18 Regras de etiqueta à mesa que estrangeiros custam a entender — no Japão, você pode fazer barulho

Na hora de sentar para fazer qualquer refeição ao longo do dia, cada país tem os seus costumes. Em alguns lugares, tais normas são profundamente arraigadas, e não as seguir costuma ser visto como um comportamento mal-educado. Já em outros pontos do mundo, os moradores seguem hábitos simples que qualquer estrangeiro pode deixar de lado sem correr o risco de cometer uma grande gafe.

Nunca se sabe quando teremos a chance de viajar para outro país, com uma cultura gastronômica diferente. Por isso, o Incrível.club preparou uma lista com hábitos presentes em determinados pontos do mundo. Continue lendo e confira em que país você se encaixaria melhor!

  • No Japão, ninguém deve enfiar os hashis, aqueles palitos de madeira usados para comer, na tigela de arroz. Além disso, os nativos não têm o hábito de passar peças de sushi de um palito para outro, pois o costume é associado a rituais realizados em funerais, e é de péssimo gosto executá-los à mesa.
  • Na Itália, os clientes não podem simplesmente pedir uma massa “x” com um molho “y”, pois cada massa tem um conjunto de molhos para ser combinada. Por exemplo, espaguete não tem força suficiente para resistir a um ragu de carne à bolonhesa. Para tal caso, o tagliatelle seria uma melhor opção.
  • Na França, as mãos não podem ficar em qualquer lugar durante as refeições. O correto é manter as mãos sobre a mesa, com os cotovelos escondidos.
  • O barulho feito ao comer pode ser visto com um problema em diversos pontos do mundo, mas não no Japão. Lá, quando as pessoas tomam sopa com macarrão, fazem muito barulho ao sugar a massa. Trata-se de um costume que parece ter origem nas classes sociais mais baixas, pois os indivíduos comiam de pé e rapidamente, engolindo a refeição em um piscar de olhos. Ademais, especialistas garantem que a técnica aumenta o sabor dos alimentos na hora de comer.
  • Em certos países do Oriente Médio, o mais normal é comer com as mãos, mas existe algo a ser levado em consideração antes das refeições: é preciso usar a mão direita, já que a esquerda é associada a tarefas de limpeza, sendo considerada “impura”.
  • Na Inglaterra, país famoso por ter a “hora do chá”, certas atitudes são contraindicadas para aquele momento do dia. Por exemplo, fazer barulho com a colher ao mexer a bebida, ou deixar a colher dentro da xícara. Para esse último é que serve o prato.
  • Na Tanzânia, a falta de pontualidade não é vista como coisa grave. Se as pessoas marcaram determinado horário para comer, é totalmente normal chegar um pouco depois. Isso porque, no país, a questão do tempo não tem tanta importância quanto ocorre em outros locais. Lá, esperar não causa impaciência, tratando-se mais de uma forma de viver.
  • Na Noruega, agradecer ao anfitrião pela refeição é visto como um gesto agradável. Geralmente, eles usam a frase “takk for maten”, que significa “obrigado pela comida”.
  • Na Tailândia, os nativos usam uma colher e um garfo para comer. O garfo serve para cortar ou acompanhar, enquanto a colher é usada para levar o alimento à boca. O garfo, por sua vez, não deve ser levado à boca, pois no país, ele é usado como se fosse a faca.
  • Na Espanha, quando um ano novo está prestes a começar, existe o hábito de comer 12 uvas.
  • Na Itália, os laticínios costumam ser consumidos só de manhã, por serem considerados “pesados”. Logo, quando a pessoa quer um pouco de cafeína depois do almoço, costuma pedir um expresso, e não café com leite.
  • Na Japão, se um anfitrião oferece algo na época de troca de presentes, rejeitar o mimo uma vez e de forma agradável é visto como sinal de boa educação. Caso o presente volte a ser oferecido, pode ser aceito na segunda oportunidade.
  • Em Portugal, se os recipientes para sal e pimenta não estiverem à mesa, pedir os temperos para dar um sabor a mais aos pratos é visto como ofensa ao cozinheiro. Os portugueses consideram que, indiretamente, a pessoa está dizendo que a comida está “mal temperada”.
  • No Marrocos, existe um costume bem peculiar para mostrar ao cozinheiro que a comida estava saborosa: arrotar depois de comer. Caso a pessoa não o faça, passará por mal-educada.
  • Na Tailândia, todos os pratos são compartilhados, então eles são preparados e servidos de maneira que possam ser consumidos em grupo. Além disso, no início das refeições, o ideal é esperar que a pessoa de mais alta posição à mesa comece. Se ninguém estiver se alimentando, o mais educado é esperar que alguém comece a fazê-lo.
  • Na França, cortar alface com faca não é algo bem-visto, e por uma razão histórica. Antes, os talheres costumavam ser de prata, metal que oxida ao entrar em contato com o vinagre. Apesar de hoje em dia eles serem feitos de outros materiais, o hábito segue em voga. Assim, para cortar alface, o melhor é usar uma tesoura ou as mãos.
  • Na China, comer todo o prato é visto como sinal de “comida em quantidade insuficiente”. Assim, para fazer uma média com o anfitrião, espera-se que o convidado deixe um pouco de comida.
  • Diferentemente da China, na Índia o bem-visto é esvaziar o prato, pois deixar um pouco de comida nele é compreendido como um desperdício.

Sua família também tem algum hábito à mesa que parece estranho sob os olhos de outras pessoas? Você tem alguma mania particular na hora de comer? Comente!

Compartilhar este artigo