Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Entenda o que uma criança sente quando gritam com ela

Às vezes gritamos tentando nos livrar das emoções negativas. E nos arrependemos muito, quando fazemos isso com os nossos filhos. O problema é que depois acabamos repetindo tudo de novo.

O Incrível.club encontrou um excelente exercício que servirá a todos os adultos, sem exceção. E isso vai mudar a sua atitude em relação aos gritos para sempre.

Este exercício vai ajudá-lo a se colocar no lugar do seu filho e entender o que ele sente quando você grita.

Todo pai, ainda que seja uma vez na vida, já sentiu uma raiva incontrolável por causa de algumas das travessuras do filho. Alguns sabem se controlar a tempo, outros pensam que isso não tem nada de errado e todo mundo é criado assim. Mas você já se colocou no lugar de seu pequeno? Quer saber exatamente o que acontece em seu interior, quando grita com ele sem pensar?

  1. Sente-se de cócoras ou se ajoelhe.

  2. Peça a alguém para gritar com você, independentemente do motivo.

  3. Encolha-se e repita: "Eu sou pequeno e só quero ser amado."

Só depois de ter repetido várias vezes, sentirá que as lágrimas começam a cair por si sós e sentirá o quanto o pequeno se sentiu ferido.

Existem algumas outras maneiras de conseguir perceber na própria pele o que seu filho sente:

  • Pegue uma grande folha de papel branco, escreva nela o nome e a idade da criança. Coloque a folha em um canto e pise nela, imaginando que é um garoto que está olhando para você, adulto, gritando com ele.
  • Peça a outros para ajudá-lo. Tente "traduzir" as palavras comuns dos adultos nessas situações. "Não corra!!" e amarre os cadarços. "Não mexa nisso!" e amarre as suas mãos. "Não grite!" e tape a sua boca. Sinta fisicamente como as palavras que muitas vezes dirigimos a nossos filhos são pesadas.
  • Sente-se de costas com seu parceiro e fale com ele como se fossem pai e filho. Assim, poderá sentir que, para falar com o seu filho, é importante estar com ele, não "ao lado" ou "acima" dele. É improvável que consiga estabelecer uma conversa que transmita confiança, se não interage com o seu filho.
Ilustradora Anna Syrovatkina exclusivo para Incrível.club