Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Suas habilidades para ler e resolver cálculos matemáticos aos 7 anos são indicadores de que você será bem-sucedido na vida adulta

2-14
251

Se aos 7 anos você tinha habilidades de leitura e cálculos matemáticos, há boas notícias: tais características têm uma relação direta com o sucesso socioeconômico na idade adulta. Assim apontou uma pesquisa realizada na Inglaterra, Escócia e País de Gales, publicada na revista Psychological Science, que comprovou a existência de um vínculo entre as habilidades da infância e o nível de renda na vida adulta.

Enquanto procura suas notas nos cadernos velhos da escola, o Incrível.club resume as descobertas mais importantes desse trabalho. No final do post, você encontrará um bônus com 10 ideias para incentivar a leitura nas crianças.

Um estudo que segue a vida das pessoas desde 1958

Os psicólogos Stuart Ritchie e Timothy Bates, membros da Universidade de Edimburgo, começaram a estudar se os padrões educacionais têm efeito além da sala de aula. “Queríamos testar se ser melhor em matemática ou ler durante a infância estava relacionado à posição social: um emprego melhor, melhor moradia e maiores salários quando adultos”, explicaram.

Para isso, pesquisaram nos dados do Estudo Nacional de Desenvolvimento Infantil e fizeram um grande estudo que acompanha a vida de cerca de 17.000 pessoas nascidas em 1958. O trabalho coleta informações sobre saúde, estado físico e cognitivo, desenvolvimento social, educação e trabalho dos participantes.

O vínculo entre a leitura na infância e a renda na idade adulta

A conclusão a que se chegou é que existe uma relação entre as habilidades das crianças e a posição socioeconômica, cerca de 35 anos depois. Os dados da pesquisa indicaram, por exemplo, que aqueles que tinham um nível de leitura superior aos 7 anos tinham, aos 42, um acréscimo de cerca de 5.000 libras (cerca de 6.200 dólares, mais de 25 mil reais) na renda anual média.

“As descobertas implicam que as habilidades básicas da infância, independentemente de quão inteligente você seja, por quanto tempo permaneça na escola ou da classe social a que pertencia na infância, serão importantes ao longo de sua vida”, disseram os autores da pesquisa.

O papel preponderante dos genes

Os responsáveis ​​pelo estudo acreditam que os genes são a chave para entender essa relação de longo prazo entre as habilidades na escola e o padrão de vida na idade adulta. Isso significaria que a genética desempenha um papel mais importante no sucesso de uma pessoa do que fatores socioambientais, como vida familiar, desenvolvimento cultural e nível econômico, entre outros.

“Os genes estão por trás de muitas das diferenças entre as crianças, em todas as variáveis ​​que vimos”, observaram os autores. Para separar os efeitos dos genes e do ambiente, os psicólogos estudaram essa relação entre matemática e habilidades de leitura aos 7 anos de idade e o nível socioeconômico em gêmeos.

A relação é mais forte quando a pessoa vem de uma origem humilde

Um estudo subsequente, tomando o de Ritchie e Bates como base, e publicado no Institute for Fiscal Studies da Inglaterra, confirmou que as habilidades de leitura aos 7 anos estão associadas a uma maior renda na idade adulta, mas não encontraram evidências de que tais competências na infância tenham uma relação direta com outras variáveis, como maior conscientização sobre seu próprio estado de saúde ou maior incentivo da leitura aos filhos.

O trabalho acrescentou que a ligação entre a leitura na infância e os melhores salários na idade adulta é mais forte entre aqueles que vieram de uma família com menores possibilidades socioeconômicas.

Bônus: 10 dicas para fomentar a leitura nos pequenos

No mundo, existem cerca de 617 milhões de crianças e adolescentes que não estão recebendo conhecimentos mínimos de leitura. Fomentá-la desde a infância é muito importante, por isso reunimos algumas recomendações feitas pelo Ministério da Educação da Espanha para promover esses primeiros passos com os livros:

  • Informe às crianças que vivemos em um mundo alfabetizado: leia e escreva frequentemente na presença delas em situações cotidianas, como a leitura de um anúncio ou o rótulo de um produto, para que participem.

  • Leia em voz alta: textos lidos por pessoas que são referências, como pais ou outros membros da família, influenciam decisivamente no desenvolvimento da leitura nas crianças.
  • Escreva junto com elas: faça a lista de supermercados e anotações simples, por exemplo, para que entendam todo o processo de produção de um texto.
  • Ajude-as a relacionar a linguagem oral à escrita: acompanhe-as no descobrimento das relações entre os sons e as letras.

  • Incentive-as a experimentar a leitura e a escrita: mesmo que digam que não sabem ler ou escrever, incentive-as a fazer isso brincando, procurando as letras do nome em um cartaz, por exemplo, sem pressa para corrigi-las.
  • Lembre que aprender a ler e a escrever leva tempo, e é uma tarefa que necessita constância.
  • Valorize os acertos mais do que os erros: reconheça e aponte o que a criança fez bem, para que ela perceba o que está aprendendo.

  • Utilize os materiais que tem por perto: um pacote de bolachas, as placas nas ruas, tudo serve para incentivar a leitura.
  • Fale sobre leitura e escrita: comente os livros ou notícias do jornal como um tema de conversa para que eles possam participar e perguntar.
  • Vá a uma biblioteca: entre em contato com livros de diferentes formatos, temas e ilustradores.

Você acha que as habilidades de leitura e matemática que tinha na infância o ajudaram a conseguir um emprego melhor? Acredita que atualmente as crianças leem menos do que antes? Compartilhe suas opiniões conosco na seção de comentários!

2-14
251