10 Hábitos que alguns donos de pets cometem e que prejudicam a qualidade de vida dos animais

Além de grandes companheiros, ter um animal de estimação traz benefícios positivos para as nossas vidas. Porém, na tentativa de retribuir ao máximo o amor que recebemos deles, às vezes, acabamos prejudicando a saúde dos nossos pets, e fazemos isso sem perceber. Afinal, não resistimos a um “olhar pidão”, não é mesmo?!

Pensando no bem-estar dos nossos amiguinhos, o Incrível.club selecionou 10 erros que podem comprometer a saúde dos animais. Venha conferir!

1. Colocar a ração em comedouros baixos para os gatinhos

Se você está acostumado a colocar a ração em potes comuns, anote esta informação! Os comedouros altos ou ergonômicos para gatos, podem reduzir riscos de engasgos, dores articulares na região cervical e permitem uma postura melhor durante a alimentação. Além disso, dê preferência a potes com a base mais pesada e evite aqueles muito fundos, pois os bigodes dos bichanos, por serem muito sensíveis, podem arranhar nas paredes do comedouro.

2. Dar ossos in natura para cachorros

Dar um osso cru não é aconselhável, pois, segundo especialistas, ele costuma ser o centro para a proliferação de bactérias e, consequentemente, pode causar intoxicação alimentar no seu doguinho. Além disso, ossos de frango são fáceis de se partir, por isso, não é recomendado dar ao animal. Já os defumados, comprados em petshops, auxiliam na higiene bucal, prevenindo a formação do tártaro, distraem e reduzem o estresse no animal. O osso precisa ser duas vezes maior que a boca do cachorro, para que ele possa apreendê-lo com a pata enquanto rói.

3. Dar alimentos com farinha de trigo

Alimentos à base de farinha de trigo não são recomendáveis para a alimentação do pet, pois, por serem pobres em nutrientes importantes e ricos em amido, além de muitas vezes terem açúcar, podem aumentar o risco do animal se tornar obeso e ter outros problemas de saúde, principalmente para aqueles com intolerância alimentar. Mesmo que seja só um pedacinho, é mais prudente não dar. Antes de oferecer um novo petisco ao seu animal de estimação, é aconselhável consultar um veterinário.

4. Não introduzir os animais aos poucos

Apresentar dois animais “estranhos” um para o outro, sem mais nem menos, vai resultar em estresse. Para os donos de gatos que desejam introduzir um novo gatinho ao convívio da casa, é importante respeitar a rotina do felino que já está há mais tempo, e evitar as mudanças bruscas nesse processo de adaptação. O ideal é apresentá-los aos poucos com muito carinho, paciência e petiscos.

Prepare um espaço só para receber o novo bichinho, compre coisas novas só para ele, como caixa de areia, vasilhas de comida e água, porém sem deixar que o gato residente perca o ambiente dele, e faça com que o bichano entenda que algo novo está ali. Isso também vale para os tutores que desejam introduzir cachorros e gatos num mesmo lar.

5. Dar peixe cru ou leite

Se você costuma dar uma comida mais “natural” ao seu pet, é importante lembrar que ela precisa ser balanceada, para não trazer riscos à saúde do bichinho, como: problemas gastrointestinais, desmineralização óssea, problemas dermatológicos e alteração na imunidade.

Apesar de gatos domésticos também comerem peixe e carne, é aconselhável evitar que comam alimentos crus, pois eles podem conter bactérias e parasitas, além da deficiência de vitamina B, correndo o risco de causar problemas neurológicos nos felinos. Outro alimento que não é recomendável oferecer aos bichanos é o leite, pois a maioria dos pets é intolerante à lactose, o que pode ser prejudicial.

6. Não dar banho nos coelhos

Coelhos se limpam com frequência, assim como os gatos fazem, eles também lambem os próprios pelos para remover a sujeira. Mas é necessário manter uma boa higiene através do banho. Porém, como seus pelos requerem mais cuidados ao secar, é recomendável que a higienização seja feita em locais especializados, aproveitando para fazer uma tosa para retirar o acúmulo de sujeiras em áreas mais sensíveis.

7. Não estimular atividades

Assim como nos humanos, o sedentarismo pode levar gatos e cães a ganharem mais peso. Esse acúmulo de gordura pode causar problemas de saúde, como: diabetes, problemas respiratórios e ortopédicos, câncer, doenças cardiovasculares, entre outros, reduzindo assim a expectativa de vida dos animais.

Além de uma dieta equilibrada e indicada por um veterinário, é aconselhável que os donos estimulem os bichinhos a brincar, encontrando brinquedos de acordo com a idade do animal. Filhotes tendem a ser entreter com mais facilidade que os adultos. Fazer passeios com coleira e natação também são boas opções para deixar o seu melhor amigo mais em forma.

8. Não verificar a espécie antes de comprar uma gaiola

É bem complicado ter em casa uma ave sem ter uma gaiola. Por isso, é importante verificar o tipo mais adequado para cada espécie e aquela que deixará o animal mais à vontade. Conhecer os hábitos naturais do seu pássaro te ajudará a encontrar a gaiola ideal. Além de verificar o espaço entre as barras, ela precisa ter o dobro do tamanho da ave com as asas abertas e a capacidade de acomodar com folga outros acessórios, como: bebedouro, comedouro e brinquedos.

É preciso prestar atenção ao material, pois nem todas as espécies podem usar o mesmo tipo de gaiola — alguns pássaros se dão bem com as de madeiras, já para outros, é mais recomendável utilizar as de ferro -, e, ainda, ficar atento ao acabamento desse material.

9. Colocar diferentes tipos de peixe no mesmo aquário

Ter em casa um aquário lindo, colorido e cheio de peixes te agrada? Antes de sair comprando vários peixinhos, é preciso saber que nem todos convivem bem no mesmo espaço. Há diversos fatores que os impedem de viver juntos: o pH da água, tamanho do aquário, temperamento e comportamento de cada espécie — se são mais agressivos ou calmos.

E caso ainda haja dúvidas na hora de escolher um peixe, tire uma foto do seu aquário, anote as medidas e leve à uma loja especializada.

10. Colocar roupinhas em hamsters

Um erro que os donos de hamsters podem cometer, é querer vesti-los com roupinhas, seja para aquecê-los do frio ou mesmo para deixá-los mais fofos. Porém, não é recomendável colocar roupas nesses animais, pois trata-se de roedores. Segundo especialistas, eles podem roer o tecido, por se sentirem incomodados, e acabar engolindo o material, por isso, é melhor evitar.

Você tem um animalzinho de estimação em casa? Qual dica daria para complementar a nossa lista e ajudar outros donos de pets? Conte para a gente na seção de comentários!

Compartilhar este artigo