Incrível
Incrível

13 Segredos que manicures e pedicures não contam para os clientes

Toda profissão possui seus próprios segredos e nem todo especialista tem disposição de revelá-los aos clientes. É claro que não precisamos saber de todos os truques, mas quando se trata da beleza e saúde, é melhor que estejamos cientes de algumas dicas de cuidado. Desta vez, decidimos descobrir o que as manicures e pedicures deixam de contar para os seus clientes.

Nós, do Incrível.club, passamos alguns dias procurando informações nos fóruns, bate-papos e artigos de manicures e pedicures e agora estamos prontos para dar algumas dicas que você provavelmente não conhecia.

Se a camada superior do esmalte em gel ficar rachada, avise sua manicure

Às vezes, depois de passar o esmalte em gel, as unhas ficam cheias de rachaduras. Isso não é normal, independentemente do tempo que você passa com o esmalte.

Mas se a manicure usar materiais que criam uma espessura fina nas unhas flexíveis, elas inevitavelmente ficarão rachadas. Na próxima vez que visitar o salão, conte sobre isso e peça uma base e um top coat que promovem um revestimento mais resistente.

Se suas unhas são curvadas, insista em corrigir o formato

Muitas manicures deixam de corrigir o formato de unhas curvadas e simplesmente passam o esmalte, sem preparações adicionais. Mas, segundo os próprios especialistas, as curvaturas podem e devem ser consertadas, para fazer com que as unhas apresentem uma aparência mais bonita e as suas laterais deixem de ficar sobrecarregadas. Caso contrário, as unhas podem acabar quebrando.

Não abra mão do esmalte comum

Algumas pessoas não podem usar gel como fortalecedor de unhas, mas sim esmalte (devido a lesões, fisiologia das unhas ou idade). Mas algumas manicures deixam de contar isso, uma vez que o revestimento com gel custa mais. Além disso, as clientes nem sempre ficam satisfeitas com esse tipo de manicure: na opinião delas, o esmalte descasca rápido e não parece tão elegante.

A verdade é que se o procedimento for realizado por uma profissional, o esmalte pode durar até um mês. Usando esse material, é possível fazer verdadeiras obras de arte.

Não peça para fazer um revestimento espesso

Manicures afirmam que as clientes costumam pedir um revestimento espesso, para que dure mais. Se você é uma dessas clientes, saiba que a espessura perfeita do revestimento não deve exceder 1 mm. Caso contrário, o trabalho fica malfeito e estraga a aparência das unhas depois de crescerem.

Não deixe o esmalte por muito tempo

Algumas manicures costumam publicar fotos nas redes sociais provando que o seu revestimento dura até 6 semanas. Mas, na verdade, isso traz riscos. Durante o crescimento de unhas, o ápice (parte inferior da unha revestida) é deslocado e o ponto de tensão é distribuído de forma diferente, levando a lesões, rachaduras e fragmentações que passam para a unha natural.

Profissionais recomendam deixar a cobertura por 2 semanas no máximo.

Não tire cutículas com frequência

Se cortar as cutículas a cada 3-4 dias, sem dar tempo para crescerem, elas podem acabar crescendo de forma mais grossa e irregular. Curá-las é muito mais difícil do que recuperar cutículas comuns. Portanto, fazer manicure com muita frequência também não vale a pena.

Se você não gosta do formato de suas unhas, peça para alongá-las

Você já percebeu que, às vezes, o revestimento de unhas curtas e largas não parece tão bonito e elegante? Manicures inexperientes podem abrir mão do conserto do formato, alegando que é impossível corrigi-lo devido à fisiologia.

No entanto, é possível alongar unhas por meio de técnicas modernas de manicure, mesmo quando sua largura é maior que o comprimento. Para isso, a manicure move um pouco a pele na base da unha e passa um extensor. Se corrigir o formato a tempo, as unhas terão uma aparência perfeita por muito tempo.

Dê uma olhada no resultado real desse procedimento.

Quando começa a sentir que a manicure está machucando a pele, peça para trocar o instrumento

Infelizmente, de vez em quando, a pele de mãos fica machucada em razão de uma manicure feita com materiais inapropriados. Nessas situações, as clientes começam a pensar que têm alergia e desistem da manicure.

Mas, segundo especialistas, não é necessário que se pare de fazer unhas. Às vezes, basta pedir à manicure para que troque um afastador de metal por um palito. A explicação é que pode ocorrer uma reação química quando a cobertura de metal do afastador entra em contato com a camada pegajosa do gel, provocando dor na unha.

Por isso a pele pode reagir de forma diferente: deixando a reação passar despercebida ou começando a coçar e descascar.

Se as cutículas crescerem rápido após uma manicure, verifique se a especialista não tirou a camada superior da unha

Por não ser experiente o suficiente, a manicure pode remover as camadas superiores das unhas sem tocar na parte que está sob as cutículas. Como resultado, as escamas ficam despontadas e a pele fica levantada assim que a unha cresce.

As escamas que surgem depois de cortar a camada superior da unha são realmente fáceis de confundir com as cutículas, mas crescem muito mais rápido. Existe uma solução simples: de acordo com profissionais, as marcas da manicure mal executada podem ser removidas durante o próximo procedimento. Quando isso ocorre, a dica é mudar de manicure.

Peça para não cortar as cutículas do dedo mínimo durante uma pedicure

Segundo especialistas, pedicures que cortam as cutículas do dedo mínimo cometem um grande erro. Esse dedo sempre está sob muita pressão em razão do nosso peso, entra em constante contato com sapatos apertados e, no caso de algumas pessoas, também é um tanto deformado.

Nesses casos, uma pequena camada de pele cresce na base da unha, que serve para protegê-la. Cortá-la resulta em uma quantidade maior de camadas.

Não remova o gel arrancando-o da camada superior

Quando o esmalte em gel começa a descascar, muitas mulheres tiram o resto do revestimento na hora. Mas, nesse caso, ele será removido junto com a camada superior da unha, justamente a que fixa o gel. Em uma unha danificada desse jeito, o próximo revestimento não ficará tão bom.

Não coloque esmalte em unhas com bordas irregulares

Existe uma enorme variedade de razões pelas quais a borda pode ficar assim: lesões, queimaduras químicas ou o esmalte em gel deixado por muito tempo. Nesse tipo de situação, não é recomendável aplicar o revestimento.

Entre a pele e a unha se forma um espaço livre, preenchido com ar quente e úmido, criando um ambiente ideal para o desenvolvimento dos fungos. Aplicar um gel ou um esmalte comum aumenta o “efeito-estufa” e o risco de infecções.

Infelizmente, esse problema é bastante comum, mas um grande número de manicures o ignora, para não perder as clientes.

Pense bem antes de fazer tratamento com peixes-pedicure

Profissionais avisam que é melhor evitar esse tipo de procedimento “exótico” pelos seguintes motivos:

  • Os peixes podem espalhar doenças de pele e infecções virais entre clientes do mesmo salão.
  • A flora microbiana dos peixes é diferente da nossa e ainda não é estudada completamente pelos cientistas. Portanto, nunca se sabe a reação da pele em certos casos.
  • Alguns salões economizam dinheiro para comprar espécies mais baratas ao invés dos Garra Rufa (peixe-médico). Essas outras espécies podem ter dentes e morder em vez de beliscar a pele, causando pequenas lesões.

Se você também é uma profissional de manicure ou gosta de fazer manicure em salões com frequência, quais segredos ou dicas poderia compartilhar com a gente?

Imagem de capa Depositphotos
Compartilhar este artigo