10 Segredos culinários de Portugal que podem mudar o seu jeito de cozinhar

Para pessoas que têm de cozinhar em casa todos os dias, preparar uma refeição pode soar como uma obrigação. Já para outras, é algo bastante prazeroso. Ainda assim, imaginamos que a maioria das pessoas se esforce para fazer uma comida saborosa. Quando aprendemos alguns truques culinários vindos de outras culturas, as tarefas na cozinha podem se tornar mais agradáveis, interessantes e deliciosas.

Pensando nisso, o Incrível.club foi atrás dos truques que tornam a culinária de Portugal irresistível e descobriu como eles podem dar um toque especial em nossas comidas. Venha descobrir!

1. Usa-se azeite para tudo

Também conhecido como “ouro líquido”, o azeite português é a base da culinária portuguesa e está presente em toda parte, seja no pão, nas saladas ou para refogar alimentos. Mas engana-se quem acha que é só usar o mesmo azeite para todos os pratos, na verdade, cada tipo tem uma proposta diferente, permitindo um sabor único em cada refeição.

  • Azeite comum: perfeito para cozinhar, fritar e refogar;
  • Azeite virgem: adequado para ensopados, sopas, marinadas, assados e sopas;
  • Azeite extravirgem: ideal para saladas, sobremesas, pães e na finalização dos pratos.

2. O arroz é preparado de diferentes maneiras

Com os portugueses, não há essa de apenas comer o arroz branco, o segredo é variar! É o ingrediente ideal, pois consegue capturar o sabor de outros alimentos, então é só se jogar no arroz de porco; de tomate; marisco; bacalhau; berbigão; lingueirão ou peixe navalha; lampreia; polvo, entre outras deliciosas opções.

3. Usam vários tipos de temperos

A culinária portuguesa varia de região para região, mas o que todas têm em comum é o toque especial vindo dos seus temperos intensos ou ervas aromáticas frescas. Alho, cebola, salsa e louro são muito usados no Norte do país. Enquanto na região Sul, orégano, alecrim, hortelã e coentro são os preferidos.

  • Alho: utilizado em refogados, carnes, peixes, massas, arroz e saladas;
  • Louro: ideal para carnes como cabrito ou ovelha assada no forno;
  • Colorau português: diferente do Brasil, que é feito a partir de urucum e não tempera a comida, em Portugal — também conhecido como páprica — dá uma cor intensa a pratos de arroz, carnes e caldeiradas. É usado tanto o colorau picante como o doce;
  • Alecrim: fresco ou seco, é usado em assados, como: carnes, batatas, churrascos, e também em sopas e molhos;
  • Malagueta: seja em flocos secos ou em molho intenso, dá um toque picante sem arder a língua, nem lacrimejar os olhos;
  • Salsa: usada em pratos salgados. É ideal para diabéticos, pois reduz o colesterol e previne doenças cardiovasculares.

4. O queijo é feito com leite de ovelha

Para quem está acostumado com queijo de vaca, descobrir que há também o queijo feito com leite de ovelha pode ser uma grande surpresa. Há o famoso Queijo Serra da Estrela, que faz parte das mesas portuguesas e atrai o gosto dos turistas. Tem uma casquinha fina por fora e é cremoso por dentro. É servido muitas vezes como entrada, pois é ideal para passar em pães e torradas.

5. Coentro é o ingrediente-chave

Os portugueses usam e abusam do coentro; algumas refeições, como os pés de porco, que levam essa erva aromática são conhecidas como “coentradas”. Há também outros pratos típicos que têm um aroma magnífico em que o grande segredo é a combinação do coentro com alho, como as “amêijoas à bulhão pato” ou a “açorda à alentejana”. Por dar frescor e ter um sabor predominante, a erva não deve ser cozida por muito tempo, e sim, adicionada ao final do preparo.

6. Canela na sobremesa: uma combinação perfeita

Mais um tempero que merece seu próprio destaque: a canela! Ingrediente essencial nas sobremesas por seu toque intenso e quente, serve para aromatizar e decorar doces, como o cremoso arroz-doce português, biscoitos, bolos e compotas. Além de frutas, como maçãs e bananas, entre outras.

7. Como preparar bacalhau como os portugueses

O bacalhau pode ser encontrado de inúmeras formas, como em bolinhos fritos, assados com batatas, com broa ou natas. De acordo com o chef Rafael Freitas, para acertar no prato, deve-se escolher primeiro um bacalhau de boa qualidade, com uma cauda reta no final, observando se está firme e sem manchas marrons. Para cada centímetro da posta, é contado 24h de dessalga, trocando a água duas vezes nesse período.

“O importante é deixar o bacalhau em água gelada e o tempo todo na geladeira. Em hipótese alguma usar água em temperatura ambiente. A troca brusca pode estragar o seu produto”, disse. Além disso, o ponto certo de cozimento é quando ele começa a querer soltar as lascas. Porém, não é necessário cozinhá-lo em água antes de levá-lo ao forno ou frigideira.

8. Gemas moles fazem parte do lado mais “doce” de Portugal

Outro ingrediente apreciado na terrinha é o ovo, principalmente a gema mole, que faz parte das sobremesas mais tradicionais por lá. O preparo está presente em doces como o pastel de Belém (que, na realidade, é chamado pastel de nata), no pastel de Santa Clara, nos ovos moles de Aveiro, entre outros. No caso dos doces, a gema de ovo dá uma consistência mais delicada.

9. A diferença no molho dos peixes está na mostarda

Dar um sabor especial aos molhos de peixe, esse é o segredo da mostarda. A dica é misturar 1 colher de sopa de azeite com 1 colher de sopa de mostarda, dente de alho espremido e 1 colher de sopa de sumo de limão.

10. Sardinha fica no sal durante cinco minutos

Algumas pessoas dizem que a sardinha portuguesa é a melhor do mundo, e, para que ela fique no ponto, antes de assar é preciso deixá-la no sal por cinco minutos. Geralmente, são temperadas com sal grosso. Além disso, a melhor época para comer esse peixe é entre os meses de junho e dezembro, pois é quando a sardinha está mais gorda, com mais ômega 3.

Qual desses segredos culinários você irá usar na sua cozinha imediatamente? Conhece outras dicas para deixar a sua comida ainda mais saborosa? Conte para a gente na seção de comentários!

Compartilhar este artigo