Como você pode auxiliar seu pet se ele se engasgar

Animais de estimação são parte da família, mas poucos saberiam o que fazer para ajudá-los em caso de emergência. Um episódio de alergia, por exemplo, pode inchar a garganta de nosso pet até sufocá-lo. Ou uma simples tampa de garrafa é capaz de bloquear sua respiração. Eles são nossos leais companheiros, por isso merecem nossos melhores cuidados caso uma emergência lamentável ocorra. Vamos nos preparar para ajudá-los.

Incrivel.club quer orientá-lo sobre como cuidar do seu animalzinho, mostrando o que deve fazer caso ele esteja se asfixiando.

Como saber se o seu pet está se asfixiando

Se o seu cachorro ou gato estiver se asfixiando, ele apresentará alguns desses sintomas que lhe permitirão estar ciente do que está acontecendo:

  • Pânico

  • Incômodo no focinho (o animal o esfrega no chão)

  • Produção de saliva

  • Ânsias de vômito

  • Tosse

  • Dificuldades para respirar

  • Focinho ou língua azulada

Em muitas ocasiões deve-se agir rapidamente, e não esperar o veterinário, pois isso pode custar a vida do seu animal de estimação.

Passo 1. Tente remover o objeto que bloqueia sua respiração

Certifique-se de que o seu pet esteja controlado. Os animais que atravessam um episódio de asfixia costumam se desesperar. Peça ajuda a algum familiar, amigo ou vizinho para dar a assistência adequada ao bichinho.

Puxe sua língua para o lado e abra sua boca o quanto puder. Caso a língua volte para o meio da boca, puxe-a novamente, pois, fazendo assim, você pode liberar o objeto preso. Faça uma varredura de sua língua com os dedos, do canto da boca em direção ao centro, tomando cuidado para não fazer com que o objeto fique ainda mais inserido na garganta. Caso o sinta ou o veja, você pode tirá-lo suavemente com os dedos ou usando um alicate de bico.

Passo 2: Se não conseguir retirar o objeto, faça a manobra de Heimlich

Se não conseguir localizar o objeto, prepare-se para executar a manobra de Heimlich no seu pet. Sua anatomia, claro, é diferente da dos seres humanos, mas o princípio da técnica é o mesmo. Realiza-se da seguinte maneira, de acordo com o tamanho do animal.

Se o seu cachorro for pequeno ou (ou se o problema for com um gato), pegue-o, colocando as costas contra seu peito, deixando suas patas soltas naturalmente. Localize a depressão macia sob suas costelas, logo abaixo da caixa torácica. Feche o punho e coloque a junta do polegar nesse espaço. Empurre-o para cima e para dentro do estômago do pet umas três vezes. Dessa forma, o animal pode expulsar o objeto.

Se o seu animal de estimação for muito pesado, deite-o de lado e ajoelhe-se atrás dele. Feche o punho e aloje a junta do polegar na cavidade torácica, empurrando com força para dentro e em direção à cabeça. Pode ser que, assim, o animal consiga expulsar o objeto.

Passo 3: Se as ações anteriores não funcionarem, faça a RCP

Se o seu pet desmaiar ou deixar de respirar, é melhor iniciar a RCP (reanimação cardiopulmonar). Você deve fazê-la deste modo, de acordo com o tamanho do animal:

Se seu pet for um gato ou um cachorro pequeno, coloque-o de lado sobre uma superfície plana, estique o pescoço e feche sua boca. Inspire fundo e expulse o ar da sua boca para o nariz do animal, tomando o cuidado para que o ar não escape, fechando com suas duas mãos. Repita três vezes e, depois, faça de 100 a 120 compressões, apertando com os dedos polegar e indicador o peito, logo abaixo do cotovelo, na linha da pata superior perto de você. A cada 30 compressões, insira o ar no nariz dele.

Se o seu cachorro for muito pesado, execute o procedimento no abdômen do animal, colocando uma palma de sua mão sobre o corpo dele e a outra mão sobre a primeira — de forma parecida com a que é feita em humanos. Mantenha os braços retos e pressione com força.

Se o peito dele inchar, é sinal que está fazendo corretamente. Repita até que consiga detectar o pulso. Você pode colocar os dedos entre a coxa e o tronco para checar se percebe a circulação.

Como evitar que seu pet se asfixie

O melhor remédio para esses casos é a prevenção. Prestar atenção a alguns detalhes da vida diária do seu animal de estimação pode evitar que aconteçam episódios assim. Nossas dicas são:

  • Certifique-se de que sua comida não tenha pedaços grandes demais para a sua boca.

  • Verifique, sempre, se há brinquedos ou ossos que não caibam na sua boca ou tenham peças que possam se soltar e representar um risco de asfixia.

  • Proteja a tampa do lixo.

  • Mantenha fora de seu alcance elementos que poderiam caber na sua boca, incluindo os recipientes que possam contem esses elementos.

  • Monitore os momentos de brincadeiras em lugares públicos, como praças e parques. Pode ser que encontre objetos pequenos, como tampas de garrafa, que poderiam colocá-lo em perigo.

Seu animal de estimação alguma vez já lhe pregou um susto? Qual a sua maior gratidão por ter seu pet?

Compartilhar este artigo