13 Plantas decorativas para ambientes internos que são muito fáceis de cuidar

Se você tem paixão por jardinagem ou decoração, ou ainda se está com tempo livre e precisa encontrar uma atividade terapêutica, certamente gostará de saber da existência de diversas plantas decorativas para ambientes internos que, além de bonitas e resistentes, não exigem muitos cuidados. Estamos falando de plantas que dão ao local uma dose extra de oxigênio, sem falar nas cores, na vida e elegância garantidas pela presença delas. Entrar em um cômodo decorado com plantas é, sem dúvida, sempre uma experiência agradável. E tudo ganha um significado ainda melhor quando você mesmo cria e executa a decoração do lugar.

Neste post, o Incrível.club traz uma seleção com 13 plantas perfeitas para serem mantidas dentro de casa. Além de lindas e resistentes, elas têm em comum mais uma característica: são bem fáceis de cuidar.

1. Suculentas

É possível encontrar no mercado várias espécies de plantas suculentas, e todas são realmente bonitas, sendo ótimos elementos de decoração. São plantas que exigem poucos cuidados, já que dispensam regas frequentes uma vez que possuem um estoque interno de água. Essa “caixa d’água” costuma estar presente nas folhas, mas pode ser encontrada também nos talos ou em ambas as estrutudas. Graças a tal adaptação, as suculentas vivem bem em climas áridos e secos. Por serem pequenas, não ocupam muito espaço; você pode comprar ou fazer pequenos vasos para deixar as suculentas sobre mesas, móveis ou estantes, por exemplo.

2. Clorofito

Chlorophytum comosum, mais conhecida como clorofito, é ideal para crescer ao lado da sua janela ou para ficar pendurada em algum lugar da sala. É muito resistente e se adapta aos mais variados ambientes. Trata-se de uma planta que não requer muita manutenção: basta que ela receba uma boa dose de luz, mas sem ficar exposta diretamente ao Sol. Caso perceba que a planta está com as pontas secas, possivelmente, é porque ela está recebendo muita luz solar ou sentindo falta de umidade. O ideal é regá-la a cada 5 dias ou uma vez por semana no outono e no inverno. Em climas mais quentes, o ideal é aumentar a frequência da rega para duas ou três vezes por semana.

3. Orquídea borboleta

Tipo mais conhecido de orquídea, é ideal para se ter em casa por conta da duração prolongada de suas flores (de 2 a 3 meses) e por viver bem em ambientes internos. Essa é uma planta que precisa de luz, mas sem o contato direto com o Sol forte. Assim, pode ser colocada em uma janela voltada para o oeste e que tenha uma cortina fina. As orquídeas borboletas possuem poucas e grandes folhas, que tendem a ser grossas, mas não muito longas. Suas flores são belíssimas e podem nascer em qualquer época do ano. As cores variam entre vermelho arroxeado, rosa e branca, entre outras.

4. Ludisia discolor ou orquídea-joia

Boa parte dos fãs de plantas para ambientes internos é entusiasta dessa alternativa, já que suas folhas possuem grande valor ornamental, enquanto as flores, apesar de pequenas, não ficam atrás no quesito beleza. Ela está presente em muitas casas por durar por muitos anos, desde que esteja em um ambiente iluminado e com boa umidade. Para garantir as condições ideais, você pode posicionar copos de água em volta da planta ou investir em um umidificador. A rega pode ser feita de duas a três vezes por semana no verão, reduzindo a frequência no restante do ano. Para curtir a companhia de uma orquídea-joia por muito tempo, procure mantê-la longe do ar-condicionado e do ventilador

5. Jiboia ou hera-do-diabo

Epipremnum aureum, popularmente conhecida como jiboia ou hera-do-diabo, é uma planta trepadeira ótima para decorar ambientes internos, além de ser fácil de cuidar. Suas folhas apresentam diferentes tonalidades de verde, sendo uma das preferidas para decorar escritórios e cômodos residenciais. Ela não é tão pequena, mas quando colocada em um vaso pequeno, não cresce tanto. Além disso, é possível colocar guias e apoios para que ela se expanda na direção desejada. Outra vantagem é que se trata de uma planta muito resistente, sendo útil ainda para diminuir a poluição no ambiente. Para que a jiboia se desenvolva melhor, precisa ficar sob meia luz indireta, já que longos períodos de exposição direta ao Sol acaba queimando suas folhas.

6. Violeta-africana

Para crescer bem bonita, a violeta-africana, conhecida planta para decoração de interiores, precisa de ambientes iluminados. Graças a sua floração intensa, seu pequeno tamanho e beleza ornamental, essa planta faz hoje muito sucesso. Existem diversas variedades disponíveis, mas a mais comum é a de cor roxa, que marca presença constante nos lares de apaixonados por plantas, sendo muito encontrada nas mesas das salas de estar. As flores da violeta-africana podem nascer a qualquer época do ano. Após a floração, faça uma poda para retirar os talos das flores que já murcharam.

7. Peperômia marrom

Peperomia caperata, ou peperômia marrom, é uma pequena planta para ambientes internos composta por uma roseta de folhas em abundância. Uma de suas peculiaridades mais lembradas pelos entusiastas da jardinagem é o fato de as folhas possuírem ranhuras bem marcadas, podendo ser encontradas em diferentes tonalidades de verde escuro. Já na parte interna, elas apresentam uma coloração avermelhada, enquanto as flores tendem a ser da cor branca. Essa bela planta para interiores não é muito exigente em termos de cuidados: ela requer um local com luz moderada e regas quando a terra estiver bem seca, com o cuidado de não deixá-la encharcada.

8. Sansevieria ou espada-de-são-jorge

Sansevieria, popularmente conhecida como espada-de-são-jorge, é uma planta marcada pelas folhas verticais e compridas, além da facilidade com que pode se reproduzir. Quando a espada-de-são-jorge recebe luz na quantidade certa, nos presenteia com flores brancas que exalam um aroma adocicado. Além disso, é muito resistente e tem boa reputação como ser capaz de purificar o ar da casa. Assim, o ideal é que ela seja posicionada em cômodos usados para descanso e relaxamento. A única desvantagem é que essa planta pode ser levemente tóxica para gatos e cachorros, pois existe a chance de ela causar náuseas, diarreia ou vômito nesses pets.

9. Aloe vera ou babosa

Além de contar com inúmeras propriedades, a babosa é fácil de cultivar, uma vez que se adapta perfeitamente a espaços reduzidos, deixando o ambiente com um ar mais interessante e sóbrio. Uma boa ideia é posicionar a planta em um lugar onde receba alguns raios de Sol. Durante o verão, ela exige regas mais frequentes, mas no inverno, uma rega a cada duas ou três semanas é o suficiente. Evite o acúmulo de água no vaso, pois do contrário, a babosa pode acabar apodrecendo facilmente.

10. Tillandsia ou air plant

Tillandsia, também encontrada no mercado com o nome de air plant, faz parte da família Bromeliaceae. Ela é muito resistente, podendo ficar tanto em ambientes internos quanto externos, mas costuma ser uma boa alternativa especialmente indicada para dentro de casa por conta de sua flor espigada e em cor chamativa, que dá vida a qualquer lugar. Também tratada como um tipo de bromélia, ela é parente do cravo-do-mato, nativa da Mata Atlântica brasileira. Essa planta precisa de muita luz, mas não gosta de receber Sol direto. Ela praticamente dispensa as regas, sendo necessário apenas aplicar água nas folhas de duas a três vezes por semana usando um spray.

11. Kalanchoe ou flor-da-fortuna

A Kalanchoe se adapta bem em qualquer canto iluminado da casa, garantindo um belo toque estético por conta de suas exóticas flores e da cor das suas folhas. Ademais, como algumas espécies dessa suculenta são pequenas, elas costumam ser usadas em composição com outras plantas, aumentando ainda mais o seu valor ornamental. Como toda suculenta, não requer muita água: durante o verão basta uma ou duas regas por semana, enquanto no inverno, o intervalo entre uma rega e outra pode ser de 10 a 15 dias.

12. Echeveria

Essa costuma ficar entre as suculentas preferidas por quem deseja decorar a casa. Contanto que ela fique em um lugar bem iluminado e ensolarado, se desenvolve superbem. De maneira geral, a planta cresce em rosetas com belas folhas que apresentam ampla variedade de cores. Além disso, em certos períodos, ela ganha flores bem imponentes. Com relação aos cuidados, tenha em mente a importância de não permitir o acúmulo de água nela, evitando assim que ela sofra com fungos ou apodreça. E não se esqueça de retirar as folhas mortas da parte inferior da planta à medida em que ela for crescendo.

13. Gerânio

Os gerânios são plantas que dão flores particularmente bonitas, perfeitas para embelezar qualquer ambiente. Aliás, elas são ótimas para decorar uma mesa de centro, por exemplo. Muita gente aposta nos gerânios como plantas para interiores devido à facilidade de manutenção e ao tempo prolongado da floração. Para que a planta cresça melhor, deve ficar em um ponto onde receba várias horas de Sol. Porém, se você colocá-la perto de uma janela que permita a passagem da luz solar direta, evite deixá-la bem diante dos vidros. Assim, você evita o risco de queimadura das folhas por conta do efeito lupa.

O que achou da nossa lista de plantas decorativas? Você tem ou já teve plantas dentro de casa? Que espécies escolheu? Como foi sua experiência? Deixe um comentário com seu relato!

Compartilhar este artigo