20 Objetos que devemos limpar com frequência muito maior do que pensávamos

Certas pessoas são apaixonadas por limpeza, estando sempre dispostas a, diante de qualquer sujeirinha, aparecer com esponja e sabão para deixar tudo brilhando novamente. Por outro lado, há quem seja um pouco mais relaxado e não se preocupe tanto com os mínimos detalhes. O segredo para uma boa limpeza está na frequência com que realizamos a manutenção nos ambientes e objetos. Assim, podemos adotar hábitos que possibilitem aproveitar melhor o nosso tempo e ter a certeza de que tudo estará sempre impecável.

O Incrível.club preparou uma pequena lista com objetos que precisam ser limpos com mais frequência. Do contrário, podemos acabar colocando nossa própria saúde em risco.

1. Tábua de cortar

Sem a limpeza correta, esse utensílio, presente em praticamente todas as cozinhas, pode colocar todos os membros da família em risco. O mais recomendável é contar com uma tábua diferente para cada tipo de alimento, usando detergente bactericida e água quente na higienização e retirada dos resíduos de comida. É importante ainda secar bem as tábuas para evitar a umidade, que favorece a proliferação de micro-organismos.

No entanto, além da limpeza superficial, é preciso manter rotinas de desinfecção profunda usando sal e limão, preferencialmente. Desta forma, é possível eliminar todas as bactérias que porventura ainda estejam na superfície da tábua. É preciso deixar os ingredientes agindo por cinco minutos, retirando o excesso com uma toalha de papel depois desse tempo. E não se esqueça de trocar as tábuas quando apresentarem imperfeições ou rachaduras que dificultam a limpeza.

2. Utensílios de madeira

A madeira é um material muito poroso, que permite a absorção de muitas substâncias. Restos de comida e umidade estão entre elas. Por isso, a limpeza de tais utensílios precisa ser feita imediatamente após seu uso, e eles precisam estar bem secos no momento em que serão guardados. Assim, podemos evitar uma posterior contaminação dos alimentos e a proliferação de bactérias.

3. Vaso sanitário e área do piso em volta dele

O banheiro, mais especificamente o vaso sanitário, é um grande anfitrião para a bactéria Escherichia coli, que pode ser encontrada a até dois metros de distância do vaso e da pia. Diante disso, o recomendado é fazer uma limpeza profunda semanalmente para combater o problema e evitar a proliferação do micro-organismo.

Além disso, banheiras precisam ser higienizadas a cada 15 dias ou semanalmente, caso seja utilizada com muita frequência.

4. Cortina do banheiro

O mofo é o maior inimigo dos banheiros, já que sua presença é comum por conta da umidade, pouca ventilação e mudanças de temperatura. Por esse motivo, a cortina do chuveiro precisa ser enxaguada após cada uso, de modo a remover todo e qualquer resíduo de sabão. Já o banheiro deve ser mantido ventilado para acabar com a umidade e a condensação de vapor.

Entretanto, além da limpeza rotineira após o banho, é preciso fazer uma higienização profunda e semanal nas cortinas, lavando-as na máquina com um pouco de bicarbonato de sódio e sabão (sem deixar de verificar previamente as instruções do fabricante) em um ciclo para roupas delicadas e com água em baixa temperatura. Em seguida, as cortinas precisam secar sem ficarem expostas diretamente à luz solar.

5. Toalhas

Devido ao uso, as toalhas de banho abrigam muitas bactérias, suor e pele morta. Por isso, quando não secam completamente, elas acabam virando um ecossistema perfeito para o surgimento de germes. Consequentemente, o ideal é trocar de toalhas a cada dois dias e lavá-las imediatamente, preferencialmente com a água em alta temperatura, usando um sabão que contenha oxigênio ativo, para que a substância penetre nos tecidos e acabe com as bactérias. Além disso, é preciso evitar misturar as toalhas com as roupas de uso comum.

6. Lençóis

Os lençóis absorvem a transpiração e a oleosidade liberada pela pele durante o sono. Isso sem falar no acúmulo de poeira do ambiente, que contribui para o surgimento de caspa e acne. Por isso, os lençóis devem ser trocados uma vez por semana, para garantir que a cama esteja sempre limpa e livre de micro-organismos.

7. Panos de limpeza e esponjas de cozinha

Já se sabe que as áreas onde alimentos são guardados ou preparados costumam ter mais bactérias e contaminação fecal que outros lugares da casa. Mais de 75% das esponjas e dos panos de prato tendem a ter a presença de Salmonela, E. coli e matéria fecal, em comparação com os 9% encontrados nas torneiras do banheiro.

Contudo, tais objetos não requerem nenhum tratamento especial. Basta deixar as esponjas em água fervente (durante dois minutos) ou colocá-las a cada dois dias no micro-ondas, quando elas ainda estiverem úmidas (também por dois minutos). Isso é suficiente para eliminar as bactérias presentes na superfície desses objetos, e ao adotar a técnica, você só precisará substituí-los quando eles se deteriorarem. Quanto aos panos usados na cozinha, é recomendado lavá-los semanalmente, a menos que tenham entrado em contato com alguma carne crua. Nesses casos, precisam ser lavados de imediato.

8. Travesseiros

Segundo Natalie Barret, supervisora ​​de limpeza e especialista da empresa Nifty Cleaning Services, travesseiros precisam ser lavados entre três e seis meses. Dependendo da transpiração de cada pessoa, a recomendação é que os travesseiros sejam lavados duas vezes ao ano, mas em casos especiais, uma limpeza mais frequente pode ser necessária.

Alex Savy, profissional certificado em ciências do sono e fundador da SleepingOcean, explica que os travesseiros são portadores de suor, pele morta, poeira e germes, atraindo os ácaros que causam alergias, irritações oculares, erupções cutâneas e um maior risco de desenvolver asma.

9. Geladeira

A geladeira abriga alimentos de todo tipo, e os itens passam a dividir um pequeno ecossistema. Sendo assim, é necessário organizar os alimentos conforme o tipo, de modo a evitar a contaminação cruzada. Estima-se que uma limpeza profunda quatro vezes por ano e manutenções semanais sejam suficientes para preservar o espaço higienizado.

10. Fogão

Philip Tierno Jr., professor clínico de microbiologia e patologia na Faculdade de Medicina da Universidade de Nova York, assegura que “os fogões costumam ficar descuidados. Alimentos que são derramados ou salpicados sem que uma limpeza imediata seja feita, logo em seguida podem virar o meio ideal para o crescimento de micróbios”.

Por outro lado, Melissa Maker, especialista em limpeza, considera que os fogões devem ser limpos após cada uso, utilizando-se um produto limpador universal e um pano de microfibra. Já o forno precisa passar por higienização a cada três meses, quando houver alimentos queimados dentro dele, ou na hipótese da liberação de fumaça durante o uso.

11. Lavadora de roupas

Em um estudo, ficou demonstrado que as lavadoras de roupa convencionais não estão isentas de abrigar germes, especialmente quando nenhum alvejante é utilizado durante as lavagens. Assim, o ideal é realizar um ciclo sem roupas, semanal ou quinzenalmente, só com água e uma xícara de cloro. Caso o eletrodoméstico conte com um ciclo especial contra micro-organismos, é preciso seguir as recomendações do fabricante.

12. Pias

O acúmulo de restos de comida e de detergente forma camadas de sujeira que podem acabar fazendo da pia o ambiente propício para o desenvolvimento de bactérias e fungos, em decorrência do contato constante com alimentos e resíduos na superfície. Para evitar o problema, é necessário limpar a pia semanalmente com uma solução suave de cloro.

13. Borrachas da geladeira

Esse acessório das geladeiras, apesar de ficar geralmente esquecido, abriga a maior quantidade da umidade e da sujeira. As borrachas são necessárias para que a geladeira permaneça hermeticamente fechada e conserve o frio interno. Quando não passam por limpezas periódicas, elas podem afetar o armazenamento correto dos alimentos, fazendo com que estraguem antes do tempo. Logo, é recomendável limpar as borrachas duas vezes por ano com uma escova de dentes e creme dental, retirando o excesso com um pano úmido e deixando secar.

14. Liquidifcador

Outro utensílio participante da contaminação cruzada de alimentos é o liquidificador. Resíduos de ingredientes batidos no aparelho podem ficar presos nele, o que exige uma boa limpeza com detergente antibacteriano e água, sempre que o eletrodoméstico for usado. Além disso, após três ou quatro usos, é bom fazer uma limpeza profunda com vinagre, água e detergente para combater os maus odores. A mistura precisa ser batida durante cinco minutos e, em seguida, deve-se enxaguar o aparelho e esperar até que seque completamente.

15. Escova de cabelo

Segundo a Academia Americana de Dermatologia, perdemos diariamente entre 50 e 100 fios de cabelo, e boa parte deles acaba enroscada na escova. Por tal motivo, a limpeza inconstante do objeto pode fazer dele um foco de sujeira, bactérias e fungos.

Não há regra quando o assunto é a higienização da escova, pois, tudo vai depender do uso e dos produtos aplicados no cabelo. Se você usa cremes ou spray fixador para as madeixas, fazer uma limpeza semanal será suficiente. Mas caso não utilize nenhum produto, a limpeza pode ser realizada a cada duas ou três semanas. Vale a pena lembrar também que o ideal é retirar os fios enroscados nas cerdas a cada dois dias.

16. Celular e chaves

Esses objetos indispensáveis nos acompanham não importa onde estejamos, costumam ser deixados sobre as mais diversas superfícies, e é até comum que outras pessoas também tenham contato com eles. Chaves e telefones celulares transformam suas mãos em verdadeiros hospedeiros de germes, fazendo com que os micro-organismos cheguem a qualquer lugar que você toque, incluindo rosto e boca.

Por isso, é bom desinfetar celulares e chaves ao menos uma vez por dia, ou após cada uso.

17. Depósito de café

As cafeteiras são itens indispensáveis na casa dos apaixonados por café, mas a limpeza dos filtros e depósitos é um hábito necessário à preservação da saúde. Portanto, é preciso limpar a cafeteira após cada utilização, retirando os filtros e limpando o recipiente de preparo. Deve-se ainda promover uma limpeza de descalcificação a cada três meses para remover os resíduos das partes internas.

18. Recipientes para ração dos pets

Os bichinhos fazem a alegria de toda casa, além de garantirem uma companhia fiel. Mas é fundamental ter em mente que os pets podem transmitir diversas doenças aos humanos, o que exige um cuidado com a limpeza dos objetos por eles usados, como os comedouros (lavar após cada refeição), recipientes de água (a cada dois dias), brinquedos (segundo as especificações de higiene de cada um deles), assim como de qualquer elemento com que o animal tenha contato frequentemente.

19. Carpetes e tapetes

Esses elementos de decoração, que dão uma sensação de aconchego e conforto aos ambientes, dependendo do trânsito e da circulação de pessoas pelo espaço requerem um lugar especial na rotina de limpeza. Afinal de contas, eles absorvem muita poeira, ácaros e germes presentes na sola dos calçados. Assim, tapetes e carpetes precisam ser aspirados com frequência. O mais indicado é realizar a operação a cada uma ou duas semanas. Já quem tem pets em casa precisa diminuir o intervalo entre uma aspiração e outra, mantendo os ambientes livres de poeira, sujeira e agentes alérgenos.

20. Bolsa de maquiagem

Uma pesquisa feita na Universidade de Aston indicou que nove em cada dez bolsas de maquiagem portam superbactérias potencialmente mortais. O estudo identificou micro-organismos capazes de provocar doenças como infeções na pele, caso os produtos sejam usados na região dos olhos ou da boca.

Os especialistas garantem que “é preciso fazer mais para ajudar a educar os consumidores e a indústria da maquiagem em geral sobre a necessidade de lavar regularmente as esponjas e deixar que elas sequem totalmente, assim como a respeito dos riscos de usar maquiagem com a data de validade vencida”. A Academia Americana de Dermatologia recomenda lavar os pincéis de maquiagem a cada sete ou dez dias. Assim, é possível proteger a pele e evitar a exposição do rosto a fungos e bactérias.

E você, com que frequência limpa os lugares e objetos citados neste artigo? Tem suas próprias dicas de limpeza para um lar mais saudável? Colabore deixando o seu comentário!

Compartilhar este artigo