Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

20+ Erros ao usar eletrodomésticos, que podem comprometê-los

Os eletrodomésticos frequentemente começam a falhar, não por um defeito de fabricação ou por estarem velhos, mas por culpa da negligência ao usá-los. Afinal, falando francamente, muitos consumidores raramente leem as informações mais importantes nas instruções, sem falar de outros detalhes, que nem sempre são indicados nos manuais, e cujo conhecimento, só vem com a experiência.

Nós, do Incrível.club, defendemos uma abordagem cuidadosa e precisa no uso dos eletrodomésticos, o que prolonga sua vida útil e descarta a necessidade de gastar muito dinheiro para substituí-los ou consertá-los com frequência. Por isso, decidimos juntar os erros mais comuns que a maioria das pessoas comete no manuseio desses aparelhos, sem nem perceber que isso provoca danos.

Ferro de passar roupa

  • Não use água da torneira. A necessidade de usar água destilada ainda é debatida. No entanto, deve-se ter em mente que a água da torneira, de qualquer forma, levará rapidamente ao aparecimento de calcário e danos ao dispositivo. Use água filtrada: quanto menos sais e cal nela presentes, menos danos causarão ao ferro.

  • Não deixe restos de água dentro. Na maioria das vezes, costuma-se não prestar atenção a esse detalhe, mas poucos sabem ser um péssimo hábito que leva ao aparecimento de ferrugem, que posteriormente deixa manchas marrons nas roupas. Além disso, em tal situação, há a possibilidade de vazamento, fazendo a água entrar na parte elétrica, provocando um curto-circuito.

  • A base do ferro deve ser limpa, mesmo que ainda não haja manchas visíveis. O fato é que pequenas fibras e, digamos, os minerais da água permanecem na superfície, e as partículas de calcário também podem bloquear os orifícios de vapor. A maneira mais fácil de limpar é passar na superfície uma pasta de bicarbonato de sódio dissolvido em água.

Computador

  • Lembre-se de limpar o computador por dentro pelo menos uma vez ao mês. Em geral, o motivo mais comum de superaquecimento e, consequentemente, de falha do PC é o acúmulo de poeira, areia e pelos, nos mecanismos internos. Se não for limpo por muito tempo, mais cedo ou mais tarde criará uma camada isolante nos orifícios de ventilação, que não só impede o resfriamento do aparelho, como pode até bloquear as partes móveis e causar danos mecânicos.

  • Outra questão igualmente importante que deve ser considerada para prolongar a vida útil do computador e não causar superaquecimento é a localização. O aparelho foi originalmente projetado para descartar o excesso de calor com eficiência, mas os orifícios são fáceis de serem bloqueados se o PC for colocado sob uma mesa ou contra uma parede. Além disso, tente não colocar o computador perto de aquecedores ou sob a luz solar direta.

  • pasta térmica também desempenha um papel importante na proteção contra o superaquecimento. A composição especial dessa substância possui alta condutividade térmica e é aplicada no ponto de contato entre o processador e o radiador, garantindo que não haja lacuna entre eles. Poucas pessoas sabem que o superaquecimento do sistema pode estar associado justamente à evaporação da pasta e à sua quantidade insuficiente. Não se esqueça de entrar em contato com profissionais que possam reaplicá-la pelo menos uma vez a cada dois ou três anos, ou tente fazê-lo sozinho. O principal é lembrar que também não é adequado exagerar na quantidade.

  • Outro mau hábito que afeta negativamente o desempenho do computador são reinicializações e desligamentos pouco frequentes. Com o tempo, o trabalho contínuo e o modo de hibernação levam a uma sobrecarga de processos internos, o que causa travamentos, falhas, erros, “Internet lenta” e assim por diante. As vantagens das reinicializações são justamente por limpar a memória de acesso randômico, pois aumentam a produtividade, corrigem a conexão com a Internet e eliminam travamentos.

Notebook

  • Além das questões já apontadas, existem erros que são cometidos ao trabalhar com um notebook. Um deles é mantê-lo sempre ligado à rede elétrica. Lembre-se de que o carregamento prolongado danifica inevitavelmente a bateria devido ao calor e à exposição prolongada à alta tensão. É recomendado carregar o notebook a 80% da bateria e reconectar quando a carga estiver abaixo de 40%.

  • A exposição às temperaturas negativas também prejudica os dispositivos. É aconselhável não resfriar demais o notebook, mas se acontecer, tente o seguinte procedimento: antes de ligá-lo, deixe o notebook atingir a temperatura ambiente e limpe suavemente a transpiração, se houver, para evitar curtos-circuitos.

  • A própria portabilidade do notebook é uma fonte importante de novos desafios. Por exemplo, isso está associado à eterna tentação de colocá-lo em uma superfície macia (na cama, no colo). O hábito leva inevitavelmente ao superaquecimento e às falhas. Sempre coloque o notebook sobre uma superfície sólida que não bloqueie os orifícios de ventilação.

  • Poucas pessoas param para pensar nisso, mas apesar da possibilidade de segurar os notebooks nas mãos e andar com eles, alguns aparelhos ainda estão equipados com um disco rígido giratório tradicional em vez de uma SSD, e sacudi-lo durante o funcionamento pode causar danos mecânicos sérios. Tente tratar seu notebook com o mesmo cuidado que o seu PC e, no mínimo, trabalhe na sua mesa, assim a vida útil dele será muito maior.

Chaleira elétrica

  • Sempre se certifique de que há água suficiente na chaleira. Se ligá-la com uma quantidade de líquido abaixo da mínima exigida, principalmente se o aquecimento não estiver coberto, mais cedo ou mais tarde pode levar a uma falha no sistema de aquecimento.

  • Tente não colocar a chaleira elétrica em locais onde fique exposta a altas temperaturas. Estamos falando tanto sobre as fontes de fogo aberto, quanto sobre os fornos e os fogões elétricos. Isso pode deformar o corpo e outras peças de plástico do dispositivo. Essa informação frequentemente vem indicada no próprio manual do usuário.

  • Tire o calcário em tempo hábil. Vale lembrar que ele se forma não só em chaleiras de metal, como na base metálica de aparelhos plásticos. Mesmo as chaleiras com filtros embutidos apenas evitam o calcário ser despejado na xícara, mas não evita a sua formação por dentro. A maneira mais fácil de limpar a superfície é colocar uma mistura de vinagre e água na proporção de 1:1 e deixar durante a noite. É importante avisar para que ninguém faça acidentalmente um “chá” com esta solução! De manhã não se esqueça de enxaguar muito bem.

  • Mais uma razão da formação do calcário na chaleira também pode ser o hábito de armazenar restos de água nela. Tente esvaziá-la sempre após o uso.

Moedor de carne

  • Não lave as peças do moedor de carne na lava-louça, a menos que as instruções indiquem ser permitido. O fato é que os moedores de carne modernos geralmente são feitos de alumínio. No entanto, a maioria das máquinas de lavar louça usa detergentes agressivos com fosfatos alcalinos. Quando em contato com o alumínio, aceleram o processo de oxidação, o que leva ao escurecimento da superfície brilhante. Além disso, resíduos de revestimento de peças difíceis de alcançar podem entrar na carne moída.

  • Evite colocar ossos no moedor. A potência de alguns moedores permite que você moa os ossos, mas a maioria deles ainda não consegue fazê-lo e podem facilmente quebrar.

  • Não permita o superaquecimento do moedor de carne durante o funcionamento. Ele pode ocorrer por vários motivos: desgaste do rolamento, lubrificação insuficiente, falha do efeito de resfriamento. Se as opções listadas são improváveis, por exemplo, quando um moedor de carne é novo, o motivo pode ser o excesso do tempo de operação contínua ou da carga permitida.

Liquidificador

  • Não use um liquidificador para moer gelo (ou outros alimentos congelados duros). Por sua potência insuficiente, pode entortar as lâminas, fazer o motor falhar ou mesmo queimá-lo. Lembre-se, pelo menos, de adicionar líquido, se apropriado, nesses casos.

  • Não misture alimentos muito quentes. Num copo fechado com comida quente, o ar se esquenta demais, provocando um aumento da pressão, que pode estourar o copo. Caso seja necessário moer algum produto quente, a melhor coisa a fazer é cobrir o copo com uma pano em vez de usar a tampa e ligar o aparelho na velocidade mais baixa para que nada respingue.

  • Dê tempo para resfriar o motor do aparelho durante o uso prolongado. Além disso, para evitar superaquecimento, não reinicie outro ciclo imediatamente após o primeiro.

Ar-condicionado

  • É importante não se esquecer da manutenção oportuna do ar-condicionado. Não se trata apenas da ajuda de um profissional, como de profilaxia, que você mesmo pode fazer: limpe regularmente e, se necessário, substitua os filtros, geralmente localizados diretamente sob a tampa da unidade interna. Isso não apenas preservará o desempenho, como evitará o excesso de poeira, que em grande quantidade pode penetrar na cômodo através de filtros sujos.

  • Mantenha as janelas fechadas enquanto o ar-condicionado estiver ligado. A ideia de que a janela aberta durante o seu funcionamento ajuda a resfriar o ambiente mais rapidamente é apenas uma ilusão. Na verdade, isso não apenas reduz significativamente o desempenho do sistema, como pode levar à falha prematura do aparelho, uma vez que ele tem de tratar cada vez mais o ar quente que entra pela janela, o que sobrecarrega o sistema.

  • Escolha um ar-condicionado com capacidade adequada. Um sistema que não possua potência suficiente para o cômodo, simplesmente se desgasta mais rápido devido ao uso frequente da capacidade total. Se a energia for muito maior do que a necessária, então, em primeiro lugar, o ar-condicionado consumirá mais eletricidade sem necessidade e, em segundo lugar, resfriará um cômodo pequeno muito antes de chegar o momento em que o ar esteja adequadamente desumidificado e a umidade no ambiente será simplesmente desconfortável.

Conte-nos quantas vezes você cometeu algum desses erros? Sobre quais outras falhas você gostaria de alertar os outros usuários?

Compartilhar este artigo