10 Regras envolvendo os bebês reais que você provavelmente desconhecia

Segundo alguns psicólogos, educar uma criança é uma tarefa necessária porque contribui para desenvolver suas habilidades sociais, sua autoconfiança e até mesmo sua autossuficiência. Mas quando se trata da família real, as regras de comportamento (faladas ou não) parecem adquirir uma importância ainda maior e acabam por regular cada passo de seus membros, uma rigidez que atinge também as crianças.

Incrível.club descobriu detalhes muito interessantes sobre as tradições que cercam os bebês da família real. Confira os aspectos que chamaram mais a nossa atenção.

1. A apresentação oficial acontece logo após o nascimento

Curiosamente, a população pode ver o bebê poucas horas após o seu nascimento. Além disso, é importante que a mãe esteja “apresentável”, ou seja, a recuperação pós-parto não é uma desculpa para aparecer “de qualquer jeito” para a apresentação oficial do bebê. Kate Middleton, por exemplo, estava usando maquiagem e salto alto após o nascimento do príncipe George, em 2013. E as roupas também importam. Na verdade, o vestido de bolinhas de Kate parecia uma homenagem ao visual usado pela princesa Diana quando deu à luz príncipe William.

Outro aspecto importante é a pouca variedade de sapatos que as mães da família real podem escolher após o parto. Geralmente, elas usam sapatos justos, ainda que seus pés e tornozelos estejam inchados.

2. Chá de bebê não é um grande evento

Embora não exista uma regra que proíba a realização de chás de bebê, os especialistas dizem que a família real os considera uma “invenção americana”. Apesar disso, esses eventos vêm adquirindo cada vez mais popularidade no Reino Unido. Mas claro que não faltam presentes para os bebês da família real. A princesa Charlotte, por exemplo, ganhou presentes de 64 países diferentes em seu primeiro aniversário.

3. Muitas parteiras ajudam na hora do parto

Parteiras ajudando no parto é uma tradição que vem do século XVII, quando as mulheres eram as únicas autorizadas a permanecerem na sala. Hoje em dia, não existe mais nenhum estigma em relação à presença de médicos homens. Em geral, a equipe médica conta com a presença de vários especialistas, e às vezes pode haver mais de 20 pessoas envolvidas.

4. O gênero do bebê deve ser mantido em segredo

Normalmente, tanto o gênero do bebê como a data exata do parto são mantidos em segredo (príncipe Harry e Meghan Markle são uma exceção, já que anunciaram que estavam esperando uma menina em uma entrevista). No entanto, o público costuma ser informado sobre a saúde da mãe. O anúncio oficial sobre a gravidez de Kate Middleton, por exemplo, mencionava que ela tinha enjoos matinais.

5. A opção de nomes é limitada

É comum a família real britânica escolher nomes com base em sua própria árvore genealógica; ou seja, não há uma grande variação. Contudo, se o bebê estiver muito longe na linha de sucessão, os pais têm mais liberdade. Também é importante mencionar que os membros da realeza usam versões formais dos nomes uns dos outros quando estão em público; por exemplo, o príncipe William chama Kate Middleton de Catherine.

6. Após o nascimento de um novo membro da família real, um anúncio oficial é feito

Após o nascimento do bebê, o Palácio de Buckingham coloca uma declaração oficial assinada pelos médicos do palácio em um cavalete especial, e um pregoeiro narra os detalhes ao povo. Além disso, alguns pontos turísticos importantes da cidade, como o London Eye e a Tower Bridge, são iluminados em azul (quando o bebê é um menino) ou em rosa (quando é uma menina).

7. Há disparos de canhão

Saudações com tiros são tradicionais em Londres após o nascimento de um príncipe ou de uma princesa. Por exemplo, quando a princesa Charlotte nasceu, houve 41 tiros de canhão no Hyde Park. Além disso, soldados fizeram disparos contra os castelos de Cardiff, Hillsborough e Edimburgo.

8. As crianças da família real devem seguir muitas regras e muitos protocolos

Todos os membros da família real britânica devem seguir regras e protocolos, e as crianças não são uma exceção. Elas devem comparecer a muitos eventos, incluindo casamentos reais, a cerimônia anual Trooping the Color, celebrações do aniversário da rainha e muitos outros. Por falar na rainha Elizabeth II, até os membros mais jovens da família devem fazer uma reverência a ela a partir dos 5 anos de idade.

9. Existem muitos padrinhos, mas eles não podem ser do núcleo familiar

As regras são simples: em primeiro lugar, os padrinhos não devem ser da família imediata (conhecidos como parentes de primeiro grau); em segundo lugar, quanto mais padrinhos, melhor. Ou seja, enquanto a maioria das pessoas tem apenas dois padrinhos, o príncipe George tem sete, a princesa Charlotte tem cinco e o príncipe Louis, seis (como seu pai, que vemos na foto acima). Eles fazem isso porque entendem que a complexidade da vida na realeza exige mais orientação por parte dos padrinhos.

10. Bebês reais recebem cobertores especiais

Os menores detalhes importam quando falamos dos bebês da família real. Os cobertores de lã usados para “embrulhá-los” durante a primeira “apresentação oficial” são produzidos por uma empresa inglesa chamada G.H.Hurt & Son, que há mais de 100 anos produz xales de renda muito luxuosos.

Que tipo de tradição existe na sua família quando um bebê nasce? Compartilhe nos comentários, vamos ver se algum de nós segue alguma tradição real.

Compartilhar este artigo