Incrível

Cientistas afirmam que idosos acompanhados vivem mais

2--5
128

O estado de espírito determina muito em nossas vidas. Fatores como depressão, ansiedade, estresse, estados de demência e até a doença de Alzheimer poderiam ser evitados pelo simples estado de humor. Ter um sorriso no rosto e alguma companhia no dia-a-dia é benéfico para todos, de crianças a idosos. No caso destes últimos, isso poderia até mesmo prolongar e melhorar sua vida. De fato, os cientistas asseguram que conviver com os idosos é altamente benéfico para sua saúde e longevidade.

Incrível.club quer compartilhar com você algumas dicas e benefícios que podem ser proporcionados ao passarmos mais tempo com pessoas idosas, o que será útil tanto para elas quanto para você.

Previne síndromes causadas pela solidão

Nem todas as pessoas são iguais. Há quem se sinta à vontade com a solidão, mas certamente a maioria gosta de ter uma companhia ou pertencer a um grupo social. Os idosos que tiveram filhos, próprios ou adotados, costumam desenvolver a síndrome do ninho vazio. Isso pode desencadear sérios problemas, como depressão ou ansiedade, em relação ao sentimento de abandono dos filhos que saem de casa. Essa síndrome é um exemplo claro de que o ser humano, na maioria dos casos, precisa de companhia. Para as pessoas mais velhas, ter essa companhia é um alívio, em razão da mudança abrupta pelo fim de muitas de suas rotinas e atividades, devido ao fato de terem se aposentado e não manterem a mesma rotina de antigamente.

Aumenta sua autoestima

A mera companhia não fortalece a autoestima de uma pessoa idosa, que pode não se sentir completa no lugar onde está, porque provavelmente o tratamento não seja apropriado. Mas, seguindo algumas recomendações dadas pela Associação Americana de Psicologia, é possível melhorar o humor de idosos que já apresentaram sintomas de depressão. Atividades que promovam a integração, o desenvolvimento cognitivo e deem uma sensação de adesão social também podem ser úteis. Devemos lembrar que, à medida que envelhecemos, a deterioração do cérebro é tão possível quanto a de qualquer outro órgão do corpo que se desgasta ao longo dos anos. Manter a mente ativa e de bom humor é essencial.

Eles sentem-se úteis

Sentir-se capaz, ser útil, pensar que pode fazer o que se propõe é um desejo comum entre a maioria das pessoas, em todas as fases de suas vidas. Esse desejo aumenta na terceira idade, em princípio porque doenças ou limitações físicas e mentais aparecem, o que leva a se pensar que será mais difícil lidar com tudo. Condições como essas podem levar as pessoas mais velhas a um constante desânimo e até a um mau humor, é aí que entra a companhia familiar, que ajuda a gerar a convicção necessária para realizar atividades que gerem satisfação e realização — algumas, inclusive, nem sequer foram praticadas antes, como tricotar ou se aventurar a usar novas tecnologias.

Sentem-se integrados à família

Integrar as atividades familiares e compreender os novos papéis de maneira respeitosa pode ser de grande ajuda para os idosos. Um estudo conduzido por Jennifer Bauhn e publicado no Journal of the American Menopause Society menciona que cuidar dos netos pode ajudar a prevenir doenças neurodegenerativas, como o Alzheimer e a demência senil. É claro que, para que tudo isso tenha um resultado positivo, devemos respeitar o tempo de cada indivíduo, incentivando também o autocuidado e a autoestima nos idosos. Esse tipo de integração é muito fácil de fazer e traz grandes benefícios para os mais velhos, bem como para os filhos e netos.

Aproveitam mais dessa nova etapa

As emoções que acompanham cada pessoa nos diferentes momentos de sua vida são fundamentais em diversas ocasiões, assim como a correta tomada de decisão, para que se obtenha um equilíbrio mental, uma sensação de plenitude e se possa aproveitar da melhor condição física possível. Alcançar a terceira idade compreendendo o que é necessário deixar para trás e com que situações é preciso aprender a lidar é ideal para todo ser humano que chega a esse ponto da vida. A companhia, não só de parentes, mas também de amigos, pode prevenir algumas doenças mentais e até físicas, cujo gatilho geralmente são as emoções, como a hipertensão. Ter a oportunidade de compartilhar, conversar e curtir um momento diário com amigos ou familiares, sentindo uma conexão real, melhoraria muitos quadros clínico em idosos.

Melhora sua saúde geral

Doenças crônicas, deficiências adquiridas, complicações psiquiátricas e até mesmo a necessidade de depender de um medicamento podem chegar a alterar emocionalmente os idosos. O apoio de amigos e familiares, direta ou indiretamente em tais situações, pode fazer uma grande diferença na velhice. O apoio que se pode oferecer a uma pessoa idosa não deve ser apenas um assunto de família ou até mesmo de um amigo próximo: o correto seria um apoio maior de toda uma comunidade que conhece pessoas de idade que moram sozinhas ou até isoladas. Melhorar o seu dia a dia com pequenas coisas, como melhores vias de acesso, descontos mais consideráveis ​​e um tratamento melhor, que permita uma verdadeira conexão com a sociedade, poderia fazer uma mudança notável na maneira com que a população idosa leva a vida

Aumenta sua longevidade

Conseguir uma vida mais longa apesar das dificuldades do envelhecimento é possível, de acordo com um estudo da Universidade da Califórnia, em São Francisco. A pesquisa, aplicada em 1.604 idosos, sugere que as pessoas que vivem sozinhas ou isoladas desenvolvem depressão, ansiedade, demência senil e até pioram as complicações médicas ou doenças crônicas que se desenvolveram com o passar dos anos. Enquanto aquelas que desfrutavam da companhia de familiares e amigos, sendo estes últimos bastante recompensadores socialmente, viveram com mais qualidade de vida por mais anos.

Para ajudar a lidar com a depressão ou a ansiedade em adultos mais velhos, a American Psychological Association, com a ajuda da Dra. Susan Silk, dá as seguintes dicas:

  • Tenha em mente as alterações ou problemas físicos que possa vir a ter: antes de iniciar uma nova atividade na vida de uma pessoa idosa, mesmo que seja recomendado, é necessário consultar um médico a esse respeito. Se necessário, peça uma segunda opinião médica, para evitar agravar ou gerar problemas de saúde.

  • Seja paciente e respeite suas opiniões: um idoso geralmente tem uma atitude firme em relação às coisas, portanto, do seu ponto de vista, os acontecimentos que vive e o modo como fala poderia dar motivos para discussões, que não são boas para sua saúde. Tente conversar, chegar a acordos mútuos antes de fazer as mudanças necessárias para melhorar sua qualidade de vida.

  • Tente ser condescendente: um adulto mais velho pode ser mais sensível do que você pensa, e é por isso que, juntamente com a negligência, desenvolver a depressão é extremamente fácil. Para lidar com a fragilidade que os idosos apresentam, tente usar expressões positivas e ter paciência. Se nada disso funcionar e outras complicações surgirem, você sempre pode consultar um psicólogo, que orienta tanto aqueles que querem ajudar quanto quem sofre do problema.

Compartilhar com adultos mais velhos é gratificante e muito positivo para todos, e manter uma amizade com um idoso cheio de sabedoria é maravilhoso. E você? Ocuparia alguns momentos do seu dia para acompanhar alguém da terceira idade? Acha que isso pode fazer a diferença em sua vida? Conte-nos na seção de comentários!

Imagem de capa brfcs / Pixabay
2--5
128