Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Saiba como a queima de azeites e óleos afeta seu organismo

----
474

As propriedades tanto positivas quanto negativas dos azeites e óleos vêm sendo muito discutidas. Estudos relacionados a esses produtos chamam tanto nossa atenção por serem praticamente indispensáveis no dia a dia de uma cozinha.

Assim, o Incrível.club resolveu investigar até que ponto estes ingredientes devem ser aquecidos, no preparo de pratos fritos.

De onde vem o perigo?

Quanto mais gordura poliinsaturada tiver o óleo ou azeite, mais isômeros tóxicos irá produzir durante a fritura, criando uma fumaça cuja inalação aumenta as chances de desenvolver câncer e doenças cardíacas.

A descomposição dos ácidos graxos acontece lentamente, mas sobretudo por aquecimento. Portanto, é melhor escolher óleos com uma pequena quantidade de gorduras poliinsaturadas e com elevado ponto de queima.

Óleo de girassol

  • 11% de gorduras saturadas.
  • 20% de gorduras monoinsaturadas.
  • 69% de gorduras poliinsaturadas.

De acordo com esta descrição, podemos chegar à conclusão de que não é recomendável fritar alimentos com óleo de girassol. O óleo de girassol é totalmente inofensivo como tempero para saladas. Deve ser conservado em lugar seco, escuro e arejado.

Óleo de gergelim

  • 14% de gorduras saturadas.
  • 40% de gorduras monoinsaturadas.
  • 41% de gorduras poliinsaturadas.

Devido à grande quantidade de ácidos graxos poliinsaturados, não é recomendado usar o óleo de gergelim para fritar.

Óleo de milho

  • 12% de gorduras saturadas.
  • 27% de gorduras monoinsaturadas.
  • 54% de gorduras poliinsaturadas.

As propriedades do óleo de milho também estão longe de serem perfeitas.

Óleo de canola

  • 7% de gorduras saturadas.
  • 63% de gorduras monoinsaturadas.
  • 28% de gorduras poliinsaturadas.

Devido à saturação média com os ácidos graxos prejudiciais, é preciso usar o óleo de canola com cuidado, prestando atenção à temperatura atingida.

Azeite de oliva

  • 14% de gorduras saturadas.
  • 73% de gorduras monoinsaturadas.
  • 11% de gorduras poliinsaturadas.

O óleo de oliva é considerado um dos mais seguros, devido ao baixo teor de ácidos graxos poliinsaturados.

Óleo de coco

  • 88,5% de gorduras saturadas.
  • 6,5% de gorduras monoinsaturadas.
  • 5% de gorduras poliinsaturadas.

O óleo de coco é tido como o mais seguro de todos para fritar. Seu ponto de queima é a temperatura máxima a que um forno caseiro pode chegar. Já o teor de gorduras poliinsaturadas é tão baixo que quase não haverá resíduos de sua decomposição.

Nota

Vale ressaltar que os óleos vegetais só podem se tornar prejudiciais quando aquecidos. Eles podem e devem ser usados frios como temperos para saladas.

Tomara que nossas dicas te ajudam a dar mais um passo na adoção de uma alimentação saudável. Compartilhe este post para que seus amigos também saibam qual o melhor óleo para deliciosos pratos fritos. Quem sabe eles te convidam para fazer uma boquinha?

Imagem de capa depositphotos.com
----
474