Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

13 Lugares onde muitos turistas não vão querer ir uma segunda vez

1-22
187k

Infelizmente, alguns pontos turísticos que tanto sonhamos em ver quando programamos uma viagem acabam não correspondendo às expectativas das fotos da Internet, o que pode acabar arruinando os ânimos durante a tão esperada viagem. Pontos turísticos superestimados são o tema deste post.

Para evitar que isso aconteça durante suas férias, o Incrível.club preparou este post com 13 lugares que costumam decepcionar os turistas. Confira!

1. Monumento a Romeu e Julieta em Verona

Segundo a lenda, quem tocar no braço ou no peito direito de Julieta encontrará seu amor. Infelizmente, muitos turistas não se preocupam em preservar a estátua, e agarram Julieta pelo peito sem o menor cuidado. Já o punho da obra está se partindo devido aos constantes “apertos de mão”.

Além disso, quando você chegar para apreciar o monumento, certamente encontrará dezenas de turistas ao redor das figuras dos amantes, o que estraga muito a atmosfera desse lugar romântico.

2. A Pequena Sereia em Copenhague

Antigamente, a Pequena Sereia do conto de Hans Christian Andersen estava localizada diretamente em uma rocha no porto marítimo de Copenhague. Mas hoje em dia não é tão fácil assim ver essa obra. Em 2007, as autoridades da cidade anunciaram que afastariam a estátua de lugares lotados, a fim de evitar os casos frequentes de vandalismo e impedir que os turistas tentassem escalar o monumento e assim danificar a obra.

No entanto, não é o longo caminho para chegar à estátua que decepciona os turistas, e sim o tamanho da escultura. Com altas expectativas para ver o majestoso monumento, sobre o qual as ondas do mar quebram, no local os turistas descobrem que a sereia é, de fato, pequena — medindo apenas 1,25 m.

3. Museu dos Beatles em Liverpool

Os fãs do lendário grupo ao qual esse museu é dedicado ficarão claramente desapontados. Afinal, eles não aprenderão quase nada de novo sobre os Beatles.

Existem pouquíssimas exposições no museu e o acervo de itens pertencentes aos membros do grupo é insuficiente. Além disso, tudo o que é dito no museu já é bem conhecido pelo público em geral. A abundância de atrações desnecessárias também é perturbadora, por exemplo, um cinema 4D que encharca os visitantes com água sem motivo. Definitivamente, tudo isso não vale 15 libras esterlinas (aproximadamente 80 reais).

4. Heineken Experience em Amsterdam

Como esse museu entrou na lista das melhores atrações de Amsterdã, juntamente com o Museu Van Gogh e a casa de Anne Frank, é completamente incompreensível. É improvável que seus criadores tenham se preocupado em introduzir os visitantes ao processo de produção de cerveja. Provavelmente, essa atração seja apenas mais um recurso para promover a marca.

O bilhete custa 18 euros (aproximadamente 80 reais), e para chegar ao museu você terá que enfrentar uma grande fila. O ponto principal da atração é uma caminhada pela cervejaria principal, que, como se pode ver durante a excursão, já não funciona lá há muito tempo. Depois do passeio frustrante, a única solução é consolar os convidados com uma visita ao museu que conta a história da marca e partir para a degustação.

5. Teatro Alla Scala em Milão

Ao caminhar no centro da cidade em busca da mundialmente famosa casa de ópera, tente não a perder de vista. É apenas uma despretensiosa mansão de 3 andares, muito menor do que o Teatro Bolshoi em Moscou, é quase imperceptível entre a exuberante e refinada arquitetura italiana.

A atração principal aqui é chegar para o espetáculo, porque a ópera italiana definitivamente não irá decepcioná-lo. Mas nem tudo são flores: apesar dos ingressos não estarem disponíveis apenas nas bilheterias do teatro, mas também para vendas na Internet, os assentos mais baratos para as performances de ópera mais famosas se esgotam em poucas horas após o início das vendas.

6. A Torre de Televisão de Berlim

A área de observação do edifício mais alto de Berlim não atende às expectativas dos visitantes, que enfrentam filas de até duas horas e pagam 16,50 euros (aproximadamente 75 reais) pela entrada. Ou até 21,50 euros (aproximadamente 100 reais) pelo direito de pular a fila, que quase não é respeitada, a propósito, devido à má organização.

Janelas sujas, dezenas de turistas, quase nenhum campo de visão para ver alguma coisa (ao contrário de outras atrações desse tipo em outras cidades), fora os preços abusivos no bar da Torre de TV. Os alemães administram muito bem quase tudo, mas ainda precisam trabalhar duro para que essa atração turística fique pelo menos aceitável.

7. Distrito da Luz Vermelha em Amsterdã

O mundialmente famoso Distrito da Luz Vermelha é mais decepcionante do que emocionante. As ruas são super sujas e lotadas de adolescentes bêbados. Uma visita a está área da cidade não será nem divertida, nem lasciva. E provavelmente causará uma impressão deprimente.

A propósito, os próprios moradores de Amsterdã estão se sentindo cada vez menos à vontade em sua própria cidade e até pediram às autoridades que tomassem medidas para proteger a capital da Holanda de turistas muito arrogantes e sem noção. Afinal, de acordo com os moradores locais, eles fazem o que querem, não se importando com os outros ou com o patrimônio público.

8. The Temple Bar em Dublin

Quase todo mundo que viaja para Dublin é aconselhado a visitar o The Temple Bar. No entanto, à noite, o bar lota e se formam grandes filas, onde você pode passar até várias horas. No final, o que era para ser uma noite divertida se transformará em uma completa decepção.

Ainda, devido ao grande número de clientes, a equipe é fisicamente impossível de limpar as mesas e fazer os pedidos, além dos preços que são muito altos. Outro ponto negativo é a cerveja, ela é completamente diluída e sem sabor (ao contrário do resto dos bares de Dublin, onde a cerveja é simplesmente excelente). Até os próprios irlandeses não frequentam esse bar.

9. O Museu Picasso em Antibes

Se durante suas férias na região Côte d’Azur (Costa Azul) você decidir apreciar o trabalho do mundialmente famoso artista espanhol Pablo Picasso, então o Museu em Antibes claramente não é para você.

A coleção apresentada no pequeno museu consiste, principalmente, de esboços do artista e em placas de cerâmica que lembram muito um artesanato infantil. As pinturas a óleo que valem a pena ver estão simplesmente perdidas entre esses esboços e cerâmicas.

Talvez o museu seja interessante para os pesquisadores profissionais de Picasso, mas para o resto, com o acervo que o museu oferece, você provavelmente ficará decepcionado com o talento do artista.

10. As praias da Indonésia, Índia e Tailândia

Quem nunca sonhou em relaxar nas águas cristalinas da Tailândia, ou em um passeio pela bela Indonésia e até mesmo visitar a misteriosa Índia. Normalmente, os turistas que visitam esses países, nunca deixam os hotéis ou se deslocam principalmente para os locais turísticos. Mas se você sair das áreas turísticas, as paisagens paradisíacas podem se transformar me um verdadeiro horror, e você simplesmente não reconhecerá o país em que está.

Esgoto nas ruas (principalmente devido ao fato de que os moradores usam muitos animais de carga), e o mar e as praias são muito sujas. O mais desagradável é que não apenas os turistas poluem a zona costeira, como também os próprios moradores locais.

11. Times Square em Nova Iorque

Uma caminhada pela Times Square (que, aliás, não é tão grande quanto você pensa) pode se tornar uma experiência ruim devido ao grande número de pessoas que querem visitar esse lugar. A rua está quase sempre cheia de turistas. Por causa dessa multidão de pessoas, ela rapidamente se torna suja e não parece mais tão atraente e tentadora. Até mesmo os outdoors gigantes não ajudam, porque hipnotizam os espectadores e atraem suas atenções congestionando mais ainda a praça.

12. Os campos de arroz de Tagalalang em Bali

As famosas plantações de arroz são um local muito popular entre os turistas. Provavelmente por causa disso, os habitantes locais veem os visitantes como dinheiro fácil e cobram por absolutamente tudo: taxa de entrada, fotografias, pelos balanços.

Além disso, o balanço é suspenso em grandes alturas, e como há tantos turistas é quase impossível caminhar pelos caminhos estreitos. Naturalmente, nem se pode sonhar com uma foto bem-feita para guardar de memória.

13. A cidade inteira é uma decepção

Chegando em Bruxelas, alguns admitem que existem mais desvantagens do que vantagens em visitar essa cidade, e muitos a classificam como decepcionante. A arquitetura de Bruxelas dificilmente pode surpreender um turista que tenha visitado pelo menos algumas capitais europeias. A famosa escultura “Manneken Pis” acaba por ser uma minúscula estátua em cima de uma fonte, quase impossível de se ver por causa da multidão de turistas que a cerca — bem decepcionante.

Além disso, muitos turistas ficam chocados com a quantidade de lixo e com os mictórios espalhados pelas ruas. O ambiente e o cheiro com certeza interferem bastante quando você está desfrutando suas férias. Lembrando que esses “mictórios de rua” também existem em Amsterdã, mas lá foi implementado com muito mais sucesso ao ambiente urbano. Acrescentando à tudo isso os altos preços na Bélgica, quase não haverá vantagens em visitar essa capital europeia pela segunda vez.

Para ser justo, vale a pena ressaltar que as impressões sobre uma atração específica, cidade ou país é uma questão muito subjetiva e vai de cada um. Além disso, muitos fatores podem influenciar na sua experiência: que época do ano você foi, por qual empresa e, é claro, suas próprias expectativas.

Talvez a Pequena Sereia de Copenhague à luz da lua o toque profundamente, ou o Museu Picasso o surpreenderá, apesar do acervo ser limitado, só porque você realmente ama Picasso.

De qualquer forma, esse artigo o ajudará a saber com antecedência sobre os pontos negativos desses locais, e abaixar suas expectativas se você espera por um lugar perfeito.

Quais atrações, cidades ou países o decepcionaram e por quê? Conte para a gente na seção de comentários.

1-22
187k