Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

13 Dicas de etiqueta virtual, que podem ajudar a melhorar suas interações na internet

6-44
645

Na medida em que a tecnologia avançou, uma grande parte das nossas vidas se mudou para o espaço virtual. Não é uma questão de ser “bom” ou “ruim”, é apenas uma característica do mundo moderno, que precisa ser aceita. O bom comportamento na vida real também é esperado na internet. Por isso, é importante pelo menos conhecer um pouco mais a “etiqueta virtual”, a qual oferece instruções de como agir e falar com os demais usuários para evitar conflitos e deixar o processo mais prazeroso e agradável.

Nós, do Incrível.club, apreciamos pessoas educadas e esperamos que esse comportamento se mantenha na internet. Acompanhe!

1. Cumprimentar do jeito certo

“Oi” pode ser dito para os amigos e interações mais informais enquanto o “olá” parece um pouco mais seco, mas ainda informal. No entanto, ambos são mais convidativos que o “bom dia/boa tarde/boa noite”, que serve mais para situações formais ou profissionais. Apesar de necessário em determinados casos, evite a formalidade excessiva e tente ser mais conciso.

2. Reduza o número de ligações

Para atender uma chamada é necessário largar tudo o que se está fazendo para ouvir o outro. Muitas pessoas, portanto, se incomodam de ter de resolver problemas — não urgentes — por ligação quando estes poderiam ser discutidos por mensagem.

Muitas vezes, uma ligação não esperada é comparada a hóspedes que aparecem na sua casa sem avisar. A especialista em etiqueta Christina Tubbritt diz que há 10 anos era muito comum ligar para os outros, mas hoje isso pode ser entendido como invasão de privacidade.

3. Não espere horas para responder uma mensagem

Se alguma mensagem recebida por você aparecer como “lida”, seria educado respondê-la o mais rápido possível. Se ainda não tiver uma resposta para a pergunta ou se estiver ocupado, diga que irá responder mais tarde — e indique o horário aproximado, se possível. Caso contrário, você pode passar a ideia de que está ignorando a pessoa.

Quanto aos e-mails, há uma convenção de que podem ser respondidos até o final do dia.

4. Não tenha tanta pressa

Também não é muito educado apressar alguém a responder. Não precisa escrever “Alôô?” ou “Cadê você?” se a pessoa não estiver respondendo. Caso o assunto seja urgente, faça uma pergunta mais esclarecedora, como, por exemplo, questionar se informações adicionais são necessárias ou não, para que o interlocutor possa dar uma resposta mais concreta.

5. Não divida a mensagem em blocos separados de palavras

Lembre-se: toda vez que você mandar uma mensagem, aparecerá uma notificação no celular alheio. Se enviar poucas palavras de cada vez, quando finalmente chegar ao ponto da questão a pessoa com quem está falando pode perder o interesse em responder.

Além disso, imagine que o destinatário largue tudo o que está fazendo somente para ler a sua mensagem e precise ficar esperando você terminar de formular seus pensamentos. Não é muito legal, não é?

6. Não abuse dos prints

Alexandra Karepina, autora do livro Correspondência 2.0: como resolver questões por chats, redes sociais e e-mails (em tradução livre), considera inaceitável enviar estas informações por meio de print: logins, senhas, links, números de telefone e de cartões bancários. Opte pelo texto. Em primeiro lugar, poucos ficarão felizes de ter de escrever à mão longas sequências de números e combinações de símbolos diferentes, pois vão gastar muito tempo com isso. Em segundo lugar, há grandes chances de errarem a ordem e enviarem o dinheiro para a pessoa errada, por exemplo.

7. Saiba dosar as mensagens de voz

Esse método de comunicação é mais conveniente apenas para aqueles que enviam tais mensagens. O destinatário, por outro lado, precisará buscar os fones de ouvido ou encontrar um lugar silencioso para escutar os seus áudios. Além do mais, isso exigirá muito mais tempo (principalmente para aqueles áudios de cinco minutos) do que se você explicasse a situação por escrito resumidamente. É mais fácil, também, se perder nas ideias quando enviamos mensagens de voz.

Envie áudios mais como último recurso, como, por exemplo, quando estiver apressado na rua e não tiver tempo para escrever. Ou, claro, quando quiser fofocar com os amigos.

8. Certifique-se de que suas curtidas estão no lugar certo

Se está com dúvidas se deve ou não curtir o post de algum desconhecido, preste atenção em qual rede social foi feita a publicação. Acredita-se que se uma pessoa tem uma conta aberta no Twitter, então qualquer um pode curtir ou retuítar e ninguém vai achar estranho.

Facebook, por sua vez, é mais usado para pessoas conversarem e interagirem com amigos e familiares. Nem todos sabem mexer nas configurações, então encontrar um perfil aberto não significa que a pessoa esteja buscando comentários e curtidas de estranhos. Claro, não queremos dizer que é proibido, mas apenas que muitos podem não entender tal comportamento, por isso tome um pouco de cuidado.

Já no Instagram há menos complicações: se o perfil não é fechado e há diversas hashtags nas fotos, então sua curtida provavelmente será muito apreciada pelo dono ou dona da conta.

9. Não abrevie palavras de gentileza

Vamos ser honestos: muitos adoram cortar palavras, principalmente aquelas que não têm muita informação e que apenas servem para demonstrar educação. A grande ironia nisso é que ao abreviar “obrigado(a)” para “obg” ou “por favor” para “pfv” você acaba diminuindo a única função delas: mostrar gentileza e educação. Não é como se adicionar umas letras a mais fosse tomar muito do seu tempo, mas para seu interlocutor pode fazer toda a diferença.

10. Não use e-mails com piadinhas ou trocadilhos para assuntos de trabalho

No trabalho você é um profissional qualificado e um funcionário sério, em quem se pode confiar para realizar qualquer tarefa importante, certo? Por isso, usar renan_algumacoisa_azoeiranuncaacaba @hotmail.com não vai cair bem. Nosso conselho é criar um e-mail separado somente para o lado profissional.

11. Não adicione seus subordinados nas redes sociais

Aqui, há um entendimento de que se um funcionário ou funcionária tiver interesse, ele ou ela deve iniciar o engajamento e adicionar o chefe. Não o contrário. A explicação é bastante simples: se o seu chefe lhe envia uma solicitação no Facebook, isso pode gerar muitas dúvidas e preocupações. Afinal, você não terá muitas escolhas, a não ser aceitar o pedido, e depois precisará pensar mil vezes antes de postar alguma coisa.

12. Tente evitar fazer muitos pedidos pessoais

Não há nada de errado em pedir aos seus amigos que votem em você durante algum concurso de fotografia ou em situações similares. O mesmo vale para assinar alguma petição que você tenha criado, por exemplo. As únicas observações: não fazer isso com extrema frequência (mais de uma vez por mês) e não pedir para pessoas com quem você não conversa ou conhece muito pouco. Quando realmente precisar de uma ajuda para algo urgente, suas chances de conseguir engajamento serão muito maiores — se até o momento você não tiver feito pedidos similares diversas vezes.

13. Respeite o tempo de descanso de cada um

Qualquer pessoa precisa de um tempo para relaxar e não pensar em assuntos de trabalho. Por isso, não é aconselhado importunar seus colegas com perguntas de trabalho das 22h às 9h. Também evite abordar tais assuntos nos finais de semana. Primeiro, o descanso é necessário para qualquer um. Segundo, até que a segunda-feira chegue, sua pergunta já pode ter sido esquecida, ou seja, não acrescentará nada a ninguém fazê-la com antecedência.

Você segue a etiqueta da internet? Que outras dicas (ou regras) acha que precisam ser incluídas nessa lista? Comente!

6-44
645