Incrível

Psicólogo revela como perder peso condicionando o apetite

Imagine o quanto a sua saúde e a sua silhueta agradeceriam se fosse fácil deixar de consumir junk food e adotar uma dieta mais nutritiva. Pois bem, a psicóloga Helen McCarthy criou uma espécie de “pêndulo de apetite” que pode ser muito útil nessa tarefa. E ainda que o caminho rumo a uma alimentação mais saudável exija comprometimento da sua parte, se você seguir o conselho dela e passar a comer mais vegetais (e sentir prazer), isso certamente se tornará algo muito mais fácil.

Nós, do Incrível.club, temos certeza de que você sentiu curiosidade para saber mais sobre o assunto. Então, continue lendo!

O pêndulo do apetite

O pêndulo do apetite é uma escala de 11 pontos, que vai de −5 — “fome extrema” até +5 — “desconfortavelmente satisfeito”. Em seu livro How to Retrain Your Appetite (Como Retreinar Seu Apetite, em tradução livre), Helen explica que, quando não estamos com fome, o pêndulo fica em 0, uma posição neutra. Quando a fome bate, a escala vai para o lado negativo; indo para o lado positivo quando começamos a comer.

A psicóloga considera que só deveríamos começar a nos alimentar quando estamos na fase −3 — “Fome”, e finalizar a refeição na posição +3 — “Satisfatoriamente cheio”; algo que é essencial para uma dieta saudável. Ao seguir essa regra, evitamos ingerir alimentos em demasia, o que leva a uma gradual perda de peso. Helen McCarthy afirma que foi com o “treino de apetite” que ela conseguiu perder peso.

Fome leve faz bem

De acordo com Helen, sentir um pouco de fome é realmente saudável. Por isso, você não precisa fugir desesperadamente dessa sensação. Caso não sinta uma fome leve uma hora antes da próxima refeição, isso significa que seu estômago ainda está digerindo aquilo que você comeu por último e não teve tempo para descansar.

Quando e o que comer

O problema é que a maioria das pessoas foi condicionada a comer em determinados horários, independentemente de estar ou não com fome. E ainda que quiséssemos comer no instante em que nosso corpo pedisse, nem sempre teríamos tempo ou condições para fazê-lo. É por isso que o dia dividido em três refeições é tão conveniente para nosso cotidiano.

Nesse caso, o importante é escolher o que irá comer de acordo com a hora da sua próxima refeição. Caso falte apenas uma hora para você almoçar, mas a fome já esteja incomodando, faça um lanche que seja facilmente digerível: frutas ou legumes, por exemplo. Assim, na hora do almoço, a fome já estará batendo novamente. Mas se ainda faltar muito tempo para a próxima refeição, escolha algo rico em proteínas, fibras e gorduras. Ovos e nozes são boas escolhas para tais momentos.

A comida ficará com sabor mais intenso

Em seu livro, Helen diz ainda que tendemos a escolher alimentos doces, salgados e gordurosos, porque eles possuem sabores que agradam nosso paladar, mesmo se não estivermos com fome. Em decorrência, acabamos comendo mais do que o necessário. Por outro lado, se estivermos com o estômago cheio e comermos, por exemplo, tomates, eles não parecerão tão saborosos.

Assim, quando nos condicionamos a esperar até que aquela fominha bata antes da refeição, alimentos saudáveis ganham um sabor mais atraente, já que os receptores em nosso corpo ficam mais sensíveis quando estamos de estômago vazio. Com isso, os pratos que são saudáveis e que talvez não chamassem sua atenção passarão a parecer mais deliciosos. Quanto à junk food, repleta de aditivos e outras substâncias químicas, a autora diz que ela se torna menos atrativa à medida que passamos a perceber mais claramente seu gosto artificial.

Você já tinha ouvido falar nessa ou em outra técnica para treinar o apetite? Costuma ter algum controle sobre aquilo que ingere? Nós adoraríamos ler o seu comentário!