13 Casos em que pessoas cometeram deslizes colossais, mas decidiram gargalhar e deixar passar

Podemos ser doutores, ter vários diplomas universitários e até conseguir multiplicar números de três dígitos na cabeça. Mas ninguém está imune aos erros. Às vezes, é possível esquecer a carteira mais de uma vez no mercado ou otimizar um processo da maneira errada — o que importa é levar tudo no bom humor.

Para facilitar, os internautas contaram sobre seus próprios deslizes e os erros épicos de outras pessoas. Portanto, nós, do Incrível.club, não pudemos deixar de compartilhar nossos achados com você. Confira!

Esperamos que o cachorro não tenha passado fome

  • Eu estava comprando ração de cachorro e, somente no caixa, percebi que tinha esquecido a carteira. Bem, tudo bem. Voltei no dia seguinte, tirei a carteira do bolso no caixa e notei que havia esquecido de levar meu cartão de crédito (estava com minha esposa). Eu também não tinha dinheiro em espécie. Ao ver meu desespero, a vendedora apenas soltou: “Na terceira vez, você consegue!” © yayacocojumbo / Pikabu

“Encontrei um tonto na floresta. Era eu”

Pelo menos, ele tentou otimizar o processo

  • Certo dia, no escritório, decidi fazer café para meu amigo, que estava ocupado, e para mim também. Despejei o café instantâneo em duas canecas e fui até o filtro de água para adicionar a água quente. Naquele momento, me veio uma ideia genial! Para economizar tempo, coloquei cada caneca embaixo de cada uma das torneiras (de água quente e de água fria). E foi isso que fiz. © fallenvrag2 / Pikabu

“Esqueci que estava cozinhando. De novo. Era macarrão”

As dificuldades da infância e os “duros” obstáculos

  • Quando eu era criança, minha mãe trouxe um presente incrível da sua viagem: um Nintendo 64 e o jogo “007: Golden Eye”. Meu irmão e eu jogávamos o tempo todo. Dia após dia, semana após semana. Mas somente um nível. Passávamos pelos primeiros inimigos e então ficávamos presos nos portões, que não abriam por nada. Tentamos de tudo, mas em vão. Talvez se corrêssemos mais rápido poderíamos passar pelos portões antes de se fecharem, mas era impossível. O jogo ainda era em inglês, e não entendíamos nada. Paramos de jogar, as sessões de videogame se tornaram menos frequentes. Afinal, para que o esforço?! Então, um dia, decidi ligar o jogo e, mais uma vez, cheguei aos benditos portões. Me aproximei do cadeado e, sem querer, cliquei no botão “B” do controle. Meu mundo caiu, os portões se abriram. Era só clicar no “B”. Minha vida agora se divide em “antes” e “depois”. © elleremo / Pikabu

“Meu irmão colocou isto na máquina de lavar junto de suas roupas”

“Removedor de odores de gato”

“Hoje, deixei a cabeça em casa. Sentei ao volante do caminhão e esqueci totalmente da altura”

“Só estávamos tentando descê-lo pelas escadas”

Aquele momento desconfortável de quando você é um homem adulto e ainda não aprendeu a lidar com os brinquedos das crianças

  • Comprei para meu filho o primeiro LEGO dele para crianças pequenas. Nunca pude ter um, pois a minha família era de baixa renda. Era preciso buscar outras formas de se divertir na rua: jogar bola, essas coisas. Então, lá estava eu, abrindo a caixa de um brinquedo e tentando montá-lo. Mas havia um “porém”: tinha mais peças para encaixar do que buracos disponíveis. Eu já estava pronto para voltar à loja, e reclamar de que me haviam vendido um produto com defeito. No último momento, me dei conta! Me imaginei na frente do vendedor, que iria montar esse brinquedo para crianças menores de 1 ano em alguns segundos, e eu, um homem adulto, incapaz de fazer o mesmo, apenas escondendo o rosto com as mãos de tanta vergonha. © Maxnrj / Pikabu

“Pensei que seria relaxante acender uma vela enquanto cozinhava”

“Demorei muito tempo para pegar esta mosca, até me dar conta de que era um desenho”

“Sexta-feira. Saí para o intervalo do almoço. Decidi fazer um café. Ou chá. Ainda não sei como isto aconteceu”

A triste história de Marina

  • Eu já estava no quarto ano da escola de Artes. Um dia, nos pediram para desenhar algo parecido com uma marina (qualquer imagem associada ao mar). À noite, fiquei com preguiça e decidi que faria na manhã seguinte rapidinho. O único problema é que não funciono bem pela manhã. A concentração realmente não passa perto da minha cabeça. Então, ao ler o dever, peguei o pincel e desenhei uma menina aleatória, passeando, que se chamava Marina. Não sei por que fiz isso. Só me dei conta na aula quando vi os desenhos dos outros alunos. Por isso, enfiei meu papel na mochila e pedi para entregar depois. © SunPhlox / Pikabu

E você já cometeu algum deslize vergonhoso? Ou talvez algum amigo seu? Conte para a gente!

Imagem de capa a-peeling / Reddit
Compartilhar este artigo