14 Macetes culinários japoneses que fariam valer a pena uma indicação ao Prêmio Nobel

Todo mundo que precisa cozinhar lida com essa tarefa de formas diferentes. Enquanto para uns é um dever enfadonho, para outros é uma maneira de demonstrar o carinho pela família, ou até de expressar a sua criatividade. Mas o objetivo final é sempre o mesmo para a maioria: preparar refeições saborosas e saudáveis ​​com o menor custo possível. E o conhecimento de alguns truques na cozinha ajuda nessa atividade.

Nós, do Incrível.club, conhecemos alguns macetes culinários seguidos pelos japoneses, e chegamos à conclusão que temos muito a aprender com eles. Confira!

Seguem um método específico de lavagem do arroz

Os japoneses usam o termo togu para descrever o que chamamos de lavagem do arroz. Seu significado é semelhante ao da palavra “afiar”. O objetivo é remover a película que permanece nos grãos mesmo depois de serem processados. De acordo com os japoneses, essa película estraga significativamente o sabor do arroz, e ela não é facilmente removida no enxágue.

método de limpeza é o seguinte: em um recipiente, adicione água ao arroz, mexa com a mão e escorra o líquido. Repita três vezes essa etapa. Em seguida, dobre os dedos da mão como se estivesse segurando uma bola de tênis, mergulhe-a no arroz úmido e esfregue vigorosamente os grãos. Lave e escorra o arroz novamente. Repita esse mesmo processo até que a água do enxágue saia limpa.

Usam a água do arroz para outras finalidades

Os habitantes da Terra do Sol Nascente também têm o costume de usar a água em que o arroz foi lavado para cozinhar vegetais, como berinjelas ou rabanetes. Para se livrar do sabor amargo, os vegetais devem ser mergulhados nesse líquido amiláceo por cerca de dez minutos, e depois podem ser cozidos.

Preparam pratos com sabor umami

Os chefs japoneses dizem que existem cinco sabores: doce, amargo, azedo, salgado e o misterioso umami, que se traduz literalmente como “saboroso”. Para que um prato seja delicioso, é necessário adicionar um ingrediente rico em umami, e isso unirá os sabores dos outros ingredientes. Isso inclui cogumelos secos, molho de soja, missô e vegetais fermentados.

Costumam seguir a regra das cinco cores

Os hot rolls podem ser uma refeição bem balanceada, se escolhidos corretamente. Na opinião dos japoneses, para suprir o corpo com todos os elementos e minerais necessários, não é necessário recorrer ao estudo da composição química dos alimentos ao compor uma dieta. Os adeptos da alimentação saudável no Japão consomem refeições que consistem em componentes de cinco cores: branco, preto, vermelho, amarelo e verde. Por exemplo, uma refeição que atenda a essa regra pode ser feita com arroz, sementes de gergelim preto, peixe vermelho, cenoura e pepino. Os hot rolls também podem ser escolhidos com base na regra das cinco cores.

Secam os legumes como método de conserva

Enquanto em muitos países é costume preservar a colheita excedente fazendo conservas, no Japão, os japoneses preferem secá-la. Eles acreditam que isso aumenta a concentração de nutrientes nos vegetais e melhora seu umami. Os legumes secos são posteriormente fritos, refogados ou grelhados.

Para secá-los, basta cortar todos os vegetais que se tem em casa: cenoura, berinjela, abóbora. Em seguida, espalhe-os em alguma superfície em uma área bem ventilada e seque-os por 1-2 dias.

Reaproveitam as sobras de arroz

Os japoneses não têm costume de jogar as sobras de arroz no lixo. Eles geralmente embrulham o arroz restante em plástico e o colocam no freezer, para depois aquecê-lo no micro-ondas quando forem consumi-lo. Se o arroz pronto ficar parado por muito tempo e endurecer, os japoneses podem umedecê-lo, adicionar amido e enrolá-lo em bolas. Em seguida, cozinham e o servem com um molho.

Conhecem truques para não se queimar ao cozinhar

Alguns pratos requerem o manuseio de alimentos quentes. Por exemplo, os onigiri (bolinhos de arroz japoneses) costumam ser feitos de arroz recém-cozido. Para não queimar as mãos, é costume primeiro bater as palmas com bastante força e só depois começar a formar os onigiri. O desconforto da palmada envia um sinal de dor ao cérebro (um tipo de aviso prévio), fazendo com que a temperatura quente do alimento seja menos sentida.

Gostam de comer ovos crus

Se olhar as redes sociais de chefs japoneses, frequentemente verá como eles quebram ovos crus sobre pratos (como arroz, macarrão ou salada). No Japão, existe um controle de qualidade muito rigoroso dos ovos que vão parar nas prateleiras dos mercados e, por isso, os japoneses normalmente não temem a salmonela. Eles evitam o cozimento do ovo pois acreditam que, dessa forma, uma proporção significativa de seus nutrientes é perdida.

Testam os tomates antes de consumi-los

Ao escolhermos os tomates, temos o hábito de apenas apalpar os frutos mais atraentes. Mas muitos japoneses vão além e costumam fazer um teste em casa. Eles escolhem os melhores tomates e os colocam em um recipiente com água: se afundarem, significa que são saborosos e podem ser consumidos cru. Se flutuarem, é melhor usá-los para preparar molhos. Isso se deve à quantidade de açúcar no fruto. Se seu teor for de 6%, o índice de densidade do tomate é maior do que o da água e ele afunda. Quanto mais açúcar, mais saboroso é o tomate.

Sabem o que fazer com pão queimado

Se a torrada queimar, muitos japoneses não a jogam fora. Afinal, ela pode ser reaproveitada como um excelente aromatizador. Alguns moem as fatias queimadas, embrulham em gaze e colocam na geladeira ou em caixas de sapato.

Guardam o limão cortado de uma maneira especial

Envolver um limão cortado em um plástico não evitará que ele resseque, pois isso não impede a evaporação da umidade. Mas no Japão encontraram uma solução: colocar o limão, com a parte cortada para baixo, em um copo com água e sem encostar no líquido. Isso faz com que a fruta permaneça úmida e fresca.

Conhecem um jeito conveniente de armazenar o macarrão

Para proteger o macarrão da umidade, muitos japoneses o armazenam em latas de chips ou garrafas plásticas com tampa. A garrafa, além de manter a massa seca, também ajuda a medir a quantidade necessária de macarrão para cozinhar. Pelo gargalo passa exatamente a mesma quantidade de macarrão necessária para uma porção.

Criaram uma camada adstringente para a frigideira

Um internauta do Japão inventou um engenhoso truque na cozinha que recebeu milhares de reações de seus conterrâneos. Tudo começou com o fato de que ele colocou um dispositivo especial (para suplementação) de ferro em seu puer (chá envelhecido). Em certo momento, ele percebeu que a adstringência do chá aderiu ao ferro.

Aproveitando essa propriedade, ele preparou o chá diretamente na frigideira de ferro para criar um tipo de camada adstringente. Segundo o internauta, após esse procedimento, passou a fritar na frigideira sem usar óleo.

Preparam panquecas deliciosas

Nos últimos anos, cresceu uma mania por panquecas no Japão. Além disso, os habitantes locais inventaram uma panqueca macia e arejada que lembra um suflê. Essa sobremesa já conquistou toda a internet com sua aparência apetitosa. O segredo é que, para essas panquecas, as claras são separadas das gemas e batidas até ficarem bem firmes.

Quais desses truques e dessas técnicas você gostaria de aderir? Comente!

Imagem de capa Depositphotos.com
Compartilhar este artigo