela não está!” Mais tarde, minha mãe foi fazer chá e me pediu para ficar de olho no leite na panela. Assim o fiz, fiquei assistindo ao leite derramar. Como deveria saber que era para desligar o fogão? De qualquer forma, eu era uma criança muito obediente e fazia exatamente o que me mandavam. © Haritha M / Quora
  • Minha mãe nos criou sozinha, trabalhando em uma feira, faça chuva, faça sol. Um dia, meu irmão e eu, estávamos distraídos brincando e não vimos a mamãe chegando em casa do trabalho. Ela abriu a porta e gritou: “Meus amores! Quem consegue beijar a mãe mais rápido?” Jogamos todos os nossos brinquedos e corremos o mais rápido que podíamos. As mãos da minha mãe estavam frias, o nariz vermelho e o casaco gelado... Ainda me lembro daqueles abraços gelados, mas tão calorosos. © Overheard / Ideer
  • Uma vez, eu e meu primo estávamos brincando de “pega-pega” e deu sede nele. Ele foi até a geladeira, viu um copo de água gelada e disse: “Uau, parece que adivinharam que eu iria querer um copo de água gelada!”, e bebeu devagar, fechando os olhos, apreciando aquela água como se estivesse em um comercial. De repente, ele sentiu algo tocando em seus lábios, abriu os olhos e era a dentadura da minha avó. Ele ficou congelado no começo, mas mesmo assim terminou a água. © kryspypatata / Reddit
  • Me lembro de ensinar minha mãe como sacudir o Kinder Ovo para saber qual brinquedo tinha dentro (o principal era não repetir). Quando fiquei resfriado, minha mãe me trouxe um, e veio um pinguim que eu ainda não tinha. © Evgenia Taran / AdMe

“Estou morando novamente no apartamento onde vivi quando tinha 4/5 anos. Não tínhamos muito dinheiro, então minha mãe pintou uma fada com tinta guache na parede branca. E ainda está aqui depois de 15 anos, escondida embaixo do papel de parede”

  • Quando eu era pequeno, morávamos em Paris e meu trabalho era ir comprar baguetes para o jantar. Geralmente, eu comia metade no caminho para casa. E quando minha mãe perguntava o que tinha acontecido, eu respondia: “Não sei, algo incrível!” Todas essas memórias vieram à tona quando dei uma mordida em uma baguete fresquinha e crocante. © bader_diedrich / Twitter
  • Deixe-me contar algo que me faz sorrir toda vez que penso nisso. Não gosto de clara cozida, então toda vez que nossa mãe fazia ovo cozido, eu jogava fora a clara; meu irmão acabou percebendo e sugeriu que trocasse minhas claras pelas gemas dele. E assim sempre foi: eu comia apenas gemas, ele, apenas as claras. Muitos anos se passaram, já não moramos mais na mesma casa, e um dia nos encontramos e comemos ovos cozidos. Ele silenciosamente me deu a gema, então, pela primeira vez, perguntei: “Por que você não gosta da gema? Ela é muito mais saborosa do que a clara”. E meu irmão respondeu: “Na verdade, eu gosto mais da gema”. Não nos dávamos bem durante a infância, brigávamos e não conversávamos muito, mas ele sempre sacrificou o que mais gostava por mim. Mesmo que seja uma besteira, é importante para mim. © MoxuTo.0 / Pikabu
  • Quando eu era pequeno, minha mãe me perguntou o que eu queria ser quando crescesse. Respondi que queria ser um avião. Ela perguntou novamente: “Ah, você quis dizer piloto?” Retruquei: “Não, eu quero ser um AVIÃO!” Quando seus pais lhe disserem que você pode ser o que quiser quando crescer, saiba que é tudo mentira. © unknown author / Reddit
  • Eu tinha uns 5 ou 6 anos e notei que meu primo fazia constantemente um gesto estranho com a mão para todos ao redor. Perguntei o que significava, e ele disse que na linguagem de sinais significava “eu te amo”. Imediatamente desci as escadas dizendo: “Mãe, veja o que eu aprendi!” Minha mãe não ficou muito feliz em ver seu filho de 6 anos lhe mostrando o dedo médio. © Robert Puckett / Quora
  • Quando era pequena, eu caía com tanta frequência que uma vez quando cheguei atrasada no jardim de infância meus amigos correram até mim e disseram: “Sofia, você chegou tarde, em vez de você, foi a Renata que caiu do balanço hoje”. © Overheard / VK
  • Meus pais não tinham muito dinheiro nos anos 90, mas o senso de humor deles nunca me decepcionou. Ia ter uma apresentação de Natal na escola e as meninas precisavam se vestir como flocos de neve e os meninos, como mosqueteiros. Não tínhamos dinheiro para comprar um vestido branco novo, mas eu tinha um vestido amarelo fofo pendurado no guarda-roupa. Minha mãe adora mostrar orgulhosamente o álbum de fotos dos filhos, especialmente a foto com as meninas vestidas de flocos de neve e eu com o vestido amarelo. Ela sempre diz: “Nosso floquinho de neve”. © Overheard / VK
  • Quando eu era pequeno, minha avó era conhecida em toda a cidade por seus deliciosos bolos e doces. Eu adorava visitá-la, pois sua casa sempre tinha guloseimas. Um dia, minha avó estava fazendo meus biscoitos favoritos, e, de vez em quando, eu corria na cozinha para pegar um assim que a vovó os tirava do forno, mas ela me enxotava de lá. Bem, durante minha investida seguinte, vi um biscoito na bancada. Roubei descaradamente e rapidamente dei uma mordida com vontade. Para minha decepção, o biscoito não tinha um gosto muito bom. E então percebi que era um porta-copos de cortiça, muito parecido com um biscoito. Minha avó riu até chorar, mas eu não achei graça. © Richard Slomkowski / Quora

Qual é a lembrança mais vívida da infância que você guarda na memória? Conte para a gente na seção de comentários.

Imagem de capa kryspypatata / Reddit
Incrível/Crianças/15+ Internautas compartilharam suas memórias de infância que lembram com um sorriso no rosto até hoje
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos