Incrível
Incrível

12 Fatos pouco conhecidos sobre o cotidiano da rainha Elizabeth

96 anos de vida, 70 deles de reinado absoluto. Quase todos nós crescemos sabendo quem ela era e a usando como referência de autoridade e respeito. No entanto, mesmo com a vida tão exposta diariamente, ainda existem alguns fatos sobre a vida de Elizabeth II que nem todas as pessoas sabem. Por isso, fomos pesquisar na internet os detalhes mais curiosos e inesperados sobre a rainha. Veja o que encontramos.

1. Uma das primeiras pessoas a usar a internet no mundo

A rainha sempre foi uma entusiasta das novas tecnologias desde muito jovem. Não à toa, foi uma das primeiras pessoas do mundo a utilizar a internet. Isso mesmo. Vossa Majestade enviou seu primeiro e-mail em 1976, quando a maioria de nós nem pensava em vir ao mundo! Foi o próprio pioneiro da grande rede na Grã-Bretanha que configurou a conta de Elizabeth, que “tudo o que precisava fazer era apertar alguns botões” para ter sua mensagem enviada.

2. Não frequentou escola nem foi à faculdade

A pequena Lilibeth, como era seu apelido na infância, nunca frequentou uma escola. Mas isso não significa que não teve uma educação sólida e rígida. Durante a infância, ela aprendeu, em casa, a ler e escrever, teve aulas de francês e piano. Já na adolescência, a então princesa foi cercada dos melhores nomes da educação britânica.

Ao longo dos anos de estudo, se dedicou à História Inglesa e Geral, ao mesmo tempo em que desenvolveu duas capacidades em idiomas, falando fluentemente o francês e o alemão, além da sua língua materna. Também foi muito reconhecida pelos conhecimentos em Artes, Literatura e Ciências Exatas.

3. Serviu como voluntária ao país

Do gosto pelos estudos e pelas transformações do mundo, Elizabeth deu um passo a mais e se preparou para servir o país como voluntária das Forças Armadas. Ali, aperfeiçoou as habilidades na montaria, desenvolveu conhecimentos de mecânica e aprendeu a conduzir.

E não era qualquer veículo. Ainda jovem, ela já conduzia caminhões. E o gosto pela direção se manteve ao longo do tempo. A última vez que foi vista dirigindo foi no final de 2021, quando a monarca já contava mais de 95 anos. Ah, e ela nunca precisou tirar carta de habilitação — privilégios do reinado!

4. Contava com um despertador exclusivo — e ao vivo

E se você pensava que quem tem título de realeza pode fazer tudo o que tem vontade, saiba que não é bem assim. A função “soneca” do relógio nunca esteva ao alcance da rainha Elizabeth. Isso porque ela sempre contou com o chamado Flautista da Soberana. Isso mesmo: todos os dias, ela era acordada pelo som de uma gaita de fole, tocada pontualmente às 9h da manhã, logo abaixo de sua janela.

5. Tinha uma funcionária para lacear os sapatos

Sapatos apertando os pés é, realmente, um problema dos plebeus. A Sua Majestade nunca precisou passar por esse incômodo. Antes do primeiro uso de um novo par de sapatos, uma funcionária caminhava pelos jardins do palácio para amaciar o calçado. Essa função era da sua costureira e confidente que usa o mesmo número de sapatos que a rainha.

6. Usou mais de 5 mil chapéus diferentes

Os chapéus arrojados e coloridos foram uma das marcas da rainha Elizabeth. Estima-se que ela tenha usado mais de 5 mil modelos diferentes ao longo de 50 anos de reinado. No entanto, o item era muito mais do que um acessório de moda e sim, um “substituto” da coroa, fazendo parte do uniforme real, segundo um biógrafo real.

As escolhas da monarca não eram à toa. Tudo era pensado para que ela se tornasse facilmente identificável, para a própria segurança e para alegrar os súditos. Assim, ela podia sempre ser vista, mesmo de longe. Ou seja, mesmo em meio à multidão, ninguém voltava para casa frustrado por não ter visto a rainha!

7. Telefone secreto com apenas dois contatos

Por essa ninguém esperava! A soberana da Inglaterra tinha seus segredos... Ela mantinha um aparelho de telefone com número secreto exclusivo para ligar em casos de urgência. O aparelho foi configurado especialmente e “embalado” com criptografia anti-hacker — e tinha apenas dois números salvos. O mais impressionante é que um desses contatos era ninguém menos que o cuidador dos seus cavalos de corrida! O outro número era da filha, a princesa Anne.

8. Uma forma diferente de proteger os animais

Entre as ações da família real, as causas humanitárias e ambientais sempre estão em pauta. Mas digamos que a rainha tinha uma forma um tanto inusitada de mostrar sua preocupação pela causa animal. A coroa é a proprietária de todos os animais aquáticos do território (de golfinhos a gansos).
Ela também foi uma entusiasta de corrida de cavalos e pombos. Sim, corrida de pombos! Já participou de tantas que é considerada a embaixadora da Associação Real de Corrida de Pombos.

Durante sua visita ao Brasil, ela ganhou duas onças e um par de preguiças. Além disso, a rainha já foi presenteada com um elefante, duas tartarugas gigantes e um par de castores negros. Todos foram oferecidos por outros países e vivem no Zoológico de Londres, do qual Elizabeth II é patrona.

9. Era alérgica a gatos

Por mais que seu amor por animais fosse intenso e sem distinção, a rainha não podia se aproximar de alguns deles. É o caso dos gatos, por exemplo. Elizabeth II era alérgica a eles. Essa é a razão de vermos sempre a monarca rodeada por cães, especialmente os amados corgi, e nunca aparecer nenhum gatinho por perto!

10. Jamais comia mariscos

Não importa a ocasião, se um membro da família real estiver convidado, nunca sirva mariscos ou frutos do mar, em geral. A regra vale para todos os integrantes do clã, mas era uma regra rígida para o menu da rainha — especialmente quando comiam “fora de casa”. O motivo é o risco de intoxicação alimentar, mas há quem especule que também tem a ver com a etiqueta, já que a iguaria é saboreada com o auxílio das mãos.

11. Assistiu a um jogo de futebol no Maracanã

Em 1968, a rainha Elizabeth II fez a sua única visita ao Brasil. Na ocasião, ela foi assistir a um jogo de futebol no Maracanã. A partida ficou conhecida como o Jogo da Rainha e foi disputada entre craques paulistas e cariocas. O amistoso marcou o gol 900 do rei Pelé, que, no fim, recebeu uma taça da monarca.

12. Inaugurou o Museu de Arte de São Paulo

Outro feito marcante da rainha no Brasil foi a sua participação na inauguração do MASP — o Museu de Arte de São Paulo. A euforia da população era tanta para ver a realeza, mesmo que por alguns segundos, que o evento acabou por começar atrasado. O prédio, que se tornou um dos cartões postais da cidade, já começou em grande estilo, não é?

Se a gente já amava a Lilibeth antes, imagine agora sabendo que ela realmente sempre esteve um passo à frente. Você já sabia sobre essas curiosidades? Qual foi a mais impressionante? Conte para nós na aba dos comentários e aproveite para marcar aquele amigo que adora uma novidade!

Incrível/Gente/12 Fatos pouco conhecidos sobre o cotidiano da rainha Elizabeth
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos