Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

8 Regras da medicação caseira que costumamos quebrar, prejudicando nossa saúde

Nenhuma família pode viver sem uma farmacinha ou kit de primeiros socorros em casa. Alguns são formados apenas por um conjunto básico de remédios, enquanto outros podem ocupar várias prateleiras na estante. Seja como for, todo mundo precisa conhecer algumas regras básicas na hora de armazenar medicamentos.

O Incrível.club mostra a seguir os principais erros cometidos no uso dessas substâncias. E adverte para os riscos da auto-medicação. Este site explica melhor os riscos.

Na dúvida, antes do tomar o primeiro comprimido, consulte o médico.

8. Guardar indevidamente na geladeira

Alguns medicamentos devem ser armazenados a uma baixa temperatura, então é melhor deixá-los na geladeira. No entanto, mantê-los na porta não é a melhor opção. A temperatura nessa parte é mais alta e, por ser aberta frequentemente, o frio aumenta e diminui constantemente. Portanto, o ideal é encontrar um espaço para eles bem lá no fundo da geladeira.

Para proteger os remédios das mudanças na temperatura e umidade, guarde-os num recipiente bem fechado. Só não os mantenha no congelador nem no compartimento extra frio, pois medicamentos líquidos podem congelar, algo que pode comprometer sua eficácia.

7. Jogar fora a bula com as instruções

Boa parte das pessoas se identifica com uma situação assim: após comprar um remédio, a caixa junto com a bula somem inesperadamente. A data de validade normalmente vem indicada no frasco, etiqueta ou no blister, mas existe ainda outra informação importante. Sem falar que a bula é fundamental para que você tire eventuais dúvidas sobre a administração do medicamento.

6. Não dar atenção à data de validade

De forma geral, a data de validade é indicada para a embalagem fechada. Uma vez que o medicamento é aberto, a data limite para uso é alterada. A informação detalhada vem escrita na bula. Essa diferença entre as datas de validade é especialmente considerável no caso de remédios líquidos. Por exemplo, colírios para os olhos devem ser substituídos ao menos uma vez por mês. Do contrário, o líquido pode representar um perigo, por conta da proliferação de bactérias.

5. Guardar os medicamentos em um lugar acessível para crianças e em local não protegido contra a luz

Remédios não devem ser guardados em espaços abertos, ao alcance da luz solar, como nos criados-mudos ao lado da cama. Assim, eles perdem a eficácia e devem ser jogados fora. Além disso, os medicamentos podem representar um perigo por estarem ao alcance de crianças. O ideal é colocar remédios num recipiente tampado, que deve ser deixado dentro de um móvel sem portas transparentes. Lembre-se: uma farmacinha precisa estar sempre longe das mãos infantis e dos pets.

4. Jogar medicamentos fora de maneira incorreta

O melhor método para descartar remédios é colocando-os dentro de um saco plástico ou de um frasco com tampa, que deve ser jogado no cesto de lixo.

Em alguns locais, é possível entregar remédios já sem uso numa farmácia ou clínica. Lá, as substâncias são descartadas de forma muito segura. Outra alternativa é doar remédios dentro do prazo de validade após o fim do seu tratamento. Nas redes sociais, há muitas comunidades que aceitam a doação de remédios, que são direcionados a pessoas que não têm condições de pagar por eles.

3. Ter uma farmacinha bagunçada

A ordem na sua farmacinha é útil não apenas para que você encontre rapidamente aquilo de que necessita, mas também para garantir a segurança da família. É preciso jogar fora todos os medicamentos vencidos e comprimidos fora do blister, ainda que você saiba para que servem. Remédios líquidos e cremosos devem ser descartados caso mudem de cor ou textura.

Tente separar os remédios de uso externo e interno, colocando-os em recipientes diferentes. Mantenha os medicamentos em sua caixa original para evitar o risco de, por erro, tomar algo de que não precisa ou que já passou da data de validade.

2. Não usar remédios mais modernos

Nos acostumamos a pensar que os medicamentos são o que há de mais moderno. Só que, com o passar do tempo, muitos foram substituídos por outros mais atuais, ou então ganharam embalagens mais cômodas de usar e seguras. Algo especialmente importante quando se tem crianças em casa. Por exemplo, antes de aplicar uma injeção, o hábito era aplicar álcool com ajuda de um pedaço de algodão, para desinfetar. Mas hoje existem toalhinhas com o mesmo propósito.

A maioria das pessoas toma o mesmo remédio durante anos, sem sequer saber que existem no mercado outras alternativas mais eficazes. Para ter certeza sobre os medicamentos usados, esteja sempre em contato com seu médico.

1. Não seguir regras de armazenamento

Todas as drágeas, pós, cápsulas, curativos e bandagens absorvem umidade, por isso acabam estragando. Nunca guarde esse tipo de produtos no banheiro, ainda que dentro de um móvel com portas bem fechadas. A cozinha também não é a melhor ideia: as constantes mudanças na temperatura e umidade causam um efeito negativo nos medicamentos, principalmente quando os móveis ficam perto de fornos, micro-ondas, chaleiras e aquecedores. É melhor deixar tudo no quarto ou na sala.

No caso de remédios que devem ser guardados sob temperatura ambiente, esta não deve superar os 25 graus. Se o local tiver uma temperatura mais alta, o tempo de validade da substância diminui drasticamente.

Bônus

1. Vale a pena ter na farmacinha de sua casa o seguinte: medicamentos anti-inflamatórios, analgésicos (aspirina, ibuprofeno ou diclofenaco), anti-histamínicos e antidiarreicos. Medicamentos para equilibrar os líquidos no corpo e sais para casos de diarreias e vômitos. Da mesma forma é preciso ter antissépticos, curativos ou algo contra queimaduras. Demais remédios devem ser adquiridos quando necessário.

2. Feche bem os frascos. Os medicamentos podem absorver substâncias voláteis, evaporar ou sofrer oxigenação em contato com o ar. Os remédios corantes, com cheiro forte e voláteis (iodo, permanganato, solução verde brilhante, soluções à base de álcool, peróxido) devem ser mantidos em um lugar separado. O permanganato deve ser colocado em frascos de vidro.

3. Caso tenha recebido a prescrição de um medicamento cuja dose exigirá que você quebre um comprimido, use cortadores especiais. Eles são encontrados em qualquer farmácia e custam pouco. Com esses cortadores, fica mais fácil cortar o remédio e ingerir a dose exata. Lembre-se que cápsulas revestidas não podem ser divididas. Afinal, a cobertura protege o remédio contra a dissolução no estômado (para medicamentos que devem agir só no intestino).

Imagem de capa depositphotos