Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

30 Coisas diferentes que encontramos no Japão que vão além de comer com “hashi”

Apesar da globalização, alguns costumes são muito diferentes de um país para o outro. Nós já conhecemos algumas curiosidades vindas do país do Sol Nascente como usar pauzinho (hashi) para comer ou aquelas lindas e suntuosas vestes de seda (kimono). Mas existem fatos ainda mais curiosos para nós ocidentais, que a maioria nem imaginava.

No Incrível.club você vai descobrir mais sobre esse país fantástico, com seus costumes diferentes e curiosos, a sua educação invejável e sua cultura riquíssima formada há quase 3.000 anos. Veja conosco e se surpreenda.

1. Nerds e otakus: mas o que são?

Os jovens japoneses, em sua maioria, são nerds (estudiosos dedicados), são viciados em animes (desenho animado japonês) e jogos, usam roupas e cabelos chamativos, geralmente imitando personagens de anime e jogos. Uma coisa bem curiosa para quem não está acostumado, já que pode se deparar na rua com um homem engravatado e uma menina com roupas de boneca e cabelo azul.

2. O mundo Kawaii

A expressão Kawaii no Japão para os jovens quer dizer algo fofo e de inocência infantil. Essa moda está ligada ao modo de vestir, a bichinhos de pelúcia e coisas de criança, como material escolar e maquiagem estilo romântico. Essa explosão de fofura se dá porque os orientais acham as crianças muito bonitinhas, com suas bochechas grandes e fofas, um exemplo disso é a personagem Hello Kitty.

3. Banhos públicos

O país é repleto de fontes termais naturais, por ter terras vulcânicas, que são muito boas para a saúde e o nome delas é Onsen. Frequentar esses lugares é cultural e existem milhares espalhadas pela ilha. Nessas fontes as pessoas precisam ficar nuas e isso não é problema para os japoneses. As pessoas são separadas apenas por gênero. Se você tem vergonha, pode ficar um tanto constrangido.

4. Comer macarrão fazendo barulho

Aqui no Brasil, fazer barulho ao comer é falta de educação, mas não no Japão. Lá é sinal de educação sorver a comida fazendo barulho, além de poder beber direto da tigela. Esse ato indica que a refeição estava maravilhosa e não há nada de mal nisso: é até um elogio para quem preparou a comida, que pode ser sopa, caldo ou macarrão com caldo, legumes e carne.

5. Tatuagem é mal vista

Apesar da globalização, os japoneses ainda não veem com bons olhos as tatuagens, porque no período Kofun (300-600 a.C.) os criminosos eram tatuados no rosto como forma de punição. Além disso, existe a associação dos membros da Yakuza, a famosa Máfia Japonesa e, por causa disso, muitos lugares como piscinas e banheiros públicos possuem um cartaz avisando que a entrada de tatuados não é permitida.

6. Ruas limpas e organizadas

Os brasileiros que visitam o Japão se espantam com as ruas que são muito limpas e bem cuidadas. Dificilmente vemos alguém jogar lixo no chão ou paredes pichadas. Eles têm um ditado que seguem à risca: ‘Um pássaro não suja o ninho que está prestes a sair‘, o que quer dizer que você só deve sair de um lugar após deixar ele agradável para o próximo que vier. Um exemplo de civilidade marcante.

7. Sem calçadas

Devido ao pouco espaço territorial, as ruas geralmente não possuem calçadas. Mas isso não quer dizer que não sejam organizadas. Diferentemente do Brasil, elas são perfeitamente pavimentadas, sempre lisinhas e sem nenhum buraco. Você acaba tendo que disputar o espaço com carros e bicicletas, mas tudo é bem organizado e dificilmente tem acidentes.

8. Regras no restaurante

A famosa gorjeta aqui no Brasil não é bem vista pelos japoneses; para eles não há necessidade de acrescentar mais nada pelo serviço que você já pagou. Caso você insista, eles podem se sentir constrangidos ou chateados. Mas diferentemente daqui, você pode chamar o garçom com um tom de voz alto e não vai ser considerado falta de educação.

9. Banheiros diferentes

Não estranhe se chegar em um banheiro público e se deparar com um sanitário repleto de botões. Às vezes, pode haver dificuldade em entender como funcionam, já que a maioria está em japonês. Diferentemente dos banheiros daqui, os do Japão são tão limpos que “dá para comer dentro deles”, não há mangueira de ducha, pois ela vem acoplada ao vaso e não existem cestos de lixo: eles jogam o papel no vaso.

10. Uniformes

As escolas têm um padrão para os uniformes: camisas brancas, calças pretas para os meninos e para as meninas são blusas estilo marinheiro e saia plissada. Elas não podem usar calças nem mesmo nos dias mais frios. Por isso, usam meias compridas. Na vida profissional, eles também gostam de vestir uniformes impecáveis ou ternos pretos.

11. Objetos largados

O índice de roubos de pertences pessoais é quase zero no Japão. Por isso, é muito comum as pessoas deixarem as suas bicicletas sem um cadeado ou bolsas e casacos na cadeira de bares e restaurantes para ir ao banheiro ou fazer algo fora do estabelecimento. E, caso esqueça do que deixou e volte no dia seguinte, não precisa se desesperar: suas coisas estarão no mesmo lugar.

12. Não pode assoar nariz em público

Mais uma coisa curiosa para nós brasileiros é que para os japoneses é uma grande falta de educação assoar o nariz em público. Por isso, já é comum que eles andem sempre com lenços de papel nas bolsas ou bolsos e em alguns lugares públicos esse acessório, indispensável para a boa educação, é oferecido de graça.

13. Não há carros estacionados na rua

Lá é proibido estacionar carros na rua. No Japão, ou você tem uma garagem para deixar seu carro ou paga por um estacionamento que, apesar de público, é bem caro. Caso a lei não seja cumprida, a multa também é bem alta: cerca de 650 reais. Por isso, em nenhuma hipótese, você vai ver carros estacionados nas calçadas ou em qualquer outro lugar do Japão.

14. Cachorros-bebês

No Japão é muito comum ver pessoas cuidando de cães ou gatos como se fossem bebês. Lá eles têm uma população de cerca de 21,5 milhões de animais de estimação e o comércio voltado para pets rende muito dinheiro. Tudo porque eles tratam os cães e gatos como filhos, não hesitam em gastar com marcas como Dior e Gucci e andam com seus bebês em carrinhos de bebê.

15. Sentar de joelhos (seiza)

Eles têm o costume de sentar em mesas baixas e sem cadeiras. Obviamente, isso não acontece em todos os lugares, mas ainda é uma tradição forte. E eles conseguem ficar assim por horas a fio sem se cansar, algo inimaginável para um ocidental. Na maioria dos restaurantes e casas eles têm somente essas mesas baixas sobre tatames e essa é a posição para se fazer as refeições.

16. Barracas sem atendentes

Lá é muito comum as Mujin hambai, que são tendas de agricultores que selecionam os produtos que desejam vender. Além de deixar alguns itens para degustação, colocam seus produtos com o preço e sem nenhum atendente. Eles deixam apenas uma caixinha sem cadeado, para que os clientes depositem o valor do que quiserem levar. Parece algo surreal para quem mora no Brasil, mas é verdade.

17. Bondade em abundância

Uma coisa marcante para quem é brasileiro e vai pela primeira vez ao Japão é a gentileza desse povo. Às vezes pode ser até difícil entender uma única palavra de japonês, mas se precisar de ajuda, com certeza você terá. O chamado Omotenashi, que nada mais é do que a hospitalidade japonesa, é um modo de vida que preserva a educação, a harmonia e a necessidade de evitar conflitos.

18. Dormir nos trens

É muito normal você entrar em um trem e ver pessoas dormindo. Ees literalmente caem no sono onde e quando tiverem vontade. O Inemuri, apesar de estranho, é muito comum em terras japonesas e é ainda mais surpreendente como eles conseguem acordar na hora certa para descer do trem. Os estrangeiros costumam dizer que é algum tipo de mágica. Será?

19. Comidas

Para a decepção da maioria, eles não comem apenas sushi. A comida mais comum lá são pratos como o arroz e o macarrão característico, que geralmente vem com caldo. Além disso, eles não usam colher: bebem o líquido diretamente da tigela. Alguns alimentos, eles comem com as mãos e são feitas pequenas porções para que caibam na boca, como os sushis e sashimis.

20. Máquinas de vendas

Alguns modelos mais restritos já existem no Brasil, mas nada se compara ao Japão. Essas máquinas estão espalhadas por toda parte e vendem de tudo um pouco: desde comida pronta em restaurantes até sombrinhas. Elas apareceram na década de 50 e viraram uma verdadeira febre por lá. Por incrível que pareça, são bem comuns nas áreas rurais e são muito úteis por funcionarem 24 horas.

21. Obesidade

Lá não vemos muitas pessoas acima do peso. É uma das poucas nações que possui baixa taxa de obesidade (3,7%). No Japão, o governo investe pesado em programas nutricionais e, nas escolas, as crianças dificilmente têm acesso a comidas não saudáveis. As empresas incentivam os funcionários a evitar o sobrepeso ou pagam multa ao governo. Apenas os lutadores de Sumô são exceção.

22. Semáforos sonoros e piso tátil

Em quase todo lugar no Japão, você verá opções que ajudam as pessoas com deficiência. Nas calçadas, estações de trem e metrô é possível ver uma clara sinalização e piso tátil, para que as pessoas com necessidades especiais possam se orientar. Os semáforos possuem sinais sonoros para facilitar a travessia e até as bebidas alcoólicas possuem inscrição em Braille para ninguém beber por engano.

23. Não se fuma na rua, mas é permitido nos restaurantes

Nas ruas japonesas existe um tipo de salinha que funciona como fumódromo. Fora dela não é permitido fumar, mesmo que ao ar livre. Mas, por incrível que pareça, o fumo é permitido em restaurantes sinalizados. Uma empresa de marketing chamada Piala decidiu oferecer 6 dias de folga remunerada para quem não fuma porque, para eles, esse funcionário não perde tempo parando para fumar.

24. Limpeza nas escolas

Apesar de as escolas possuírem um zelador, a responsabilidade da limpeza é dos alunos. Cada turma limpa e organiza as salas que usaram, além das áreas comuns, como banheiros e corredores. Esse gesto é tão comum para eles, que se estende na vida adulta e fazem o mesmo nas ruas. Nas Olimpíadas sediadas pelo Brasil, por exemplo, pudemos ver os japoneses recolhendo o lixo no final dos eventos.

25. Dormir no trabalho

Falamos de dormir em locais públicos, mas dormir no trabalho lá não só é permitido, como é também admirável. Esse ato significa para eles que o empregado se dedicou ao trabalho até a exaustão, que trabalhou duro e isso é extremamente importante culturalmente. Cerca de 23% deles trabalham 80 horas por semana e mais de 10% chegam a 100 horas.

26. As mulheres tingiam os dentes de preto

No antigo Japão, as pessoas tinham o costume de pintar seus dentes de preto. Isso começou porque eles pintavam o rosto de branco e os dentes pareciam amarelados. Isso também evitava cáries, indicava que a mulher era casada, era sinal de lealdade, além de ser atraente na época. A prática se chamava “ohaguro” e também servia como uma ilusão para poder sorrir sem mostrar os dentes.

27. Respeito aos professores

Os orientais têm um modo diferente de cumprimento, mas eles se destacam pelo respeito que têm pelos professores. No início e no fim das aulas os alunos ficam de pé e se curvam para cumprimentar o mestre. Esses profissionais são muito respeitados e admirados no Japão. Além disso, são altamente preparados e estão entre os funcionários públicos mais bem pagos do país.

28. Não há lixeiras de rua

Apesar de um pouco estranho para o brasileiro, uma das coisas que você vai sentir falta são as lixeiras públicas. Os japoneses foram acostumados a levar consigo o lixo que produzem e jogar na lixeira de casa ou em locais específicos para reciclagem. As ruas não têm lixo espalhado e não existe varredores de rua.

29. Não levantam das cadeiras

Apesar de eles serem muito solícitos e educados, eles não levantam de onde estão sentados para dar lugar para idosos, gestantes e pessoas com crianças de colo, como fazemos aqui. Nos trens, metrôs e ônibus existem vagões e assentos específicos para esse grupo de pessoas, então eles supõem que se não estão nos locais certos, é porque não querem sentar.

30. Outras curiosidades sobre alimentos

Muitas coisas no Japão são incomuns para nós brasileiros. Separamos então algumas coisas curiosas que será preciso atravessar cerca de 17 mil quilômetros para conhecer:

  • Eles podem usar o Hashi ou as mãos para comer;
  • Existem mais de 70 sabores da bebida Fanta, além dos que conhecemos eles têm: abacaxi, laranja com Coca-Cola, pêssego, ponche de frutas, maçã verde e morango, grapefruit, lichia, kiwi, fruta misteriosa, hip hop, ameixa-japonesa (sumomo) e Vitamina-C;
  • Lanchonetes como o McDonald’s ficam abertas 24 horas e nelas surgiram os chamados McRefugiados: essoas que vivem lá por não terem onde morar;
  • Uma iguaria por lá é a carne de cavalo crua. Ela é conhecida por “carne de flor de cerejeira” por sua cor rosa. Elas podem ser comidas com shoyu (molho de soja);
  • Além dos sabores normais e marcas tradicionais, eles têm sorvete com sabores curiosos como o de enguia e carne crua de cavalo ou de cobra;
  • É possível encontrar restaurantes que servem ramen (macarrão) por toda parte no Japão, os chamados ramen-ya;
  • Um alimento que pode fazer parte de todas as refeições no Japão é o arroz. Ele pode inclusive ser servido no café da manhã.

Gostou das curiosidades? Já conhecia algumas delas? Tem vontade de conhecer o Japão? Conte para nós.