Por que comemos bolo e assopramos velas nos aniversários

Comer bolo e assoprar velas no aniversário é uma tradição muito forte e que pode ser encontrada em diferentes partes do mundo. Essa forma de comemoração é muito comum e se repete a cada 12 meses, mas sua origem tem diferentes explicações. Você já se perguntou por que colocamos velas sobre o bolo e qual é o significado de apagá-las com um forte assopro?

O Incrível.club decidiu pesquisar um pouco sobre as origens desse costume. Confira agora mesmo e entenda por que comemoramos os aniversários com bolo e velas.

origem exata do ritual de assoprar as velas é desconhecida, no entanto existem diferentes teorias que apontam o motivo da tradição. Uma delas é atribuída a um culto à deusa Ártemis, da Grécia Antiga, como forma de celebrar o seu nascimento.

bolo de aniversário que conhecemos hoje faz parte das comemorações de aniversário no Ocidente desde meados do século XIX. Apesar das mudanças que acontecem com o tempo e das variações que ocorrem de região para região, as celebrações têm um formato parecido e que consiste no que a maioria de nós já conhece: um bolo doce com velas em cima. A quantidade de velas representa os anos vividos e o aniversariante deve assoprar as velas e fazer um pedido.

No passado, os bolos doces eram preparados para o aniversário de alguns tipos de pessoas

Preparar bolos de aniversário já era costume na Roma Antiga, e os bolos sempre tinham o mesmo formato circular e plano. No século XV, as padarias na Alemanha começaram a fabricar tortas de apenas uma camada para os aniversários de seus clientes.

Durante o século XVII, surgiram os bolos com mais de uma camada e cobertura de glacê, normalmente preparados por famílias com maior poder aquisitivo. Após a revolução industrial, o costume chegou a todas as classes sociais, e em meados do século XIX passou a formar parte da cultura de vários países europeus.

Assoprar as velas em aniversários era exclusivo para heróis gregos

No Egito Antigo, as festas de aniversário eram exclusivas da realeza, um costume que passou aos gregos que comemoravam os aniversários dos deuses. A comemoração mais popular era da deusa Ártemis, e ela se dava da seguinte forma: cada sexto dia do mês era preparado um bolo decorado com velas. Algum tempo depois, o ritual passou a formar parte das comemorações de aniversário de heróis, nobres e aristocratas gregos.

ritual das velas acesas pode ser associado a certos tipos de rituais antigos, que normalmente envolviam o desejo de eliminar a presença de espíritos malignos. As pessoas pensavam que esses espíritos vinham visitar os aniversariantes e o barulho da comemoração era uma forma de assustá-los.

Na Alemanha acreditava-se que, nas festas de aniversários, os adultos protegiam as crianças de espíritos malignos

Na Alemanha do século XVIII o costume de assoprar velas em aniversários infantis ficou mais popular. Quando uma criança fazia aniversário, ela era levada a um auditório para que os adultos pudessem protegê-la de espíritos malignos.

Segundo um documento escrito por Johann Wolfgang von Goethe, o número de velas representava a idade do aniversariante.

Em um livro de 1753, há uma descrição da forma como as velas eram colocadas no bolo: elas deviam estar dispostas na parte de fora, todas acesas e cercando uma única vela colocada no centro.

Apagar a vela é um hábito que carrega outras crenças e outros costumes

Os suíços, em 1883, não assopravam todas as velas de uma vez; para eles, elas deveriam ser assopradas uma por uma.

Atualmente, em países como Reino Unido, Austrália, Estados Unidos e Brasil, existe a tradição de fazer um pedido antes de assoprar as velas. Algumas pessoas pensam que o desejo só se realiza se todas as velas forem apagadas de uma vez.

O formato dos bolos varia muito hoje em dia. Na China, por exemplo, as pessoas preparam um bolo à base de farinha de trigo com recheio. Na Coreia do Sul, o bolo dá lugar a uma sopa de algas. Já na Holanda, é habitual preparar uma torta de frutas com creme chantilly.

Qual é o tipo de comemoração que acontece na sua família? E o que você achou da história dessas tradições? Compartilhe a sua opinião nos comentário.

Compartilhar este artigo