Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

2 Maneiras de driblar a armadilha da crise financeira

A lei de Parkinson, formulada pelo escritor britânico Cyril Northcote Parkinson há várias décadas, explica perfeitamente por que a maioria das pessoas continua sendo pobre no decorrer de suas vidas.

O Incrível.club acredita que todo mundo precisa conhecer esta teoria para lidar melhor com as finanças pessoais e melhorar a própria qualidade de vida.

1. O que diz a lei

De acordo com a lei, os gastos de uma pessoa aumentam na mesma velocidade que a renda. E geralmente, gasta-se tudo que foi recebido, e em muitos casos, os gastos ultrapassam os ganhos. Dependendo de quanto seja o salário, as pessoas criam novas despesas para poderem elevar o padrão de vida. E esse hábito "devora" a renda extra.

No fim das contas, acabamos sempre com a sensação de que falta dinheiro, e inclusive fazendo novas dívidas e contraindo empréstimo por cima de empréstimos, provocando angústia e insegurança, sobretudo na hora de deitar a cabeça no travesseiro.

2. Vença o hábito

Para mudar essa situação, é preciso atuar contra a lei de Parkinson. Mas para isso, é preciso romper o círculo vicioso de "gastos iguais à renda". Só então você poderá vencer a tentação de gastar tudo que ganha, conseguindo economizar.

3. Reduza seus gastos

Antes de tudo, é preciso analisar seus gastos. Se você conseguir diminuí-los em relação à renda, poderá guardar ou investir o restante do dinheiro. Assim, pouco a pouco, será possível alcançar a estabilidade e aumentar seu padrão de vida.

4. Exercícios práticos

  • Imagine que você está numa situação econômica muito difícil, precisando sair dessa o quanto antes. Para começar, analise seu orçamento e cada um dos itens que geram gastos. Tente encontrar formas de economizar. Claro que você não precisa abrir mão de todos os prazeres, do contrário correria o risco de perder toda a motivação. Contudo, é realmente necessário encontrar um equilíbrio sadio: experimente diminuir os gastos em, no mínimo, 10% ou 20% durante os próximos meses. Faça uma lista de gastos constantes e, durante um tempo, limite o dinheiro empregado naquilo.
  • Firme um acordo com você mesmo: invista o dinheiro de alguma maneira. Você pode começar com uma pequena quantidade, 5% da renda, por exemplo, mas tenha em mente que é possível chegar a 50%. Aprenda a viver com o dinheiro que resta. Faça isso durante toda sua vida produtiva.
  • Uma pessoa rica não é aquela que tem casa própria, carro e que viaja de férias duas vezes por ano, e sim aquelas cuja renda é maior que os gastos, que vivem sem dívidas e engordando a poupança.Enfim, uma pessoa que pode dormir tranquila.

Aqui, você encontra um site que pode dar mais dicas para viver confortavelmente, sem passar por apertos firnanceiros.