Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Sete hábitos não tão saudáveis

----
770

Todos nós temos certos rituais que consideramos necessários para manter a saúde e a boa forma. Se alguns deles são realmente necessários, como lavar as frutas antes de consumi-las ou fazer atividade física, outros são bastante questionáveis.

O Incrível.club fez uma lista com os sete hábitos que você pode deixar no passado, pois não são assim tão bons prá saúde.

Consumir polivitamínicos

O consumo de polivitamínicos e outros tipos de suplementos alimentares não diminui o risco de desenvolvimento de doenças, como também não influencia na memória nem no desempenho nas tarefas intelectuais. Foi a esta conclusão que chegaram pesquisadores dos Estados Unidos após uma série de estudos clínicos que contaram com a participação de cerca de 450 mil pessoas. E os resultados de outras pesquisas apontaram que consumir complexos vitamínicos pode até afetar negativamente a saúde.

Fontes: Annals of Internal Medicine, NY Times.

Uso de géis bactericidas que não contêm álcool

Géis bactericidas para as mãos realmente combatem de forma satisfatória muitos tipos de vírus e bactérias. Porém, isso só se aplica aos géis com, ao menos, 60% de álcool. Os demais produtos não matam todo tipo de micro-organismos. Por exemplo, não são eficazes contra o norovírus e o Cryptosporidium - um tipo de protozoário que causa diarreia. Além disso, nem os géis bactericida de qualidade são úteis caso você tenha contato com pesticidas ou sujado muito as mãos. Nesses casos, é preciso lavar com água e sabão.

Fontes: Centers for Disease control and Prevention.

Não ao glutamato monossódico

Estudos revelaram que sintomas indesejáveis, como dores de cabeça ou náuseas, atribuídos ao glutomato monossódico, só surgem quando a pessoa ingere ao menos três gramas da substância pura. Na prática, é pouco provável que isso aconteça. A questão é que os alimentos que contêm a substância geralmente não são muito saudáveis em si. Ou seja, a questão pode não ser o glutamato, em si, mas os outros ingredientes.

Fonte: Food and Drug Administration.

Limpar o organismo com dietas detox

Os programas detox, cada vez mais populares, prometem livrar o nosso organismo das toxinas. Especialistas afirmam que um corpo saudável funciona por conta própria. Ou seja, os vegetais são saudáveis, mas não são eles que vão limpar seu organismo; quem faz esse trabalho são os rins e o fígado. E, se eles não estão fazendo o devido trabalho, é melhor procurar um médico do que abusar dos shakes ou de outras bebidas do gênero.

Fonte: The Guardian.

Consumo de produtos orgânicos

Muitas vezes, a indicação de "eco" ou "bio" no rótulo dos produtos não passa de um golpe publicitário que não garante que o produto tenha sido fabricado sem o uso de pesticidas. Ou seja, ele não dará mais benefícios que a fruta comprada em supermercado, mas, com certeza, vai ser muito mais caro. Procure saber quem são as certificadoras mais confiáveis desses produtos e veja quais produtos são certificados por essas empresas.

Deixar de usar micro-ondas

De fato, o uso do micro-ondas pode destruir propriedades saudáveis dos alimentos, mas acontece o mesmo quando você aquece comida no forno convencional. Em algumas ocasiões, devido ao tempo menor necessário para o aquecimento, é melhor usar o micro-ondas. Ele conserva melhor a vitamina C que o forno comum, por exemplo.

Fonte: Harvard Health Publications.

Preferir alimentos com pouca gordura

Gorduras, assim como proteínas e carboidratos, são necessários para nosso organismo, então substituir o requeijão ou iogurte por similares sem gordura não é a melhor forma de reduzir a ingestão de calorias. Além disso, em muitos produtos com pouca gordura, a falta de valor nutricional é compensada por um alto teor de açúcar, prejudicial à saúde.

Fonte: The Telegraph.

Produzido com base em material de Business Insider
----
770