Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

7 Provas de que o ser humano continua evoluindo

Todos na escola tiveram aulas de biologia e estudaram a teoria da evolução. No Incrível.club decidimos mostrar algumas evidências de que o ser humano continua a evoluir - pelo menos no sentido biológico - até hoje.

7. O corpo de um adulto é capaz de digerir o leite

O gene que ajuda o humano a digerir o leite surgiu durante a evolução. Inicialmente, os seres humanos só podiam beber e digerir o leite na infância - como ocorre com vários animais. Mas, depois de domesticar vacas, cabras e ovelhas, surgiu o gene responsável por isso em nosso organismo.

A capacidade de beber leite é chamada de resistência à lactose e dados genéticos recentes mostraram que, nos últimos 10 mil anos, evoluiu em diferentes partes do mundo independentemente, como resultado da seleção natural. Agora, aproximadamente um terço dos seres humanos digere a lactose sem nenhum problema.

6. Nem todos têm dentes do siso

O maxilar do ser humano moderno é menor do que o de seus antepassados - afinal, a comida é mais processada e não precisamos comer tantas raízes e fibras de carne. Por isso, os dentes também se tornaram um pouco menores e algumas pessoas já não têm dentes do siso.

O que acontece é que a dieta de nossos antepassados era muito diferente da moderna, que inclui alimentos mais macios. Além disso, os terceiros molares geralmente surgem entre 18 e 25 anos. Nessa época, a maioria dos dentes de nossos antepassados já estava desgastada. Ou seja, os terceiros molares eram de vital importância. Agora, simplesmente não precisamos mais deles e os extraímos.

5. Algumas pessoas têm olhos azuis

Inicialmente, todos os seres humanos tinham olhos castanhos. Mas entre 6 e 10 mil anos atrás apareceu uma mutação genética responsável pela cor azul dos olhos.

Se você se lembra das aulas de biologia, provavelmente se lembrará de que o gene azul não é dominante, mas recessivo. E ainda assim conseguiu sobreviver até hoje.

Durante uma das pesquisas, os estudiosos conseguiram estabelecer que, para os homens com olhos azuis, as mulheres mais atraentes são aquelas com os olhos da mesma cor. Ao mesmo tempo, para as mulheres de olhos azuis e para os homens de olhos castanhos ou verdes não é importante que o parceiro ou a parceira tenha olhos azuis.

4. A altura média aumenta

Durante a evolução humana, nossa altura média às vezes aumentou e outras vezes diminuiu. Mas, em geral, as pessoas cresceram. Em 100 anos, de 1880 a 1980, os homens europeus cresceram 11 centímetros.

Por um lado, isso acontece devido a um perfil genético específico em homens chamado Haplogrupo I ADN-Y e se correlaciona com a estatura. O aumento da frequência desse perfil na população faz com que a altura média dos homens também aumente.

Mas o que afeta mais a estatura é a oferta de alimentos e de serviços de saúde que, na média geral, vem melhorando para toda a humanidade.

3. A quantidade de pelos no corpo diminui

A quantidade de pelo no corpo de uma pessoa moderna é muito menor que a de nossos antepassados. O couro cabeludo, as axilas e as partes íntimas são uma exceção. Mas seria incorreto dizer que pelos são algo rudimentar.

A redução da densidade e do tamanho dos pelos nos seres humanos desempenha um papel importante na termorregulação com a ajuda do suor. Os cílios e os pelos no nariz e nas orelhas são uma espécie de proteção contra o meio ambiente. As sobrancelhas impedem que o suor chegue aos olhos. E o cabelo pode ajudar a estabilizar a temperatura do cérebro.

Portanto, é pouco provável que os pelos do corpo e o cabelo desapareçam completamente no futuro. Além disso, o cabelo é uma das coisas que consideramos ao escolher um companheiro ou uma companheira. Ou seja, tem função de perpetuação da espécie.

2. Podemos respirar em alta altitude

Os tibetanos e muitos de nossos vizinhos peruanos e bolivianos vivem em regiões de elevada altitude. La Paz, por exemplo, fica a 3.600 metros acima do nível do mar, quase cinco vezes mais alto que São Paulo. Por isso, o ar dessas regiões tem muito menos oxigênio. A capacidade de viver nesse ambiente é uma conquista evolutiva.

Durante uma pesquisa, determinou-se que os tibetanos (em especial o povo Sherpa, que vive no Himalaia e cosumam trabalhar de guias no Everest) têm um nível de hemoglobina relativamente baixo. Em pessoas sem preparação sob tais condições a quantidade de hemoglobina no sangue geralmente aumenta, levando a uma doença aguda da montanha: o sangue torna-se muito viscoso e gross, levando a problemas cardíacos.

1. Sentimos dor nas costas

As pessoas modernas movem-se em duas pernas, ao contrário de nossos antepassados distantes, que se deslocavam em quatro patas. Durante a evolução, nossa coluna se adaptou para que caminhássemos eretos. Mas muitas pessoas sentem dor na parte inferior das costas

Uma pesquisa determinou que as pessoas que têm o formato de alguns elementos de suas vértebras idênticos aos mesmos elementos da coluna de chimpanzés sofrem dessa dor. Embora humanos e chimpanzés tenham se separado de seu antepassado comum há cerca de 8 milhões de anos, algumas pessoas ainda conservam o tipo de vértebra comum nos chimpanzés. Isso é o que causa a dor lombar, porque sua espinha não é tão adequada para que a pessoa ande ereta.

Imagem de capa depositphotos