Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Brasileira atravessa 12 países de Fusca para dar o carro à mãe

Yamara Silva é uma publicitária brasileira de 27 anos que foi fazer intercâmbio nos EUA. Quase ao fim o período, ela teve a ideia de comprar um Fusca amarelo e dá-lo de presente à mãe. Para isso, rodou 17,6 mil km e passou por 12 países até chegar ao Brasil. No trajeto, enfrentou vários problemas.

Incrível.club conta para você como ela conseguiu essa espetacular façanha com a ajuda de um primo por meio dos registros que ela publicou no Instagram.

Cansada da vida de escritório

Moradora de Interlagos, bairro da periferia da zona sul de São Paulo, Yamara diz que se cansou do trabalho de escritório e decidiu juntar dinheiro, preparar toda a documentação necessária e, mesmo sem falar inglês fluentemente, ir para os EUA.

De São Paulo para Beverly Hills para conhecer Justin Bieber

Chegando nos EUA, Yamara fez diversos passeios. O dinheiro acabou e ela começou a trabalhar entregando comida e dormindo no próprio carro. Nenhuma dessas dificuldades a impediu de realizar o sonho de encontrar Justin Bieber no meio de Beverly Hills, na Califórnia.

Curtição nos EUA

A publicitária e duas amigas decidiram viajar pelos EUA em uma van com quase 40 anos de uso. A diversão durou pouco, já que o veículo quebrou no primeiro dia de viagem e teve de ser rebocado.

Quilômetros do bem

Depois de algum tempo nos EUA, Yamara decidiu que compraria um Fusca Amarelo para dá-lo à mãe, Regina. Ela diz que, quando criança, a mãe tinha um, mas foi roubado. Com o dinheiro que juntou nos EUA, Yamara comprou o carro e lançou uma campanha nas redes sociais para custear o trajeto San Diego, nos EUA, até São Paulo.

Ajuda do primo para dirigir

Já com o Fusca Amarelo abastecido, Yamara se deu conta de que o câmbio dele era manual, e não automático. Como a publicitária nasceu sem a mão direita, teria de aprender a dirigir o veículo sozinha. Porém, um primo chamado Júnior saiu do Brasil rumo a Califórnia para ajudá-la.

Perrengue no início da viagem

Após resolver a documentação do veículo, Yamara e Júnior pegaram a estrada. O problema é que o Fusca não passou por revisão, e, logo no começo da viagem, parou no meio do deserto à noite, perto de Mexicale, no México. Um mecânico os ajudou e eles seguiram viagem. Na maior parte do tempo eles dormiram dentro do Fusca. Uma das poucas noites em que dormiram fora, em Guadalajara, alguém tentou roubar o veículo e Júnior conseguiu evitar.

Trabalhos solidários

Como o projeto Quilômetros do Bem inclui trabalhos solidários, Yamara e o primo Junior buscavam instituições e ONGs nas paradas em que faziam para dar apoio. Algumas vezes eles passavam o dia com as pessoas, tal como foi em Guadalajara (México), com um menino com Síndrome de Down. Outras vezes, eles doaram a roupa do próprio corpo, tal como aconteceu em Honduras, após parte do país ser atingida por uma forte tempestade.

Passando frio no México

Fila na aduaneira de Guatemala

Cansaço ao chegar em El Salvador

Pausa para esfriar o motor na Guatemala

Mais um refresco pro Fusca antes de entrar na Nicarágua

Chuva na Costa Rica

Travessia pelo canal do Panamá

Trajeto de navio pela Colômbia

Mais um refresco para o motor do Fusca no Equador

Parada para foto no Peru

Enfim, a chegada ao Brasil

Divisa com Acre

Dois meses e três dias depois de ter saído dos EUA, e após ter passado vários imprevistos, Yamara e Júnior finalmente chegaram ao Brasil pelo Acre. Até a chegada a São Paulo eles ainda iriam enfrentar mais três dias de viagem.

A entrega do Fusca para a dona Regina

Ao chegarem em Interlagos, em São Paulo, para entregar o Fusca Amarelo para Regina, Yamara e Júnior foram recepcionados com muita festa por uma multidão de amigos e seguidores das redes sociais do Quilômetros do Bem.

Viagem que se tornou projeto de vida

De volta ao Brasil e após entregar o Fusca Amarelo para a mãe, a publicitária diz que nunca vai voltar para o escritório. Fez da experiência com o Quilômetros do Bem e a viagem entre os EUA e o Brasil um motivo de vida. Agora, desenvolve trabalhos voluntários e percorrerá o Brasil com o objetivo de fazer trabalhos sociais.

Muitas viagens têm o poder de nos transformar e fazer com que as nossas vidas tomem um novo rumo. Você conhece alguém que se transformou após passar por uma experiência tal como a da Yamara? Conte pra gente.