Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

7 Mitos sobre crianças que seria melhor esquecer agora mesmo

Existem muitos mitos que envolvem a criação dos filhos. Um bom exemplo é a dentição, que algumas pessoas acham ser a culpada por uma série de doenças. Outro exemplo interessante é quando um bebê é chamado de gênio por começar a falar muito antes dos outros. A maioria dessas ideias ainda perduram porque as pessoas nunca entenderam o funcionamento exato do cérebro de um bebê e de uma criança. Mas será que houve avanços nos últimos anos?

Nós, do Incrível.club, sempre procuramos as informações mais confiáveis, e a criação dos filhos é um assunto que merece uma atenção ainda maior. Hoje trazemos alguns mitos que deveríamos abandonar, sobre bebês e crianças.

Mito 1: crianças têm mais dificuldade para falar quando os pais falam com elas com “voz de bebê”

Falar com “voz de bebê” não é algo bobo, é uma ferramenta poderosa no desenvolvimento da linguagem. Na cabeça das pessoas, a fala infantilizada não é correta, mas muitos especialistas afirmam que esse falar mais agudo e cantado, ajuda as crianças a aprenderem as palavras, quando repetidas corretamente.

Além de preferirem o som da fala de bebê em vez da fala de “adulto”, dessa forma os pequenos também aprendem palavras novas, ou seja, ajuda a atrair a atenção da criança e a envolvê-la na conversa. Igualmente importante, é o fato de ser uma maneira de estreitar os laços entre pais e filhos, pois, assim, os bebês entendem as emoções com mais facilidade.

Mito 2: crianças que aprendem a ler antes vão ser gênias

Embora muitas vezes seja algo que impressione, começar a ler muito cedo não é uma garantia para grandes realizações acadêmicas no futuro. O aprendizado viso-espacial tende a fazer com que a criança aprenda a ler mais tarde. O importante é saber que as interações linguísticas e lúdicas com os pequenos antes da escola são a chave para o que vem depois, porque a linguagem está vinculada a uma série de outros aprendizados.

Mito 3: elas precisam comer uma grande variedade de alimentos todos os dias

Esse mito talvez funcionasse em um mundo perfeito, não no nosso. Embora seja importante manter uma dieta equilibrada, a maioria das crianças é exigente e costuma recusar novos alimentos, ou seja, elas precisam se acostumar pouco a pouco com as novidades. Existem outras razões que levam os pequenos a recusarem comida, porém, a mais comum, é que eles simplesmente não gostam. Não há muito mistério.

Nesse sentido, a maioria das crianças não come todos os grupos alimentares diariamente, e não é bom que isso seja imposto. O fundamental é ir acrescentando novos alimentos e perceber o que as agrada e o que elas rejeitam.

Mito 4: elas não conseguem fazer tarefas domésticas (e os pais não deveriam forçá-las)

As crianças gostam de ajudar nas tarefas domésticas porque se sentem importantes e parte da família. Existem algumas coisas que elas podem fazer, como limpar os brinquedos, colocar a roupa suja no cesto, os guardanapos sobre a mesa, ou limpar os pratos após as refeições. A chave é manter o processo simples, divertido e repetitivo, sem nunca esquecer os elogios.

Mito 5: elas precisam dormir a noite toda

Crianças têm mais ciclos de sono que os adultos, portanto, tendem a acordar mais vezes durante a noite. Além disso, elas têm mais tempo de sono, o que também significa mais pesadelos, monstros embaixo da cama e sombras na parede. Outro aspecto a ser considerado é o medo, de muitas delas, dos pais não voltarem mais, ou seja, o cenário perfeito para uma noite de muita agitação.

Mito 6: elas podem e devem compartilhar suas coisas

Crianças pequenas não entendem muito bem a importância de dividir as coisas, e a capacidade de compartilhar objetos só se torna mais real a partir dos três e meio ou quatro anos. Antes de entender a importância de repartir, elas precisam compreender outros conceitos importantes.

O compartilhar exige da criança entender e se preocupar com os sentimentos dos outros, o que não acontece quando ela é muito pequena. Isso significa que não são egoístas ou más quando não querem dividir algo, são apenas crianças.

Mito 7: crianças travessas têm mais acessos de raiva

Toda criança tem acessos de raiva e tais episódios são normais na infância. Importante ressaltar que esses momentos de fúria não definem se os pais são bons ou não. As birras acontecem porque o centro de regulação emocional do cérebro não consegue lidar com as grandes emoções e com as regras sociais.

Que outros mitos sobre crianças e educação você conhece? Já passou por essas situações com seus filhos?

Compartilhar este artigo