Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

13 Razões pelas quais aparecem manchas escuras na pele

Rugas e imperfeições na pele são uma dor de cabeça para muita gente. Só que, às vezes, há fatores que não são levados em consideração e acredita-se que as mudanças na pele se devam apenas à idade. Manchas podem aparecer por diferentes razões. Além do envelhecimento, elas também podem surgir como resultado da acne, da exposição ao sol, da falta de vitaminas, de alterações nos hormônios, de doenças de pele ou como reação a medicamentos e cosméticos.

Hoje, o Incrível.club traz para você uma lista de ações habituais que devem ser evitadas para prevenir alterações na pigmentação.

1. Expor-se ao sol sem usar protetor

Muitas pessoas acreditam que o protetor solar só é recomendado quando vamos à praia, mas, na verdade, é importante que o produto seja usado diariamente para proteger a pele da exposição ao sol, independentemente de estar exposta por curtos períodos à radiação ultravioleta (UV). O protetor deve ser catalogado como de “amplo espectro” para garantir proteção adequada.

Um estudo descobriu que o uso regular desse produto reduz a incidência de melanoma — o tipo mais grave de câncer de pele. Outras pesquisas afirmam que seu uso não causa insuficiência de vitamina D ou danos à saúde. Recomenda-se evitar o banho de sol entre 10 e 16 horas, porque nesse período os raios solares são mais fortes.

2. Espremer as espinhas e aplicar pasta de dentes ou cremes sem consultar um especialista

Um estudo mostrou que alguns alimentos podem aumentar o surgimento da acne. Na adolescência e na fase adulta, nossa pele é invadida por imperfeições. Então, é inevitável ter espinhas. Quando elas aparecem no rosto, é quase impossível evitar apertá-las com os dedos ou aplicar remédios caseiros para fazê-las desaparecer.

Ao apertar uma espinha, a área fica inflamada e as fibras elásticas de colágeno se desgastam. Isso pode resultar no aparecimento de cicatrizes ou manchas na pele e até em pequenos furos. Dermatologistas recomendam não apertá-las ou manipulá-las com as mãos. Recomendam, ainda, evitar o uso de pasta de dentes, pois é um produto que não foi feito para uso no rosto e que pode causar efeitos colaterais.

3. Depilar-se de maneira incorreta e sem os cuidados necessários

Alguns erros associados à depilação podem fazer com que a pele fique avermelhada e, mais tarde, manchada. Antes e depois do procedimento, é importante não se expor ao sol, pois isso aumenta a possibilidade de aparecimento de manchas. Por outro lado, é necessário manter a pele hidratada, já que a maioria dos métodos de depilação causa danos. E, se o procedimento for incorreto, podem ocorrer reações desfavoráveis ​​na área tratada.

4. Escolher mal os cosméticos

Pesquisas indicam que alguns cosméticos podem danificar a pele. Os problemas podem variar de simples erupções cutâneas a reações alérgicas. As alterações podem ser percebidas imediatamente após a aplicação de um produto ou depois de anos de uso sem que qualquer consequência tenha sido notada até então. Isso depende de vários fatores relacionados às características da maquiagem ou do cosmético e da pele da pessoa que os utiliza.

Os produtos de beleza com maior probabilidade de causar reações cutâneas incluem sabonetes de banho, maquiagens para os olhos, hidratantes, shampoos, batons de longa duração, esmaltes e bases de unhas. Felizmente, no mercado existem muitos produtos que podem evitar esses problemas. É aconselhável consultar um dermatologista para que ele possa indicar os tipos de cosméticos que são adequados à sua pele.

5. Não tomar precauções contra a contaminação

Um estudo mostrou que a poluição do ar influencia a saúde da pele porque aumenta o estresse oxidativo que neutraliza as defesas antioxidantes. Isso leva ao envelhecimento da pele e a condições inflamatórias ou alérgicas, como dermatite, acne e câncer de pele.

Os pesquisadores descobriram que a poluição do ar está significativamente associada à presença de rugas e manchas pigmentadas. Entre os principais fatores nocivos à pele, estão a radiação solar ultravioleta e a fumaça do cigarro.

Algumas estratégias para combater esses problemas incluem usar menos o carro e recorrer ao transporte público, dar preferência à gasolina com baixo teor de enxofre e adotar hábitos ecologicamente corretos. Por outro lado, recomenda-se usar protetor solar com a maior frequência possível e evitar fumar em áreas públicas e em regiões próximas de indústrias. Pessoas com alto risco ocupacional, como policiais de trânsito e varredores de rua, devem usar máscaras no trabalho.

6. Fumar

O tabaco não só afeta apenas quem o consome, como causa danos a quem fuma passivamente. Um estudo descobriu que o cigarro também está associado a muitas condições dermatológicas que incluem a má cicatrização de feridas e o envelhecimento prematuro da pele — já que o extrato do fumo prejudica a produção de colágeno. Isso ocorre porque a fumaça é tóxica para as células e pode ser um fator que contribui para o envelhecimento acelerado.

Outras pesquisas indicam que fumar produz alterações na pele, tornando-a áspera, ressecada e menos elástica. O cigarro também causa desidratação, manchas amarelas nos dedos, dificuldade na cicatrização e mudanças na estética bucal. As pontas dos dedos e os arredores da boca ficam acinzentados, o que não combina com o resto da pele.

A nicotina do cigarro contrai os vasos sanguíneos nas camadas superficiais da pele, fazendo com que o sangue flua com dificuldade (ele recebe menos oxigênio e outros nutrientes necessários).

7. Consumir bebidas alcóolicas

consumo de álcool desidrata a pele e elimina nutrientes. Isso pode fazer com que sua pele pareça cansada e sem brilho. Um estudo descobriu que o álcool também faz com que os vasos sanguíneos na superfície da pele se dilatem. No caso de pessoas que consomem álcool com menos frequência, pode provocar uma vermelhidão temporária na pele. No entanto, com o tempo, os capilares podem se dilatar até o ponto de se quebrarem, criando veias vermelhas visíveis, especialmente no rosto. Além disso, devido ao seu alto teor de açúcar, algumas bebidas alcoólicas podem afetar os casos de acne e rosácea na pele.

8. Passar perfume e se expor ao sol

Alguns perfumes podem conter, entre seus componentes, álcool e outras substâncias fototóxicas. Elas podem provocar reações e abrir o caminho para manchas na pele se expostas ao sol. Essas manchas podem permanecer um bom tempo na pele, mas geralmente desaparecem sem tratamento. Esse tipo de reação aumenta com a sudorese da pele, a umidade e o vento.

9. Usar desodorante

As manchas nas axilas também podem ocorrer ao raspá-las com frequência ou ao usar produtos que contenham álcool e irritem a pele, causando inflamação da área. Um estudo mostrou que desodorantes estão entre os produtos mais comuns que causam alergia.

É importante que, antes e depois de raspar, você não aplique nenhum produto, especialmente com álcool, para permitir que os poros se fechem. Da mesma forma, se você sabe que vai tomar sol por muito tempo e sua pele ficará exposta, é melhor evitar usar esse tipo de produto. Se não quiser ficar sem o desodorante, você pode passar óleo de coco ou aloe vera.

10. Abusar dos banhos de água quente

Tomar banho com água quente é, para muitos, uma forma de relaxar. E, claro, no frio, é muito mais fácil tomar uma ducha quentinha do que entrar debaixo de um chuveiro frio. Dermatologistas avaliam que altas temperaturas podem prejudicar a pele, fazendo com que resseque, coce, inflame e irrite em algumas partes do corpo.

A melhor forma de tomar um banho é com água morna, usando shampoos e sabonetes suaves. Após o banho, é importante secar a pele e aplicar hidratante em vez de esfregar com a toalha.

11. Não hidratar toda a pele

Estudos e testes mostraram que o creme hidratante pode aliviar a irritação e o ressecamento da pele, pois contém lipídios e ingredientes com propriedades suavizantes e hidratantes. Recomenda-se usar cremes feitos para o dia (protetores solares) naquelas situações em que você vai se expor ao sol e, à noite, claro, aplicar cremes específicos para esse período. Dessa forma, a pele ficará revigorada e cheia de vida, sem manchas de qualquer tipo.

12. Tomar anticoncepcionais e antibióticos

Alguns antibióticos ou medicamentos contraceptivos podem afetar a pele. Existe a possibilidade de haver reações de hiperpigmentação pelo uso desses produtos — causadas por mudanças nos hormônios que ocorrem quando os consumimos. Por outro lado, os medicamentos podem reagir à exposição solar e gerar compostos tóxicos que desencadeiam o aparecimento de manchas.

13. Manchas que podem ser notadas em pessoas com diabete

Manchas escuras conhecidas como “Acanthosis Nigricans”, aparecem nas dobras cutâneas de pessoas que sofrem de diabetes mellitus tipo 2 ou são resistentes à insulina. Elas também podem estar associadas à obesidade. São mais frequentes nas axilas, virilhas, nuca e sob o peito. Em alguns casos, o problema pode desaparecer com o tempo e com tratamento. Existem alguns cremes que podem “apagar” as manchas que não estão desenvolvidas. Por outro lado, uma dieta saudável e exercícios podem favorecer pessoas que sofrem com isso. Consulte um médico se você descobrir algumas dessas manchas no seu corpo.

Quantos dos fatores que mostramos correspondem à sua rotina? Que experiência você teve com manchas? Conte para a gente nos comentários.

Ilustradora Natalia Tylosova exclusivo para Incrível.club