Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Por que você continua cansado mesmo depois de ter dormido por 12 horas

Se você é daqueles que pensam: "no domingo dormirei até tarde para recuperar o sono perdido durante a semana", já deve ter percebido que essa solução que parece infalível, na realidade não funciona. O Incrível.club explica por que esse método é eficiente do ponto de vista científico, para que você pense um pouco antes de tentar novamente. Então, se não funciona, aproveite o final de semana pra fazer algo mais útil :)

Por lógica entendemos que descansaremos mais, dormindo mais. Lamentamos dizer, mas dormir não é uma tabela de contabilidade na qual você subtrai um pouco de sono aqui, soma um pouco ali e no final, zera a falta de sono. A verdade é que o resultado de tentar compensar dormindo mais é uma espécie de ressaca do sono: dor de cabeça, falta de coordenação motora, sonolência. Algo que não é tão prejudicial para o seu cérebro, como a falta de sono, mas é um desastre para o seu corpo em geral.

Por que isso acontece? A realidade é que você não pode enganar o seu relógio interno, que é responsável por controlar os nossos horários internos e recursos energéticos. Porque suas células e órgãos também têm suas horas de trabalho e seus períodos de descanso.

Esse relógio interno tem seu próprio ritmo, que não para quando você dorme mais. E aí está o problema: você dormiu 12 horas, mas seus mecanismos internos não esperaram por você. O ciclo começou horas antes, enquanto você ainda estava dormindo e seu corpo fica confuso.

Dormir mais do que nove horas de vez em quando não tem nada de mau. O problema surge quando se torna um hábito: fadiga, problemas no desempenho cognitivo, depressão, dores de cabeça e uma expectativa de vida mais curta são alguns dos riscos desse hábito pouco saudável.

Por isso os especialistas recomendam que continuemos a seguir os ditames de nosso corpo, já que dormir mais ou menos do que precisamos é ruim e alterar os ritmos naturais do sono também.

Produzido com base em material de Revista GQ